Maria de Nazaré

Marilda Santana

Ômar Souki

 

 Que nada
nos

perturbe

A paz de Cristo e
o amor de Maria


M U N D I A L

 

Quem é Maria?

Tudo que está escondido e tudo que está aparente eu conheço;
 porque foi a sabedoria, criadora de todas as coisas, quem me ensinou.
Na sabedoria há um espírito inteligente, santo, único, múltiplo, sutil, móvel, penetrante, imaculado, claro, lúcido, invulnerável, inofensivo, amigo do bem, agudo, livre, benéfico, estável, seguro, sereno, que tudo pode, que cuida de tudo, que penetra todos os espíritos, os inteligentes, os puros, os mais sutis. Mais ágil que todo movimento, a sabedoria atravessa e penetra tudo, graças
à sua pureza. A sabedoria é o sopro do poder de Deus, uma emanação puríssima da glória do Onipotente; por isso nenhuma mácula pode insinuar-se nela. É ela uma efusão de luz eterna, espelho imaculado da atividade de Deus. Ela é uma imagem da bondade de Deus. Embora seja única, tudo pode. Permanece sempre a mesma, mas renova todas as coisas. Ela se derrama de geração em geração nas almas santas e forma os amigos de Deus e os profetas. De fato, Deus ama somente aqueles que convivem com a sabedoria. Ela é mais bela que o sol e supera todas as constelações dos astros. Comparada à luz do dia, ela a supera, porque a luz sede lugar à noite,
mas contra a sabedoria o mal não prevalece.

 

Sabedoria 7, 21-30

 

 

 

 

 

 

Portal do Paraíso


É tão lindo seu sorriso

Tão divino seu olhar

Aqui a Mãe nos vem

Mostrar o Paraíso

Neste tão belo lugar 

Donde a gente quer ficar

 

Neste Vale pequenino

Tão humilde, tão sereno

A gente vira menino

Este portal do Paraíso

Jamais se esquece

 Lágrimas viram sorriso

 

Vem de Deus a claridade

Fulgurante luz do Céu

Que nos cobre de bondade

 Protegidos pelo seu véu

Senhora de Piedade

 

 (Erasmo Fernandes e Sandra Castro — romeiros de Ipatinga)

 

 

 

Sumário

 

 

Que nada nos perturbe

Ofereça seu coração a Jesus

O grande sinal é a nossa fé

Maria e as escrituras

Nada pode nos separar
do amor de Deus

A santidade ao nosso alcance

Perdão, fé e silêncio

Caminhando com Maria

Viva agradecendo a Deus

A Luz do silêncio

Silêncio é Luz

Silenciar e vivenciar a Luz

Eu sou a Luz do mundo

 

 

 

 

Que nada nos perturbe

Queridos filhos! Com grande sabedoria, silêncio e paz venho lhes trazer do Céu esta mensagem. Ninguém pode ser indiferente à vivência da paz aqui neste Vale. Ela é tão presente que nós precisamos saber vê-la, tê-la, senti-la e vivê-la. Essa paz é Jesus que toma conta das nossas vidas — dos nossos passos, atos e ações. É Jesus que cuida com carinho de nossas crianças e de nossos jovens, que são lindos e têm corações ardentes porque sentem a beleza da vida na vontade de Deus. É Jesus que zela por nossas famílias e por todos os filhos que têm como principal objetivo viver a paz, seguir o caminho da paz, abraçar a paz. Que nada nos perturbe. Essa palavra deve soar forte na vida de vocês. Que nada lhes tire a paz. Que nada os afaste da paz. Já é tempo de um crescimento amadurecido, de uma bem-aventurança sólida, de uma conversão verdadeira. Ninguém pode viver a vida inteira, principalmente estando em um lugar santo, em um lugar de oração, dizendo que é convertido sem ter atos de conversão.

Neste ano (2011) Jesus nos fala que o nosso exemplo vale mais do que muitas palavras. Não é falar, é dar o bom exemplo, é dar o bom testemunho, é ser bom testemunho. A comunidade cresceu e quem caminha sob os ensinamentos, cresceu ainda muito mais. Uma família pode ter muitos filhos, mas aqueles que desobedecem aos pais ficam para trás em tudo. Aqui, hoje, quem tem obediência segue em frente, porque a missão é ser evangelizador. A missão é evangelizar as almas que chegam famintas de amor. Quem segue os ensinamentos do Pai, do Filho e do Espírito Santo, fica cada vez mais lapidado para evangelizar. Ao evangelizar atrai cada vez mais essa lapidação para o interior do seu coração. E, com isso, se torna também cada vez mais consciente da realidade da vida da família, daquilo que acontece na família quando há participação, oração e presença aos momentos da mensagem, aos momentos de reflexão. Porém, os que não têm essa obediência, vão ficando para trás, perdidos, sem horizontes. É como aquele que vê o sol, mas não tem coragem para sair e dizer “o dia está brilhando”. Ou para dizer: “a noite está feliz”.  Ao nos orientar para a conversão, Jesus nos mostra a importância de darmos bom exemplo.

O exemplo precisa ser dado. Principalmente por quem já foi um grande pecador, que já viveu sob a lama horrorosa e terrível do demônio, do prazer da carne, dos vícios, e que já experimentou todos os tipos de sofrimentos causados pelo pecado. Essa pessoa, de repente, tomou conhecimento de que quem é de Cristo, é feliz em Cristo. Que coisa bonita isso, não é filhos? Se eu sou de Jesus, eu sou feliz com Jesus. Isso deve ser a força de cada missionário que está aqui: ser de Jesus e ser feliz com Jesus!  

No dia em que você deixar de ser, aqui, de Jesus, será infeliz. Porque diante de uma obra missionária, quem não está vivenciando sua missão começa a perseguir quem está. Começa, então, a aparecer o sofrimento. Isso é uma constatação que já aconteceu na vida de muitos orientadores, que eram também profetas e apóstolos de Jesus. Aquele que não viviam aquilo que Jesus pedia, estava sempre amargurado em seu sofrimento interior. Jesus nos diz com freqüência: “Ai daquele que não abre seu coração, que fecha seu coração, que tranca seu coração. Porque o plano de Deus é bonito demais”. Sentimos isso quando ouvimos Jesus dizer nesta mensagem que Ele quer estar em nós e deseja nos fazer felizes na Presença Dele. Isso acontecesse principalmente no momento em que recebemos a Santa Eucaristia, a Santa Comunhão. O seu coração, naquele momento, arde de alegria com a chama do Espírito Santo, que é diferente do fogo da terra. É uma chama que traz para o seu coração aquela sensação mais deliciosa de toda a sua vida. É a graça! É o saborear da graça! Saborear essa graça é como desfrutar da coisa mais doce que alguém pode lhe oferecer. É como o sorriso de uma criança, o agradecimento de um jovem, a bem-aventurança de uma família transbordante de felicidade. É saborear a Presença de Jesus, viver essa Presença de Jesus e crescer diante da Presença de Jesus. São tantas coisas que aos olhos humanos parecem pequeninas, mas que para quem está na caminhada são imensas. É necessário olhar para a comunidade e ver que em sua família há corações carentes. Toda família tem sempre uma alma mais suscetível à carência, que necessita de mais afeto, de mais diálogo e de mais companheirismo fraterno.

Jesus tinha aquele apóstolo que era mais forte, mas também tinha aquele que era mais necessitado de ouvir Jesus a toda hora e de estar com Ele a todo o momento. Jesus tinha sensibilidade para essas diferenças e dava mais atenção aos mais necessitados. Isso acontece até hoje. Há pessoas que têm mais necessidade de se sentir protegidas, de ter proteção, de buscar proteção e de estar próximas às pessoas que elas amam. Quando você é de fato uma família o amor tomar conta da família. É justamente isto que Jesus quer que aconteça aqui na comunidade: que o amor tome conta desta comunidade e não o julgamento ou a aridez das armadilhas do demônio. O demônio tenta afastar vocês da felicidade plena que brota da verdadeira paz interior. Jesus quer que o amor seja a fonte de vida para vocês. Ele quer que cada um se alimente dessa fonte. E que alimentado por essa fonte do amor, caminhe cada vez mais firme rumo aos ensinamentos sagrados contidos na Palavra de Deus, que é a  Palavra de Salvação, e se salve! (Nossa Senhora aumentou sensivelmente sua voz ao dizer: e se salve!). Porque estamos no tempo em que precisamos nos segurar com força na oração e na Eucaristia para sermos salvos de toda essa lama destruidora. O mundo está em lama. Existem pessoas que estão procurando um lugar para elas na terra, pois para todo lado que vão se sentem como se ali não as coubesse. São os sofrimentos dos finais dos tempos. Jesus já passou essa orientação dizendo que muitos vão querer fugir, mas que não vai adiantar.

O sofrimento estará em todos os cantos e atingirá todos os povos! Então, todo mundo vai sentir isso. Mas, quem se segurar na oração manterá a sua tranqüilidade. Isso acontece muito aqui na comunidade: você se sente tranqüilo aqui. Você pode ir ao mundo, estar no mundo, estar na terra, mas ao chegar aqui tem a tranqüilidade de respirar a Presença de Deus em sua vida. Foi o que Jesus disse: “Eu estarei com vocês e vocês estarão comigo”. O que Ele disse foi que estaria dentro de vocês e que vocês estariam dentro do Coração Dele. Essa foi a Sua grande promessa feita a nós durante todo este ano do silêncio.

Nesses anos e anos de missão, Ele colocou vocês dentro desse Coração Sagrado que passa para vocês a sabedoria para que possam, de fato, ajudar as pessoas que chegarão famintas pela paz de Deus. É disso que o mundo está precisando (forte ênfase em sua santa voz). É o que Jesus nos mostrou hoje no início desta mensagem. Precisamos verdadeiramente de paz. É disso que toda a humanidade precisa. Com alegria, Eu vou abençoar todos vocês. (Momento da bênção. Todos cantam: Dai-nos a bênção, Mãe de Bondade, Nossa Senhora de Piedade).

Queridos filhos! Eu abençoei carinhosamente a todos os filhos. A benção de hoje foi para todos que estão pedindo a Deus, que estão suplicando a Deus pela paz. Foi uma benção também para os aniversariantes e para aqueles que vieram agradecer O filho de Deus abençoado é aquele que sabe agradecer e louvar a Deus pelas bem-aventuranças. É por isso que existe o agradecimento. É quando você glorifica a Deus pelas graças e bênçãos. Você deve também sempre suplicar por aquela graça e bênção que será a realização de sua felicidade completa. Está sempre faltando algo para a pessoa sentir-se completamente feliz. Você nunca pode deixar de pedir a Deus que realize em seu coração toda a graça da felicidade plena.

Na mensagem de hoje, Jesus nos orientou quanto a obediência ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo. Quando somos obedientes, nós crescemos e seguimos em frente. Não ficamos como está grande parte da humanidade: perdida, sem orientação, sem preparação. Tudo lhes estimula a ir ao encontro desse mundo que não traz o que mais as pessoas precisam que é a paz! Que a benção de Deus Pai, Deus Filho e Deus Espírito Santo esteja presente no coração de vocês. Que Jesus fortaleça sempre a minha filha Terezinha. Que Deus a fortaleça na fé, na família, e a conduza a ter serenidade, discernimento, obediência, e a felicidade celestial, que é a Presença de Jesus em sua vida, sempre. As flores mais lindas que eu tenho são vocês, por isso Eu lhes dou o meu Coração. Deus me chama e eis aqui a Serva do Senhor! (27 de setembro de 2011—terça feira – 20h30—capela pequena).

 

 

 

 

É justamente isto que Jesus quer que aconteça aqui na comunidade:
que o amor tome conta desta comunidade e não o julgamento ou a aridez das armadilhas do demônio. O demônio tenta afastar vocês da felicidade plena que brota da verdadeira paz interior. Jesus quer que o amor
seja a fonte de vida para vocês. Ele quer que cada um se
alimente dessa fonte. E que alimentado por essa fonte
do amor, caminhe cada vez mais firme rumo aos
ensinamentos sagrados contidos na Palavra de
Deus, que é a Palavra de Salvação,
e se salve!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Ofereça seu coração
a Jesus

Queridos filhos! Hoje é o dia do Senhor. Vamos viver esta linda presença de Deus Pai, Filho e Espírito Santo em nossas vidas. Em especial, vamos pedir a Jesus que acolha a todos os corações aqui presentes em seu Sagrado Coração. Cada um vai oferecer o seu coração. Quando você se aproxima de Jesus no momento da Eucaristia, ou nos momentos de adoração, ou em um lugar especial de evangelização, deseja pedir a Jesus tantas graças: curas, libertações, bênçãos, exorcismo. Mas, a primeira de todas as graças é entregar seu coração para Jesus porque Ele conhece tudo que está dentro de seu coração. Ele sabe de todas as necessidades que você traz em seu coração. Quando você se oferece, se doa, ao Sagrado Coração de Jesus, Ele lhe concede a graça mais urgente que você necessita. É preciso que a humanidade seja catequizada porque as pessoas buscam, recebem, mas muitas vezes não agradecem.Diante de nossa missão, que se torna cada vez maior e mais nobre porque esse é o chamado de Deus. Todos vocês que se encontram aqui presentes foram chamados por Deus. A vida de vocês é um presente de Deus. A unção do amor de Deus protege todo o nosso ser.

É tão bonito, filho, quando você diz “o Senhor inunda o meu ser”. Ele é toda a proteção. São tantas as graças recebidas que elas transbordam e lhe transformam. Uma das mais lindas transformações é quando você se torna um bom exemplo para os outros. O bom exemplo deve ser seguido por todos. Jesus é para nós o Caminho, a Verdade e a Vida. Por quê? Porque Ele foi exemplo. Ele se fez o Caminho porque viveu a vontade do Pai. Ele é a Verdade porque não teve medo de viver a vontade do Pai. O Pai designou que o Filho morresse na cruz e Jesus não teve medo. Ele é Vida porque na cruz deu vida a todos. Aquilo que o Filho de Deus viveu é um bom exemplo para nós. É isso que Ele nos ensina a vivenciar hoje também. Então, as famílias, as mães e os pais, têm que ser exemplo de santidade. Os filhos seguirão o exemplo dos pais. Às vezes, mesmo a família proporcionando aos filhos uma formação de sabedoria, pode acontecer que um dos filhos seja arrastado pelo triste caminho do pecado. Você, então, se pergunta: “Por que isso aconteceu com meu filho?”. Jesus, então, responde: “Porque há muito mau exemplo no mundo”. Há poucos lugares onde se pode ver o exemplo da dignidade, da boa moral, da verdade, da justiça. O ser humano se entrega cada dia mais ao sofrimento porque prefere mais seguir ao mau exemplo do que ao bom.  

Temos a graça de viver hoje o dia do Senhor. Mas poucas pessoas vivem este dia do Senhor. Há uma enorme quantidade de pessoas na terra que nem sabe quem é o Senhor. Por isso, Deus faz o Céu se abrir para se fazer Presente na terra. A minha Presença aqui de corpo e alma é para trazer a Presença de Deus para a vida de vocês, é para trazer a Luz de Jesus para o coração de vocês. Cada uma tem uma necessidade suprema de acolher essa Luz que Jesus é para vocês. Todos chegam aqui com uma necessidade, todos têm um pedido a fazer, todos procuram por uma graça. Para que possa sobreviver ao sofrimento, a pessoa precisa ter a graça de Deus em sua vida. Por isso, Jesus é o exemplo e todos nós somos seguidores de Cristo. O exemplo que Ele deu é o da Verdade. Quem deseja ter uma direção espiritual em sua vida, de Luz e de Verdade, tem que se aproximar de Jesus. Durante este ano do silêncio, Ele abriu o seu Sagrado Coração e acolheu todos os filhos de Deus em seu Coração. Em suas palavras, em seus ensinamentos, Jesus deixou para nós uma lição de humildade. Ele nos ensinou a vivência da humildade. Quando Jesus nos fala de nossa missão nos dias de hoje, da minha Presença de corpo e alma na terra, como Mãe de Piedade, aqui neste Vale, o que Ele nos pediu neste ano (2011)?  S-a-b-e-d-o-r-i-a !

Entender o plano de Deus é ter sabedoria. As coisas de Deus são um mistério divino, cada vez maior, infinitamente valioso. Viver esse mistério é doar o nosso coração. É entregar o nosso coração e cumprir a vontade de Deus em nossa vida. Vocês, filhos que vieram até aqui, estão presentes diante da sabedoria. No momento da mensagem o Espírito Santo traz toda a sabedoria. Essa sabedoria transborda em sua alma e produz os frutos da graça de Deus, da graça vinda de Deus. É o Céu iluminando as pessoas da terra. É o Céu conduzindo seus filhos na terra. O Céu nos pede que sigamos e vivamos a preciosidade da Presença de Jesus em nossas vidas. O Céu nos pede que abracemos Jesus e que nos coloquemos dentro de seu Sagrado Coração. É isso que o Céu faz conosco aqui.

No momento da mensagem, o Céu acolhe todos os corações e os coloca dentro do Coração de Jesus. Quando estamos dentro do Coração de Jesus, nos encontramos dentro da graça. O Espírito Santo concede a cada um a sabedoria necessária para viver a vontade de Deus e vencer as provações da terra.

Você, mãe, pai, filho, jovem, criança. Você que hoje chora devido a um grande sofrimento, vai oferecer a Jesus esse seu sofrimento. Quando Jesus aceitou a cruz, Ele atribuiu-lhe a qualidade de vitória. Ao pegar a cruz, Ele   transformou luta em vitória. Você também vai, por Jesus, transformar sua cruz em vitória. Você vai transformar o seu sofrimento, a sua dor, em bênçãos para a sua família. Quando você aceita a vontade de Deus, você se cura, você se liberta, você se salva. A maior enfermidade não é uma ferida na carne. A maior enfermidade é uma ferida na alma. Quando você abraça Jesus, você recebe a cura de sua alma. Por maior que seja a dor física, a doença, a tristeza, tudo passa, porque Jesus toma conta de você. O mais lindo, meus filhos, é que Jesus cuida de nós. Quando vivemos sobre as pegadas de Jesus, Ele cuida de cada um de nós. Por isso, a luta para o meu triunfo, que é a vitória de meu Filho Jesus, é uma luta muito bela, porque é Jesus quem cuida de cada coração. Nesta missão destes finais de tempos, tempos de tantas tribulações, tristezas profundas e doenças espirituais, só Jesus pode trazer a alegria, a felicidade, a paz e a bem-aventurança a todos os corações. Você, caminhante, chega perto de Deus pela graça. Você se aproxima pela dor, mas sempre receberá a graça, porque Deus transforma dor em graça. O mesmo acontece quando você perde alguém querido. Sente-se como se o mundo inteiro não lhe coubesse de tanta dor que sente. Mas Jesus se aproxima e lhe mostra o milagre da transformação. Você não perde ninguém, apenas entrega a Deus aquilo que é de Deus. O consolo, que é o próprio Deus, se faz presente em sua alma. Daí em diante, você consegue ter a visão do Reino de Deus, da Vida Eterna.

O desejo de Jesus é que as pessoas aqui na terra, deste esta passagem, já comecem a trilhar o caminho do Reino, que é o bem, a paz, a caridade, a fraternidade, a unidade, a conversão, a obediência e o temor de magoar a Deus.  

Assim procedendo estaremos lutando de forma abençoada por um mundo melhor e mais digno. Ao contrário do que muitos pensam, o que Deus quer para seus filhos é a felicidade. Deus quer para seus filhos a bem aventurança. Deus quer que seus filhos tenham cada vez mais paz e amor. Ele, hoje, o próprio Criador está lutando para que seus filhos vençam e para que o mundo não venha sofrer ainda mais do que já está sofrendo. É por isso que Eu estou aqui olhando para vocês. Seguro em minhas mãos o Santo Rosário, que é a arma que defenderá vocês de todas as tribulações e de todos os ataques do mal. Peço a vocês, meus filhos (o tom de voz se torna mais doce e mais acolher ainda), vivenciem a Jesus que é o Caminho, a Verdade e a Vida. Vivam Cristo em toda a sua plenitude, porque Cristo Jesus é o único que pode nos defender de toda a dor nestes tempos de sofrimento. Além de nos defender, Ele é o único que pode curar nossa dor e trazer novamente a paz para nossa vida. Por isso, supliquem a Deus por essa paz. Sejam bem-aventurados e lutem por essa paz. Neste momento, Eu, Maria, irei lhes abençoar. (Momento da bênção. Todos cantam: “Dai-nos a bênção, Mãe de Bondade, Nossa Senhora de Piedade”).

Queridos filhos! Abençoei carinhosamente a todos os filhos. A Palavra de Deus, hoje, nos faz caminhar vivamente na graça que é o Coração de Jesus. Ao nos unirmos a esse Coração nos unimos à grande fortaleza. Assim teremos a sabedoria, a inteligência, a ciência divina (dons do Espírito Santo) para nos defender de todas as maldades e ciladas do demônio. Ao nos unirmos a esse Coração estaremos colocando em nosso coração o perfume da humildade de Jesus. Estaremos dando a nossa vida a alegria da paz. Desejo que vocês sejam fortes nessa busca por serem instrumentos de amor e de paz. Evangelizar é se evangelizar! Ser evangelizador é viver aquilo que Deus pede. O exemplo fala mais do que muitas palavras. Seja bom exemplo! Seja um bom filho! Seja humilde e manso de coração!  Todos permanecerão na paz, na Presença de Deus Pai, Filho e Espírito Santo, coberto pelo meu coração de Mãe. A quem me ofertou estas flores tão lindas, Eu dou o meu Imaculado Coração. Deus me chama. Parabenizo a todos os aniversariantes e aos filhos que não estão aqui. Que Deus os abençoe sempre. Eu sou a Serva do Senhor, a Mãe de Deus, a Imaculada Conceição, e eis que o Senhor me chama. (25 de setembro de 2011—domingo—13h30—morro das aparições).

   

Quando você aceita a vontade de Deus, você se cura, você se liberta, você se salva. A maior enfermidade não é uma ferida na carne. A maior enfermidade é uma ferida na alma. Quando você abraça Jesus, você recebe a cura de sua alma. Por maior que seja a dor física,
a doença, a tristeza, tudo passa, porque Jesus toma conta
 de você. O mais lindo, meus filhos,
é que Jesus cuida de nós.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O grande sinal é a
nossa fé!

Queridos filhos! Aqui estamos com a paz de Deus, a Misericórdia e a doçura do Coração de Jesus, cobertos e iluminados pela unção do Espírito Santo, e vivenciamos neste dia, nesta tarde, a Presença da Santíssima Trindade no meio de nós. Pedimos ao Espírito Santo que manifeste em nossas vidas o poder de Deus. Vocês, comunidade de sabedoria e fé, no silêncio de seus corações, vão suplicar a Jesus pela graça que vieram buscar. Supliquem a Ele para fazer com que vocês sejam instrumentos capazes de levar daqui o que o Céu lhes pede. O Céu nos pede vida nova, conversão, santidade. O mundo precisa tanto da santidade nas famílias, pois há muita perseguição do demônio. É triste ver que essas perseguições saem das próprias mãos do ser humano por falta de humildade e simplicidade. É sempre importante pedir a Jesus que nos dê o dom de escutar e de guardar em nosso coração o que escutamos. Devemos buscar aquilo que constrói. Você ouve muitas coisas tristes e até deixa que essas coisas marquem a sua vida. Peça a Jesus e Ele vai sempre cuidar de você. Ele vai sempre zelar por você. É tão bonito quando pedimos: : “Senhor, zele por nossa alma. Senhor cuide de nossa alma”. Jesus vai lhe ensinar como ser esse zelador, que cuida com carinho de sua própria alma. Em especial, Ele vai cuidar daquela alma que mais precisa da salvação. Você se pergunta por que as pessoas são tão fracas. E a resposta de Jesus é: “Porque eles não amam. Eles não confiam”. Não adianta você estar em um lugar de graças, na Presença de Deus, se você não se coloca como filho de Deus. Por isso Jesus lhe aconselha: “Vença o capricho da carne!”. É esse capricho que leva as pessoas ao maior sofrimento, que são os vícios da carne. Mas, será que as pessoas escutam o que Jesus lhes pede? Estão dando atenção à Palavra de Deus? Ao chamado de Deus?  Será que estão com o coração aberto para escutar?

O Céu fala. O Céu ensina. O Céu pede. Mas não exige. Isso porque o Céu ama. O Céu quer liberdade. Deus quer seus filhos por amor, não por dever, não por obrigação. Este ano (2011) do silêncio é também o da luta pelo amor. É o ano de se manter firme na fé. É o ano de vencermos as armadilhas do demônio com oração e conquistarmos as bem-aventuranças e sermos bem-aventurados. Jesus nos pede sabedoria. A Palavra de Deus é clara, mas as pessoas ainda se perguntam: “Será o que Deus está querendo me dizer?”. Ele é tão claro. Ele diz: “Seja obediente aos meus mandamentos. Viva os meus ensinamentos. Evite todo o sofrimento que possa levá-lo a perder o brilho de sua alma”. As pessoas não mais têm brilho na alma. O pecado leva as pessoas a se tornarem apagadas, sem luz. É por isso que se vê tanto sofrimento no mundo. Por isso que se vê esse clima precisando tanto de graças e bênçãos. O sofrimento é sentido até no ar que se respira e a dor é sentida, principalmente, no coração das crianças. O que será dessas crianças diante da conduta tão errada que elas vêem nos adultos? Jesus nos pede que zelemos pelas crianças. É preciso zelar pela santidade das crianças e preservá-las. Nesta mensagem Jesus também nos ensina a ser humildes e cuidar dos ouvidos para que não nos magoemos. Há um grande dragão que não deve ser enfrentado de frente, mas sim com a oração. Não se enfrenta o dragão com barulho, nem com fogo, nem com a tempestade, mas com a oração do silêncio. Só Deus conhece as coisas como elas realmente são. Há pessoas que acham que tudo podem—construir e destruir. Mas o único dono de tudo é Deus! Vocês que estão aqui são apenas filhos de Deus, filhos da Sabedoria de Deus (que é Nossa Senhora), por isso vocês não devem ter medo. Sejam fortes e defendam a causa verdadeira. Meu Coração está sempre aberto para vocês, porque Eu defendo a causa verdadeira. Em meu Coração está Jesus que é a Verdade, o Caminho e a Vida. Com Ele nada poderei temer.

Jesus nos disse em uma mensagem recente que nada pode nos separar do amor de Deus, nem tribulações, nem perseguições, nem mesmo a própria morte. Hoje, Ele nos pede a graça do ouvir com a alma, da escuta do coração. Ele deixou um claro ensinamento para todos nós: “Humildade e silêncio!”. E estar sempre disposto a defender as causas nobres. Não temer! Se Ele está aqui, por que teremos medo? Durante todos estes anos, vocês estão sendo conduzidos pelas mãos misericordiosas de Jesus, temer por quê? Filhos e filhas estão aqui doando seus corações a essa causa tão nobre, a essa luta tão grande pela paz, que é o triunfo de meu Coração. Vamos pedir a Deus pela conversão de todos os pecadores, em especial, por aqueles que faltam com a sabedoria. Quantas pessoas têm faltado com a sabedoria? Quantos instrumentos que diante da graça estão sendo contra testemunhos da graça? Isso é falta de sabedoria, filhos! Jesus nos diz: “Feliz da pessoa que, quando percebe que não está seguindo o Caminho da Luz, procura a conversão e luta por ser uma pessoa melhor”. Você tem que lutar para ser uma pessoa melhor. Lute, pois você sabe da fragilidade de seu corpo, de seus olhos, de seus ouvidos, de sua língua. Muitas vezes, você sabe que está errando, mas não reconhece e pede logo ao Divino Espírito Santo a graça da perseverança. Jesus disse tão claro e tão forte: “Não peque mais!” Deus detesta o pecado, nunca se esqueça disso. A misericórdia de Deus pelo filho é grande, porque Ele ama o pecador, mas detesta o pecado. Muitos se confundem. Acham que, por achar que Deus ama demais o filho, vai permitir o pecado. Não! Deus quer que você seja vencedor! Ele quer que você se levante e conquiste a vitória! Ele deseja que você carregue a cruz da vitória. Não existe caminhada com Jesus sem cruz. Todos têm que enfrentar as provações, passar pelas perseguições, enfrentar as batalhas e vencer com a força da oração e da fé. São as pessoas de fé que vencem. Você pede a Deus um grande sinal, mas o sinal da vitória é a fé!

As pessoas podem ver coisas lindas com os olhos, mas não adianta, é a alma que transforma, é o coração que transforma. Os olhos, por maiores e mais belas que sejam as coisas que eles vêem, se não souberem interpretá-las com sabedoria, não permitem que o coração veja coisa alguma. Por isso, é preciso ter fé!

Quando Jesus permaneceu na Eucaristia, permaneceu na simplicidade de um pedacinho de pão e de um pouquinho de vinho, e disse: “Eis o mistério da fé!”. Pela fé as pessoas conseguem restaurar e lapidar o que de mais lindo existe em suas vidas: a paz, a Presença de Deus! Nesta tarde, podemos sentir a todo o momento a Presença de Deus, na suavidade, na simplicidade e na leveza deste lugar. Deus está aqui neste lugar!

O mais bonito é que Ele está no coração dos filhos que Ele ama tanto. Deus preparou vocês, romeiros e peregrinos, que vieram na simplicidade, com os corações cheios de vontade de estar em um lugar de oração e de paz. Vocês, movidos pela fé, foram trazidos, por Jesus, até o meu Coração de Mãe. Quando vocês se apresentaram ao Coração dessa Mãe, a Mãe imediatamente os colocou no Coração de seu Filho Jesus. Tenho certeza plena e verdadeira de que vocês serão fortalecidos em sua fé. Guiados pelo Espírito Santo, estarão sempre orando pela conversão da família que amam tanto que é a Igreja, pelo seu país — porque esta nação precisa tanto da prosperidade, da justiça, da evangelização e do bom exemplo —, e do mundo. O mundo é uma aliança, segundo o que disse Jesus, é a família de Deus. Temos que zelar por essa aliança. Temos que construí-la sobre uma base forte para que possamos ser capazes de vencer todas as armadilhas do demônio. Cada um vai pedir paz a Jesus, em especial, para os doentes, para aqueles que estão passando por dificuldades e problemas. Que Jesus seja o Caminho de todos. Ao se deixar conduzir por Jesus, você encontra todas as respostas, até mesmo as que parecem impossíveis. Quantas vezes em sua vida já pensou que tudo estava tão longe de você, mas ao encontrar o Coração de Jesus, abençoado e sagrado, se vê, diante Daquele que, de fato, jamais o deixará sozinho. Se Deus está conosco, temos tudo na vida. Temos a paz! E a paz é a nossa bênção. Por isso, com grande carinho e amor, Eu quero abençoa-lhes. (Momento da bênção. Todos cantam: “Dai-nos a bênção, Mãe de Bondade, Nossa Senhora de Piedade”).

Queridos filhos! Eu abençoei carinhosamente a todos os filhos. Fiquei muito feliz com a união de você e com este momento de oração. Jesus mostrou hoje o quanto precisamos estar atentos. Ele nos alerta quanto à vivência do silêncio, da entrega e da conversão. Como você precisa da conversão! Jesus lhe chama para a santidade, para uma vida nova, para a unção completa. Jesus deseja que você tenha um coração sereno, manso e santo. Filhos! Quando sentem a brisa mansa, pensem em Jesus, porque Ele é manso. Ele é doce. Mas não fique apenas com a sensação da brisa mansa, viva a mansidão. Para viver a mansidão, você precisa da Luz Celestial, que é o Divino Espírito Santo. E, é sob a proteção do Espírito Santo, juntamente com o Pai e o Filho, Jesus, que você hão de permanecer aqui na paz! Abençoei hoje a minha Sônia e a minha filha Adelita. Que Deus as proteja, ilumine e dê muita paz para seus corações. Para todos os filhos que hoje foram chamados por Deus para estarem aqui nesta tarde sob a proteção do Coração de Maria, a Mãe de Piedade. Vocês são protegidos pelo meu Coração. Eu peço sempre que estejam unidos a este Coração de Mãe para que sejam guiados pelo Doce e Sagrado Coração de Jesus. A quem me ofertou estas flores tão lindas e belas, Eu dou o meu Imaculado Coração. Deus me chama e eis aqui a Serva do Senhor. (24 de setembro de 2011—sábado – 13h30—morro das aparições).

 

 

          Não existe caminhada com Jesus sem cruz. Todos têm que enfrentar as provações, passar pelas perseguições, enfrentar
as batalhas, e vencer com a força da oração e da fé.
São as pessoas de fé que vencem. Você pede
a Deus um grande sinal, mas
o sinal da vitória é a fé!

 

 

  

 

 

 

 

 

 

 

 

Maria e as Escrituras

A semana do dia 03-08 de outubro de 2011 foi iniciada com a leitura do Salmo 118 (119) escolhido ao acaso durante a oração da manhã. O dedo da pessoa que escolheu apontou para o versículo 9 e daí para frente foi lida a Palavra: “Como um jovem poderá manter pura a sua vida? Observando as tuas palavras. Eu te procuro de todo o coração. Não me deixes afastar de teus mandamentos. Guardo no fundo de meu coração a tua palavra para não te ofender. Sejas bendito, Senhor. Ensina-me tuas leias. Meus lábios recitam todas as normas de tua boca. Com a observância de tuas ordens eu me alegro, muito mais do que com todas as riquezas. Vou meditar sobre os teus preceitos e considerar os teus caminhos. Eu me delicio com a tua vontade e jamais me esquecerei da tua palavra. Concede-me esta graça: que eu viva guardando os teus preceitos. Abre os meus olhos para que eu veja as maravilhas da tua vontade. Eu sou um peregrino nesta terra. Não escondas de mim os teus mandamentos. Minha alma se consome no desejo perpétuo pelas tuas normas. Repreendes os orgulhosos. Malditos os que se apartam de teus mandamentos.  Livra de mim o desrespeito e o desprezo, pois eu observo as tuas ordens. Mesmo que os príncipes conspirem contra mim, eu meditarei sobre tuas leis. Teus preceitos são minhas delícias e tuas leias são os meus conselheiros” (Salmo 118, 9-24).  

Nos primeiros capítulos deste livro fizemos três grandes reflexões, baseadas nas mensagens de Nossa Senhora: “Que nada nos perturbe”, “Ofereça seu coração a Jesus” e “O grande sinal é a nossa fé!”. Com freqüência eu me pergunto o que essas leituras da oração da manhã têm a ver com as mensagens de Maria. Desta vez, resolvi escrever sobre essa inquietude de meu coração, que penso ser também a pergunta de outros moradores do Vale, que acordam cedo para se deliciar com a oração da manhã e a leitura da Palavra. A pergunta, portanto, é a seguinte: Como as mensagens do mês de setembro (transcritas nos primeiros capítulos) se refletem nas leituras da Palavra dessa primeira semana de outubro? É uma pergunta não só interessante, mas de suma importância, porque Nossa Senhora deseja que tenhamos as Sagradas Escrituras como a nossa orientação primordial. Sim, nos visita e traz a Palavra de Deus e também deseja que façamos como Ela mesma fez, enquanto vivia na terra. Ela quer que sigamos as orientações das Sagradas Escrituras. Orientada por uma profetisa chamada Ana, Maria viveu no templo de Jerusalém dos 3 aos 15 anos. Aí aprendeu a apreciar o Antigo Testamento e a memorizar os Salmos. Imagine a tarefa de saber de cor os 150 salmos. Assim como Ela os apreendeu, também os passou para seu Filho Jesus. A Palavra Divina, portanto, era considerada o principal alimento de Maria e de seu Filho Jesus. Ele chegou a dizer que não só de pão vivemos, mas, sim, de toda Palavra saída da boca do Pai.

Como é que essas três mensagens passadas para nós, diretamente do Céu, se relacionam com as Sagradas Escrituras? Esse será o caminho que vamos trilhar agora. Fechamos o primeiro capítulo (“Que nada nos perturbe”) da seguinte forma: “É justamente isto que Jesus quer que aconteça aqui na comunidade: que o amor tome conta desta comunidade e não o julgamento ou a aridez das armadilhas do demônio. O demônio tenta afastar vocês da felicidade plena que brota da verdadeira paz interior. Jesus quer que o amor seja a fonte de vida para vocês. Ele quer que cada um se alimente dessa fonte. E que alimentado por essa fonte do amor, caminhe cada vez mais firme rumo aos ensinamentos sagrados contidos na Palavra de Deus, que é a Palavra de Salvação, e se salve!”. O salmo sorteado no dia 03 de outubro, assim como a mensagem de Maria, também nos aconselha a seguir a Palavra. Garante que, ao seguirmos os mandamentos, contidos na Palavra, estaremos indo ao encontro da felicidade: “Concede-me esta graça: que eu viva guardando os teus preceitos. Abre os meus olhos para que eu veja as maravilhas da tua vontade. Eu sou um peregrino nesta terra. Não escondas de mim os teus mandamentos. Minha alma se consome no desejo perpétuo pelas tuas normas. Repreendes os orgulhosos. Malditos os que se apartam de teus mandamentos. Livra de mim o desrespeito e o desprezo, pois eu observo as tuas ordens. Mesmo que os príncipes conspirem contra mim, eu meditarei sobre tuas leis. Teus preceitos são minhas delícias e tuas leias são os meus conselheiros”

No dia 04 de outubro, terça-feira, foi a vez do Salmo 106 (107): “Agradeçam ao Senhor porque ele é bom, porque o seu amor é para sempre! Repitam isso os que o Senhor resgatou, aqueles que ele livrou das mãos do opressor. Repitam isso todos os que ele retirou do meio das trevas, do oriente e do ocidente, do norte e do sul. Andavam perdidos por um deserto solitário, sem achar o caminho para uma cidade habitável. Estavam famintos e sedentos e a vida já os abandonava. Em sua angústia clamaram ao Senhor, e ele os libertou de suas aflições e os conduziu pelo bom caminho, até chegarem a uma cidade habitável. Agradeçam ao Senhor pelo seu amor e pelas maravilhas que faz em favor dos homens” (Salmo 106, 1-9). Na segunda mensagem deste livro (“Ofereça seu coração a Jesus”), Nossa Senhora nos diz: “Quando você aceita a vontade de Deus, você se cura, você se liberta, você se salva. A maior enfermidade não é uma ferida na carne. A maior enfermidade é uma ferida na alma. Quando você abraça Jesus, você recebe a cura de sua alma. Por maior que seja a dor física, a doença, a tristeza, tudo passa, porque Jesus toma conta de você. O mais lindo, meus filhos, é que Jesus cuida de nós”. Ela nos garante que Deus cuida de nós. Isso é exatamente o que foi dito no Salmo 106 (107) e reafirmado no Salmo 118 (119), que Deus atente aos nossos clamores e providencia aquilo que realmente precisamos.

Na quarta-feira, dia 05 de outubro, o capítulo 17 (a partir do versículo 11) de Ezequiel foi lido: “Então recebi do Senhor a seguinte mensagem: Fale assim a essa casa de rebeldes: Será que vocês não sabem o que significam essas coisas? E responda: O rei da Babilônia foi a Jerusalém, pegou o seu rei e seus chefes e os levou para a Babilônia. Pegou alguém da família do rei, e com ele fez um acordo, obrigando-o a fazer um juramento, enquanto levava consigo os grandes do país. Assim o reino ficaria reprimido, sem ninguém que pudesse levantar a cabeça, obediente aos acordos que tinha estabelecido. Mas, esse membro da família do rei de Israel se revoltou contra o rei da Babilônia e mandou mensageiros procurar o Egito, para que o Egito lhe fornecesse cavalos e batalhões. Será que ele vai conseguir? Será que ele vai escapar, quem faz uma coisas dessas? Quem rompe um acordo, será que ainda consegue escapar? Juro por minha vida — oráculo do Senhor — que ele morrerá na Babilônia, país do rei que lhe tinha dado um reino; porque ele não fez caso do juramento e rompeu o acordo. Não será com a ajuda de um grande exército e numerosa tropa que o Faraó poderá agir em seu favor na hora do combate, na hora em que fizerem aterros e construírem torres de assalto para massacrar uma multidão de pessoas. Ele não fez caso do juramento, rompeu o acordo; assumiu um compromisso e voltou atrás. Não vai escapar!”.

O que será que essa leitura de Ezequiel tem a ver com a mensagem de Maria? A terceira mensagem contemplada neste livro (“O grande sinal é a nossa fé!”) é concluída com os seguintes dizeres: “Não existe caminhada com Jesus sem cruz. Todos têm que enfrentar as provações, passar pelas perseguições, enfrentar as batalhas, e vencer com a força da oração e da fé. São as pessoas de fé que vencem. Você pede a Deus um grande sinal, mas o sinal da vitória é a fé!”. Isso quer dizer que, ao acreditar em Deus, conseguimos vencer as batalhas da vida. Acreditar em Deus é seguir seus mandamentos. O primeiro deles é amar a Deus sobre todas as coisas. Nossa Senhora nos garante que todos os demais dependem desse. Ao amarmos a Deus sobre todas as coisas, também amaremos o nosso próximo e a natureza como um todo. Por isso, o amor a Deus é fundamental. No caso da leitura de Ezequiel, o Senhor mostra para o povo que aquele que rompe um acordo não pode ser bem sucedido. Mesmo sendo o juramento feito com um rei inimigo de Israel, como foi o caso, ele deveria ser mantido. Então, se esse é o caso, maior ainda deveria ser o compromisso do povo de Israel com os juramentos feitos ao Senhor. Mas, não, o povo de Israel tinha desobedecido às leis de Deus, portanto, rompido o acordo feito pelos seus antepassados, e justamente por isso, por essa falta de fé em Deus, e nos acordos firmados com Ele, encontraria a opressão em um país distante. Como foi que Israel desobedeceu aos preceitos divinos? Fazendo culto a ídolos construídos pelo povo israelita. Em uma passagem anterior à escolhida naquela quarta-feira, está escrito: “Você, porém, confiou demais em sua beleza. A sua fama a tornou prostituta, e você passou a se entregar ao prazer com qualquer transeunte. Você pegou suas roupas e com elas enfeitou com várias cores os lugares altos, onde se prostituía. Pegou também as jóias de ouro e prata que lhe dei e com elas fez imagens de homens, com as quais você se prostituiu. Depois pegou os seus vestidos bordados para cobrir essas estátuas, e a elas ofereceu o meu incenso e o meu azeite. Também o alimento que lhe dei, a farinha de primeira, o azeite e o mel, que lhe dei para comer, você os ofereceu para essas estátuas, como perfume para aplacá-las. Você pegou até os seus próprios filhos e filhas, que havia gerado para mim, e os sacrificou, para que essas estátuas os devorassem. Como se as suas prostituições não fossem o bastante, você ainda matou os meus filhos e os entregou para serem queimados em honra dessas estátuas” (Ezequiel 16, 15-21).

 Imagine, além de construir estátuas e oferecer-lhes incenso, azeite e alimentos, o povo judeu chegou ao cúmulo de sacrificar seus próprios filhos. Mas, não é isso que ocorre hoje em dia? Quantos pais estão sacrificando os filhos que ainda não nasceram por comodismo e conforto? Quanto mais desenvolvido o país, maior é a taxa de abordo. Há países onde essa prática é legalizada. Como está claro nas Sagradas Escrituras isso vai diretamente contra o mandamento máximo que é amar a Deus sobre todas as coisas. Quando sacrificamos a nossa vida em prol dos bens materiais, e até mesmo, um filho que ainda não nasceu, estamos rompendo um acordo feito com Deus, com Aquele que é dono de tudo. Essa traição, segundo Maria, é responsável pelas enormes dores que toda a humanidade sofre atualmente. O desejo Dela e de Deus é que sejamos felizes e alegres, mas nossa plantação tem sido errada. Como o povo da época de Ezequiel, nós também vivemos adorando deuses falsos. Atualmente não mais fazemos figuras humanas para adorar, mas sim enormes catedrais de consumo, os shopping centers, onde vamos para adorar os últimos lançamentos tecnológicos e por eles pagar com o nosso suor e o nosso sangue. Ao fazer isso, muitas vezes sacrificamos o tempo que deveria ser dedicado a Deus — através de orações e freqüência à Santa Eucaristia — e também nos esquecemos da atenção que devemos dar à nossa própria família. Tenho plena consciência de que não foi por acaso que Nossa Senhora nos sugeriu a Palavra forte de Ezequiel naquele dia. Ela deseja nos alertar contra toda a plantação errada e contra falta de fé que predomina por toda a terra. Ela esta vendo que, com a desobediência aos mandamentos, o ser humano colhe cada dia mais tristezas, enquanto poderia estar mais empenhado na construção de uma nova terra e um novo céu.

Na quinta-feira, dia 06 de outubro, através das palavras do apóstolo Paulo, Nosso Senhora se fez presente na oração da manhã: “Por isso, preferi não visitá-los, para não causar tristeza. De fato, se causo tristeza para vocês, quem me dará alegria? Somente vocês, a quem entristeci. A finalidade da minha carta era evitar que, ao chegar, eu experimentasse tristeza daqueles que me deveriam proporcionar alegria. Quanto a vocês, estou convencido de que a minha alegria é também a alegria de todos vocês. De fato, quando escrevi, eu estava tão preocupado e aflito que até chorava; não pretendia entristecê-los, mas escrevi para que compreendam o imenso amor que tenho por vocês. Se alguém causou tristeza, não foi a mim, mas de certo modo a todos vocês. Para tal pessoa basta o castigo que a comunidade resolveu impor-lhe. Mas agora é melhor que o perdoem e o consolem, para que ele não fique sob o peso de tristeza excessiva. Peço-lhes, portanto, que dêem prova de amor a essa pessoa. Realmente, ao escrever-lhes, eu queria pôr à prova a obediência de vocês e verificar se era uma obediência total. A quem vocês perdoam, eu também perdôo. Se perdoei — na medida em que tinha de perdoar — eu o fiz diante de Cristo em favor de vocês. Desse modo não seremos enganados por satanás, cujas intenções não ignoramos” (II Coríntios 2, 1-11).  Em vez de fazer uma visita pessoal aos seus discípulos, Paulo preferiu escrever uma carta. Por quê? Ele achou que uma visita pessoal poderia aumentar o problema. Alguém fez algo que não deveria ter sido feito e foi punido. Como? Ele não deixa claro, mas pede reflexão e reconciliação. E isso foi o que aconteceu, a comunidade puniu o culpado e esse reconheceu o erro. Depois disso deve reinar o amor.

Não é isso que Nossa Senhora deseja que aconteça? Que reine o amor entre nós. Essa carta explica porque Ela nos enviou a palavra dura de Ezequiel. Através de Ezequiel, Ela mostrou os efeitos terríveis de nossa desobediência aos mandamentos, algo que Ela não quer que continue, nem no Vale , nem no resto do mundo. A desobediência, seja no tempo de Ezequiel (590 a.C.), no tempo de Paulo (50 d.C.) ou agora, traz sérias conseqüências. Mas, também, não importa a época, o perdão e o amor, são sempre os melhores remédios.

Na sexta-feira, dia 07 de outubro, lemos trecho de outra carta de Paulo, desta vez para os romanos (capítulo 3, versículos 9-25): “E então? Nós, judeus, somos por acaso superiores? De jeito nenhum! Pois acabamos de provar: todos estão debaixo do império do pecado, tanto os judeus quanto os gregos, como dizem as Escrituras: Não há homem justo, não há um sequer. Não há homem sensato, não há quem busque a Deus. Todos se desviaram, e juntos se corromperam; não há quem faça o bem, não há um sequer. A garganta deles é um túmulo aberto, com a língua planejam trapaças; em seus lábios há veneno de cobra. Sua boca está cheia de maldições e de amargor. Seus pés são velozes para derramar sangue. Ruína e desgraça enchem seus caminhos. Não conhecem o caminho da paz e não aprenderam a temer a Deus. Sabemos que tudo o que a Lei diz aplica-se aos que vivem debaixo da Lei. Isso para que todos calem a boca, e o mundo inteiro se reconheça culpado diante de Deus. Porque ninguém se tornará justo diante de Deus através da observância da Lei, pois a função da Lei é dar consciência do pecado. Agora, porém, independente da Lei, manifestou-se a justiça de Deus, testemunhada pela Lei e pelos Profetas. É a justiça de Deus que se manifesta através da fé em Jesus Cristo, para todos aqueles que acreditam. E não há distinção: todos pecaram e estão privados da glória de Deus, mas se tornaram justos gratuitamente pela graça Dele, mediante a libertação realizada por meio de Jesus Cristo. Deus o destinou a ser vítima que, mediante seu próprio sangue, nos consegue o perdão, contanto que nós acreditemos”.

A libertação do pecado foi feita pelo sacrifício do Cordeiro de Deus, portanto é um dom gratuito e não fruto do esforço humano. Depois de Jesus a Lei se revelou em sua verdadeira função: mostrar que todos são pecadores. Portanto, todos nós dependemos da salvação gratuita, que só se realiza através da fé em Jesus, o que confirma as seguintes palavras de Nossa Senhora: “Deus detesta o pecado, nunca se esqueça disso. A misericórdia de Deus pelo filho é grande, porque Ele ama o pecador, mas detesta o pecado. Muitos se confundem. Acham que, por achar que Deus ama demais o filho, vai permitir o pecado. Não! Deus quer que você seja vencedor! Ele quer que você se levante e conquiste a vitória! Ele deseja que você carregue a cruz da vitória. Não existe caminhada com Jesus sem cruz. Todos têm que enfrentar as provações, passar pelas perseguições, enfrentar as batalhas e vencer com a força da oração e da fé. São as pessoas de fé que vencem. Você pede a Deus um grande sinal, mas o sinal da vitória é a fé!” (24 de setembro de 2011).

Para finalizar a semana, no sábado, dia 08 de outubro, Nossa Senhora nos presenteou com belas palavras de sabedoria (Sabedoria 1, 1-15): “Amem a justiça, vocês que governam a terra. Pensem corretamente no Senhor e o procurem de coração sincero. Pois ele se deixa encontrar por aqueles que não o temem, e se manifesta para aqueles que não recusam acreditar nele. Os pensamentos tortuosos separam de Deus, e o poder dele, posto à prova, confunde os insensatos. A sabedoria não entra na alma que pratica o mal, nem habita num corpo que é escravo do pecado. O Espírito Santo, que educa, foge da fraude, afasta-se dos pensamentos insensatos, e é expulso quando sobrevém a injustiça. A sabedoria é um Espírito amigo dos homens, mas não deixa impune quem blasfema, porque Deus é testemunha de seus sentimentos, observa de fato a sua consciência e ouve as palavras de sua boca. O Espírito do Senhor enche o universo, da consistência a todas as coisas e tem conhecimento de tudo o que se diz. Por esse motivo, quem fala coisas injustas não escapará dele, e a justiça vingadora não o poupará. Haverá investigação sobre os projetos do injusto, e o rumor das palavras dele chegará até o Senhor, e seus crimes ficarão comprovados. Um ouvido atento tudo escuta: nem mesmo o sussurro das murmurações lhe escapa. Portanto, tomem cuidado com a murmuração inútil, e evitem a maledicência. Mesmo secreta, a palavra não fica sem conseqüências, e a boca mentirosa mata a alma. Não procurem a morte, desviando a própria vida de vocês, nem provoquem a ruína com as obras que vocês praticam, pois Deus não fez a morte nem se alegra com a perdição dos seres vivos. Ele criou tudo para a existência, e as criaturas do mundo são sadias. Nelas não há veneno de morte, nem o mundo dos mortos reina sobre a terra, porque a justiça é imortal”.

 

 

 

 

 

 

 

 

Sejas bendito, Senhor. Ensina-me tuas leias. Meus lábios
 recitam todas as normas de tua boca. Com a observância de tuas
ordens eu me alegro, muito mais do que com todas as
riquezas. Vou meditar sobre os teus preceitos e considerar
os teus caminhos. Eu me delicio com a tua vontade
e jamais me esquecerei da tua palavra.

Salmo 118 (119), 12-16

 

  

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Nada pode nos separar
do amor de Deus

Queridos filhos! Vamos pedir a Deus a graça da presença viva de cada um que está aqui hoje no Coração de Jesus. Jesus está sempre presente. E você, está presente? Seu coração está aberto? Seus ouvidos, seus olhos, suas palavras, seus atos, suas ações, sua entrega? Será que seu coração está mesmo em Deus? Essa é a grande reflexão que precisamos fazer. Essa é a grande meditação que precisamos viver (A voz de Nossa Senhora está pausada e meditativa — um verdadeiro convite à reflexão).

Por isso é que o Céu se abre hoje. Deus nos coloca aqui na Presença desse Céu maravilhoso, desse Céu que nos proporciona paz, sabedoria, entrega e oração. Ao refletirmos sobre a essência dessas pequenas coisas na vida da comunidade e do mundo, veremos que se, de fato, as vivermos o mundo se transforma, a família se transforma. Mas sem sabedoria e sem fé ninguém se transforma. É o Espírito Santo, pela fé, que traz para nossas vidas a grande transformação. Quando falamos dessa transformação, estamos também falando da necessidade de você se purificar. Uma pergunta que você se faz com freqüência é: Por que quanto mais ando no caminho do Senhor, mais eu me purifico, seja pela dor de uma enfermidade, seja  pelas dificuldades espirituais e temporais? Mas, a purificação é algo muito importante. Se você não se purifica, não se transforma. Por isso, ás vezes, é necessário percorrer esse caminho e enfrentar essa batalha para que você possa conquistar a vitória.

Nunca questione as dificuldades que você vive. Sempre agradeça a Deus. Muitas vezes o que pensamos ser uma grande tempestade, pode ser a nossa salvação. Jesus disse que quando a pessoa acha que tudo está bem, é ai que tem que vigiar e orar, porque depois das facilidades, vem sempre uma grande provação. Mas, quando a pessoa se vê cercada de sofrimentos e tristezas, aí é que ela deve se entregar, porque sempre depois da tempestade, vem a brisa mansa. Essa brisa mansa vem para acalmar, tranqüilizar e fortalecer o coração dos filhos de Deus.

Temos vivido uma linda missão de entrega ao amor de Deus. Nossa vida tem sido uma entrega constante, uma busca constante e um amor constante. A cada dia o amor de Deus é maior e a cada momento nos sentimos ainda mais próximos do amor de Deus. É linda aquela passagem da canção que diz “nada pode nos separar do amor de Deus, nem mesmo a morte”. Na verdade, é no momento da morte que mais nos aproximamos de Deus na vida eterna. Nem a dor pode nos separar desse amor, pois a dor nos aproxima ainda mais através da entrega, da vitória, da cura, da Presença do Espírito Santo em nossa vida. É Ele que nos concede a fortaleza e a sabedoria para que possamos vencer. Nem a dúvida pode nos separar desse amor, pois onde Deus está também está a ciência completa. Ninguém pode duvidar daquilo que Deus realiza na vida de cada um.

O plano de Deus acontece. O plano de Deus se realiza. O plano de Deus se alicerça na vida dos filhos. (O plano é repetido três vezes para nos lembrar da Trindade Santa — Pai, Filho e Espírito Santo). Nem o desespero irá nos separar do amor de Deus. Nestes finais de tempos temos muito desespero,  muita procura, muita necessidade, mas Jesus Misericordioso — pacífico, manso, humilde e sereno — vem nos ensinar que não precisamos nos desesperar, nem nos preocupar tanto com os desastres temporais. O que realmente precisamos é de ter uma vivência diária de oração e da Presença de Deus em nosso coração através da Eucaristia. O sofrimento não irá nos separar do amor de Deus porque a dor nos faz agradecer a Deus pela força e pela coragem necessária para vencê-la. Isso acontece principalmente quando a dor se origina de uma enfermidade do corpo. Então, nem o sofrimento pode nos separar do amor de Deus. A dor nos une ainda mais ao amor de Deus porque  nas horas difíceis da batalha vemos que o único que não nos abandona é o amor de Deus. Nem mesmo a tristeza vai nos distanciar desse amor, porque quando temos Deus somos sempre alegres. As lágrimas podem até cair dos olhos, mas haverá sempre um sorriso no coração. Você chora por fora, mas a sua alma está em paz. Pode acontecer também de você estar sorrindo por fora, mas seu coração estar chorando por dentro. Então, nem a tristeza pode nos separar do amor de Deus. Entre todas as coisas, a que mais nos aproxima do amor de Deus é a fé. É a fé que nos leva a receber Jesus na Santa Eucaristia, que é a manifestação do verdadeiro amor que Deus tem por nós. É esse amor verdadeiro que nos faz caminhar sempre rumo á construção da única vitória que é a Presença de Deus Pai, Filho e Espírito Santo — a Santíssima Trindade — em nossa vida.  

É necessário que estejamos dispostos a construir esse alicerce bonito. Diante de toda essa missão, Deus nos concede uma das graças mais lindas que é a sabedoria. Ele pede que nós aqui nos tornemos pessoas sábias para compreender melhor a vontade de Deus para a nossa vida. Nós estamos aqui por um chamado de Deus, em prol de uma luta que se torna cada dia mais importante e necessária para que a humanidade se converta enquanto há tempo. Somente com a conversão as pessoas poderão vencer todo esse sofrimento espiritual que tenta afastá-las do amor de Jesus. Nesta benção de hoje quero pedir muito a Jesus que lhes ensine a ser fortes para jamais saírem  do Coração de Jesus, que é o amor verdadeiro por cada um. Com alegria vou dar-lhes a minha benção.  (Momento da bênção. Todos cantam: “Dai-nos a bênção, Mãe de Bondade, Nossa Senhora de Piedade”).

Queridos e amados filhos! Eu abençoei carinhosamente a todos os filhos. Essa benção de hoje foi em especial para os aniversariantes. De modo muito especial para meu filho Tiago, que Jesus ilumine sua vida, sua missão e lhe dê sempre a Presença viva do amor de Deus em sua alma. Hoje Jesus nos falou tão lindo sobre o amor de Deus. Que esse amor seja a fonte da graça e da sabedoria em sua vida. Parabenizo também à minha filha Tereza Catarina. Que Jesus lhe dê muita serenidade e que ela continue sendo simples e humilde, vivenciando assim uma das maiores virtudes da vida que é a santidade, a Presença do Espírito Santo em sua alma. Por isso, parabéns! Parabenizo também ao meu filho Nairdeszinho. Que Jesus lhe dê muita força, muita fé, pelo seu sim, pela sua entrega, sua fidelidade ao Coração de Jesus Misericordioso. Que você receba as bem aventuranças por ser tão fiel a Deus, sendo sempre servo do Senhor, manso e humilde. Por isso, parabéns! A benção vai para todos os aniversariantes, para aqueles que estão louvando e glorificando a Deus pelos anos de vida. Que Deus os abençoe a todos, crianças, jovens, mães, pais. Para minha filha Vânia. Que Jesus lhe dê a cura, trazendo para ela a paz interior, a graça da perseverança e o pensamento sempre no amor de Deus, que nos faz vencer todas as enfermidades — é pensar e viver o amor de Deus. E é na Presença linda do amor de Deus que vocês, filhos e filhas, vão permanecer aqui, em paz. Também desejo parabenizar à minha filha Lola. Que Deus lhe dê muita luz, sabedoria e força em sua missão. Que todos permaneçam sob as bênçãos do Pai, do Filho e do Divino Espírito Santo. A quem me ofertou estas flores tão lindas, Eu dou o meu Coração Imaculado de Mãe. Eis aqui a Mãe de Deus, a Serva do Senhor. (Nossa Senhora se prepara para a despedida, mas parece que deseja ficar mais um pouquinho entre nós, e continua a sua instrução, como Mãe Zelosa e Misericordiosa que é).

 Sempre que pedirmos a Jesus para nos abençoar e nos proteger, devemos colocar nosso coração em suas mãos misericordiosas. Isso é o que todos os aniversariantes devem fazer, em especial, os que estão aqui presentes. Coloquem-se e se entreguem ao Coração de Jesus Misericordioso, em especial, a Tereza Catarina, que Jesus faça de seu coração um coração sempre sereno. É essa paz que todos os filhos que estão aqui louvando e glorificando a Deus, em especial também o meu filho Nairdes, aqui presente, deve se colocar no Coração de Jesus. E todos aqueles que não estão aqui, mas que estão espiritualmente, devem proceder da mesma forma, como o Tiago, minha filha Vânia e minha filha Lola, que hoje pede uma bênção de libertação para todas as enfermidades do corpo e da alma. Então, coloquem-se sempre no Coração de Jesus Misericordioso e ele lhes dará a libertação trazendo para vocês a cura e a libertação de todos os males do corpo e da alma. Deus me chama, e eis aqui sua Serva, Maria! . (22 de setembro de 2011— quinta feira – 20h30 — capela pequena).

 Nem o desespero irá nos separar do amor de Deus. Nestes finais de tempos temos muito desespero, muita procura, muita necessidade,
mas Jesus Misericordioso — pacífico, manso, humilde e sereno
 — vem nos ensinar que não precisamos nos desesperar,
nem nos preocupar tanto com os desastres temporais.
O que realmente precisamos é de ter uma vivência
diária de oração e da Presença de Deus em
nosso coração através da Eucaristia.

A santidade ao nosso alcance

Naquele dia, 18 de outubro de 2011, uma terça feira chuvosa à noite, ao chegar à capela pequena do Vale (às 20h10), senti um aroma diferente no ar. Percebi uma vibração mais forte no coração das pessoas. Parece que todos cantavam com um vigor diferente, embalados por uma energia incomum. Pairava no ar uma alegria sobrenatural que nos inebriava e nos convidava a louvar sem cessar. Pensei, então: assim deve ser o Céu. Louvar sem cessar. Alegria perene. Êxtase constante. Presença na Presença Eterna. Pensamento no bem. Escrevi rápido em meu caderno: “Que glória! Que alegria! Que felicidade! Mãe querida. Mãe amada. Obrigado. Mil vezes obrigado por ter me convidado para fazer parte desta obra maravilhosa. Mãe, como sou feliz ao seu lado! ”.

Levantei-me, viu até a Marilda. Solicitei-lhe que pedisse a Nossa Senhora para discorrer um pouco sobre São Lucas, o evangelista grego, pois naquele dia se comemorava a memória desse santo incomum. Afinal, ele, que não era israelita, foi o que mais escreveu sobre Maria. Não acreditava em Deus, mas depois de sua conversão, entregou-se totalmente a Ele. Não só escreveu um dos Evangelhos, mas também o livro Atos dos apóstolos. Sua presença na Bíblia, o livro dos livros, é marcante. Conviveu com São Paulo e foi o seu apoio nas horas mais difíceis daquele apóstolo. Era médico e fazia milagres extraordinários. Marilda me revelou que conhecia pouco sobre aquele santo, mas que, sim, faria o pedido a Nossa Senhora.   

Enquanto isso, o louvor continuava e a assembléia de fiéis cantava. “Invocamos o seu Nome. Invocamos o seu Poder. Invocamos a sua Presença no meio de nós. Manifesta Senhor o seu Poder. Manifesta Senhor a sua Glória! Manifesta Senhor neste lugar o seu grande Amor. Com prodígios, milagres, sinais”. E, era justamente isso que estava acontecendo dentro do coração de cada um de nós: prodígios, milagres, sinais. Sim, Cristo quer fazer em mim uma obra nova. Sim, Ele quer modificar o meu coração. De fato, o meu coração já estava transformado. O simples fato de adentrar na capela, já tinha alterado o meu estado para níveis sobrenaturais de alegria. Enfim, no ar só se podia respirar entusiasmo, vontade de viver, alegria de ser. Que glória! Maravilha das maravilhas! Escrevi com entusiasmo redobrado: “Mãezinha do Céu, que honra indizível é estar em sua Magnífica Presença. Mãezinha, você que estava aos pés da cruz, há tantos séculos, é a mesma que, em poucos momentos, estará aqui conosco, nos trazendo a Palavra, a Única Palavra, a Palavra Total, que nos alimenta, nos fortalece, nos arrebata ao mais alto dos Céus. Mãe querida! Meu coração arde de amor por você e se eu partir agora para perto de você, irei feliz, porque eu lhe conheço. Obrigado Mãe por dar-se a conhecer a nós de forma tão íntima, tão cristalina. Conhecer você tem sido a maior aventura de minha vida. Uma aventura que jamais terá fim, pois, vai continuar aí, no Céu, bem pertinho de você. Vem Mãezinha, vem com toda a força e nos leve a todos para o Céu, agora. Ave Maria! Senhora de Piedade. Senhora Nossa!” E Ela apareceu — exatamente às 20h26. Procurei anotar em meu caderno cada suspiro Dela.

“Queridos e amados filhos! Com grande carinho e, em especial, nesta noite, devemos procurar sentir o carinho do Céu por nós e colocar esse carinho nos nossos filhos.  As dificuldades que o mundo vive são devido à falta de carinho, de amor, de escuta, de humildade, de sabedoria.  Precisamos nos envolver totalmente com o Espírito Santo. Cada um tem o seu sofrimento que pode ser material ou espiritual ou até mesmo devido aos desastres temporais. Mas, ao escutarmos o Céu devemos refletir em primeiro lugar sobre a alegria. Pois é justamente a alegria que nos traz força. (Eu já tinha percebido essa alegria no ar ao chegar à capela). Nossa força, cura e boa vontade são frutos da alegria, do carinho, da ternura.

O coração de São Lucas buscava o pensamento do bem, por isso o milagre se realizava na vida dele e na de todos à sua volta. A pessoa não pode viver amargurada. O Santo Evangelho é alimento. A ternura do Evangelho foi levada a São Lucas devido a entrega que ele teve. Ele teve condições de ser um canal para que o Céu se manifestasse. Vamos refletir como São Lucas e nos entregarmos ao propósito de melhorar o mundo.

Ele teve conflitos até aceitar a sua missão. A santidade dele era grande, mas ele quis negá-la. Teve o dom de ser uma pessoa que trouxe força e luz para o mundo. Assim também, hoje temos pessoas com coragem para lutar e dar exemplo. São essas pessoas que conseguem ver, mesmo em um mundo de lágrimas, gotas de alegria. E são essas gotas de alegria que contem o poder de cura e libertação. São Lucas viu a graça de Deus se realizar no coração das pessoas.

“Você que hoje caminha e chora, se não colocar seu coração e seu pensamento em Deus, vai afundar na lama da decepção. Pois, as pessoas têm tudo e não valorizam. Você pode chegar aqui e pedir tudo, mas primeiro deve agradecer por ser uma pessoa vitoriosa. É vitorioso todo aquele que consegue chegar até aqui para receber este alimento espiritual. (Pensei: é uma graça sobrenatural estar aqui ao lado Dela, me alimentando com o pão, o leite e o mel vindos direto do Paraíso). Peço que aceitem o irmão como ele é. Há pessoas que têm dificuldade em aceitar os outros, mas Jesus amou cada um de nós e, por isso, nos fez santos. Deus detesta o pecado. O ser humano tem que renunciar ao pecado. Lembre-se de Jesus na pessoa de seu próximo e, assim, será mais fácil amá-lo. Jesus nos mostra o que São Lucas viveu, isto é, o pensamento focado nas coisas boas. Você deve fazer o mesmo, principalmente, quando tem um dom especial, uma missão única. Pense sempre na benção que é o amor de Deus por você. Coloque amor em tudo que fizer e São Lucas vai lhe abençoar muito.  O Santo Evangelho é a vivência do amor daqueles que se entregam a Deus. Tudo que é de Deus tem que ser doado aos outros, pois quanto mais você doa, mais recebe. Deus nos dá tudo. E, não existe maior tesouro do que uma noite como esta. (Eu considero estes momentos de mensagem a maior riqueza de minha vida). É nestes momentos que estamos construindo um Brasil melhor e um mundo melhor. Não há dinheiro no mundo que possa proporcionar-lhe graça como a que está recebendo aqui agora. Agradeça por esta comunidade e verá somente alegria. Faça o bem. São Lucas se despertou para a bondade celestial em sua vida. Depois disso não mais deixou de viver a graça. Estamos nos finais dos tempos, no tempo da Misericórdia Divina”.

Ela nos abençoou. Em geral durante essa bênção, fazemos nossos pedidos. Mas naquele dia eu tinha só a agradecer. Fiquei muito comovido com a doçura de Maria, ao atender, com tamanha alegria, ao pedido de que eu lhe tinha feito, para falar um pouco de São Lucas, santo pelo qual tenho especial admiração. Ela não só atendeu ao meu pedido. Praticamente dedicou toda a mensagem a esse magnífico santo, nos exortando a seguir o seu exemplo de doação, entrega e santidade. No meu caderno escrevi apenas: Só desejo lhe agradecer, Minha Mãe. Você é genial! Obrigado por falar de São Lucas. É só graça, graça em abundância. Depois da bênção, Ela retornou e resumiu a mensagem dizendo que precisamos viver as coisas do bem. Exortou-nos a viver a santidade, nos entregarmos a essa tarefa de sermos santos para sermos vitoriosos nestes finais de tempos. Pediu oração e silêncio para que possamos transformar tudo aquilo que não podemos compreender. E se despediu desejando que o amor do Pai, do Filho e do Espírito Santo ficasse para sempre em nosso coração, em nossa alma e em nossa vida. A mensagem foi concluída às 20h40, perfazendo uma aula magistral de quatorze minutos.

Quanto conhecimento e sabedoria podem ser passados em apenas quatorze minutos! Realmente, não existe dinheiro nenhum no mundo que possa pagar por essa experiência que acabávamos de ter. O Céu veio até nós, sim, em uma capelinha singela, para falar com pessoas simples. Veio para entregar o maior tesouro aos mais pequeninos. Um tesouro que só os pequeninos podem receber. Somente aqueles humildes e mansos de coração acolhem a Palavra. E, por isso mesmo, Ela só se manifesta aos que, com humildade e sinceridade, se apresentam para ouvi-la e vivê-la. Foi por isso que, quando Jesus nasceu, em um estábulo, no meio dos animais, os Anjos cantaram no Céu: “Glória a Deus nas alturas e paz na terra aos homens e mulheres de boa vontade”. Somente os de boa vontade conseguem ouvir e praticar a Palavra, por isso ela se manifesta em lugares tão simples, tão humildes. Isso não diminui em nada a grandeza da mensagem, pelo contrário, aumenta seu valor e magnifica tudo aquilo que acabamos de ouvir. Faz com que tenha um sabor de terra, de húmus, de humildade. Se Jesus preferiu o campo para vir ao mundo, porque sua Mãe seria diferente? Ela também, como Jesus, escolheu o campo, as terras da Fazenda Barro Vermelho para trazer para a humanidade, a manifestação mais sublime de todos os tempos depois da primeira vinda de Jesus. Aqui, Ela insiste, nos preparamos para a segunda vinda de Jesus. Vamos, então, nos preparar com afinco, pois já vivemos, como Ela nos alerta com freqüência, os finais dos tempos. Portanto, enquanto ainda há tempo e Misericórdia, vamos nos entregar à gloriosa tarefa de conquistar, custe o que custar, a tão almejada santidade!

 

 Jesus nos mostra o que São Lucas viveu, isto é, o pensamento focado nas coisas boas. Você deve fazer o mesmo, principalmente, quando
tem um dom especial, uma missão única. Pense sempre na benção
que é o amor de Deus por você. Coloque amor em tudo que
fizer e São Lucas vai lhe abençoar muito.  O Santo
Evangelho é a vivência do amor daqueles que se
entregam a Deus. Tudo que é de Deus tem
que ser doado aos outros, pois quanto
mais você doa, mais recebe.

 

 

 

 

 

  

 

 

 

  

.

 

Perdão, fé e silêncio

Queridos e amados filhos! No silêncio, Deus está presente no coração de cada um de vocês que neste momento se unem à grandeza divina que é o Pai, o Filho e o Espírito Santo, a Santíssima Trindade, e suplicam pela paz, pela conversão, pela transformação, pela cura e pela libertação de todos que precisam de Jesus. No silêncio, nós vamos refletir. Qual é o coração que não precisa de Jesus? Todos precisam. Por mais incrédula que seja a pessoa, ela precisa de Jesus. Em especial, neste momento em que a humanidade sofre tanto, em que há tanta dor e tanto sofrimento. Há uma enorme necessidade de perdão. Quando você encontra à sua frente uma armadilha do demônio, tão grande que até acha que ela é maior do que a sua força, a sua fé, a sua confiança. Você se vê pequeno porque é seduzido por algo que parece ser maior que a sua fé. Uma das coisas que a humanidade mais precisa trabalhar é o perdão. Muitas vezes você não sabe perdoar o sofrimento e a dor que vivencia. O ser humano quer ter um alvo de culpa. Mas se ele não perdoar, sempre, sempre, sentirá a mesma dor, a mesma culpa. Não adianta lançar sua cruz, sua provação, sua dificuldade sobre o outro. É preciso que, no silêncio, você se encontre e reconheça a sua própria necessidade de conversão. Assim como você, ao se lançar nos braços de Jesus, reconhece sua grandeza espiritual, é também nos braços de Jesus que vai adquirir a força para reconhecer a sua fraqueza e depois construir uma vida nova.

Fazer isso não é difícil, filhos! Não é difícil para quem tem boa vontade, para quem tem uma fé alicerçada na rocha. Nossa fé deve ter como fundamento Jesus. Jesus não é como a areia. A casa construída sobre a areia, qualquer vento derruba. A nossa fé precisa ser como a rocha. Pode vir a tempestade que seja, que Jesus vai estar ali para ajudar você. Nesta noite, quantas famílias choram pelas perdas, ou quantas são as famílias que choram de alegria pelo nascimento de um filho? Quantos são os pais que choram pelos filhos caídos nas drogas, nos pecados, mas quantos são os pais que se alegram por uma vocação sábia de seus filhos? Por uma verdadeira entrega de seus filhos? Por uma doação de coração? É nos braços de Jesus Cristo que iremos alicerçar a nossa vida. É nos braços de Jesus que encontraremos a Misericórdia, fonte de luz, porque o mundo está nas trevas. O tempo de Deus é diferente do tempo dos homens. As pessoas querem tudo rapidamente. A humanidade se alicerça mais na vida da passagem, mas se fizerem uma reflexão, a vida nesta passagem terrestre é rápida. Uma criança que nasce hoje, rapidamente se torna um jovem, mas o alicerce da espiritualidade, não é como a passagem, mas é eterno. Nós devemos refletir sobre a unção que Deus coloca no coração de uma pessoa ainda criança. E depois no coração da pessoa que já atingiu a idade adulta. A graça de Deus é plena, por isso Jesus disse que tudo passa, menos a palavra. Os dias passam, as noites passam, mas as palavras permanecem. Quanto a Palavra de Deus, mais do que permanece, pois nos fortalece, nos alimenta e nos conduz a uma direção sábia para o que realmente precisamos: uma vida mais digna, mais correta, mais pura, mais limpa. Precisamos de uma vida que tenha mais brilho e mais bem aventurança.

As pessoas vivem tão apagadas diante de seu sofrimento porque não sabem pedir perdão a Deus e buscar uma vida nova. Não sabem reconhecer suas culpas e pedir a Jesus que as cure. Foi por isso Jesus disse que quando você vier à fonte deve beber da água e lavar o rosto, purificar-se por inteiro (é o que fazemos quando vamos até à fonte de água do Vale). Quando Jesus nos traz a vivência da Palavra, principalmente quando se refere à família, Ele ensina que devemos ser uma aliança. Jamais poderemos nos dividir. Se quisermos ser fortes, temos que ser uns pelos outros, uma família na qual cada um assume a sua responsabilidade.  O homem não pode deixar de cumprir a sua responsabilidade como pai e a mulher, como mãe. A mulher sozinha não pode realizar os dois conteúdos, ser pai e mãe. Nos dias de hoje, pela Misericórdia, vemos mulheres que são tão fortes que conseguem ajudar seus filhos, pois muitos pais não têm a coragem de assumir esse compromisso. Vemos também muitos homens assumindo uma responsabilidade que as mães não assumiram. Se a Misericórdia Divina não nos for concedida, ninguém se sustenta, todos vão ao chão, principalmente a família. É por isso que Jesus nos ensina aqui a viver a unidade, a união. Talvez hoje olhem dentro desta capela e vejam o sentido de uma família: crianças, jovens, pais, mães, missionários. Aqui vêem tantas crianças que são conduzidas por uma família que tem um só objetivo: ser exemplo de amor, dando amor. O maior exemplo é aquele que você dá. O maior testemunho é o de vida. O maior sinal é Jesus em nós e o maior mistério de Deus é realizado em nós pela fé. Se tivermos fé acreditamos no Cordeiro de Deus, na Eucaristia, no Santíssimo Sacramento, e acreditamos em nossas famílias. Acreditamos na santidade de nossos jovens e de nossas crianças. Mas se não tivermos fé, ficaremos sem direção. O mundo perdeu o norte. As pessoas não têm mais consciência do que seja perdoar e se arrepender pelas suas culpas. Foi por isso que no inicio desta mensagem, Jesus nos fez ir bem ao íntimo de nosso coração e enxergar a necessidade que temos de perdão, de reconhecer a culpa e de buscar, de fato, uma vida nova.

Meus filhos! Como Mãe, Eu lhes faço um apelo: não percam o tempo da vida de vocês, tão precioso! Não percam esse tempo. Se perderem esse tempo, estarão perdendo o maior privilégio da vida que é viver a paz nestes tempos de sofrimento. Só os que vivem no alicerce de Jesus Misericordioso conseguem permanecer firmes na fé e vencer as enormes armadilhas, que se tornam cada vez maiores. Essas armadilhas são colocadas na vida dos filhos de Deus. Tenha coragem, fé e silêncio. Para caminharmos ao encontro de Jesus, necessitamos dessas três ricas bênçãos. Por isso, com grande amor, Eu quero neste momento, abençoar-lhes.  (Momento da bênção. Todos cantam: “Dai-nos a bênção, Mãe de Bondade, Nossa Senhora de Piedade”).

Queridos e amados filhos! Eu abençoei carinhosamente a todos os filhos. Fiquei imensamente feliz com a união dos filhos, dos filhos que estão aqui presentes. A mensagem foi importante para a vivência da cura e da libertação. Só alcança a graça de Deus, a pessoa que tem fome de Deus, a pessoa que tem sede de Deus. Quem tem fome e sede de Deus, luta, buscando o perdão,  vencendo todas as fragilidades. As pessoas carregam uma grande culpa devido ao mau exemplo dos pais, das mães, devido à má formação familiar. O que Jesus Cristo quer é restaurar, curar e libertar a todas as famílias. Ele deseja curar a mágoa, a falta de perdão, a falta de união, a falta de diálogo, e nos alertar para a importância de abrir o nosso coração. Quando você abre seu coração, é como você abrir a porta de sua casa com alegria, para receber com felicidade ao seu próximo. Abrir seu coração é receber Jesus com alegria, é ser feliz ao saber que Jesus também vai se abrir inteiramente ao seu coração e conceder-lhe a graça da perseverança, da fé, da caridade, da humildade, do silêncio! Isso é necessário para que você possa estar no caminho de Deus, vivenciando esta grande missão que é ser servo do Senhor. Abençoei com carinho a minha filha Zilda. Ela precisa tanto da luz de Deus neste momento de entrega, de confiança, de acreditar no mistério de Deus, realizado em seu coração pela fé. Jesus disse que podemos passar por grandes sofrimentos, mas se tivermos fé, venceremos. Parabenizo também a minha filha Mercedes e ao meu filho Luiz pelos anos de união matrimonial. Que Deus abençoe a essa família. Abençôo a todos aqueles que estão pedindo força a Deus nesta noite de hoje para suportar uma grande perda. Ao mesmo tempo devem agradecer a Deus por acreditarem na Vida Eterna, na Ressurreição. A todos Eu desejo muita paz e que permaneçam sob as bênçãos do Pai, do Filho e do Divino Espírito Santo. As flores mais lindas de meu jardim são vocês. A quem me ofertaram estas lindas flores, eu ofereço o meu coração. Deus me chama, e eis aqui a Serva do Senhor. (02 de agosto de 2011— terça feira – 20h30 — capela pequena).

 

 

 O que Jesus Cristo quer é restaurar, curar e libertar a todas as
 famílias. Ele deseja curar a mágoa, a falta de perdão, a falta de
união, a falta de diálogo, e nos alertar para a importância de abrir
o nosso coração. Quando você abre seu coração, é como
você abrir a porta de sua casa com alegria, para
receber com felicidade ao seu próximo.

 

 

 

 

 

Caminhando com Maria

Patos de Minas é uma das cidades que mais envia romeiros ao Vale. Praticamente não existe uma festa, uma comemoração da comunidade fraterna, sem a presença de um ônibus repleto de peregrinos dessa encantadora cidade. Talvez não seja por coincidência que recebemos um convite da maior autoridade local para ministrar palestras para os servidores públicos. A pedido da prefeita, Béia Savassi, Marilda e eu participamos como palestrantes na Semana do Servidor Público Municipal. Estivemos na cidade do dia 02 de novembro (quarta-feira) ao dia 04 (sexta-feira) (2011).  Marilda falou, no dia 04, sobre espiritualidade nas organizações e eu (no dia 03) sobre inteligência emocional. Em sua palestra, Marilda enfatizou a importância da família e fez um paralelo entre a vida no lar e o convívio em uma organização como a prefeitura. Destacou as diversas cobranças tanto em casa, quanto no trabalho e ofereceu um caminho: Jesus! Ele é a nossa fonte de espiritualidade diante de um mundo insatisfeito. Baseando-se em sua própria experiência missionária, mencionou o índice alarmante de separações, depressões e suicídios. Falou de sua vivência no Vale da Imaculada Conceição e como depende da entrega de várias pessoas para que as crianças e os idosos sejam bem cuidados. Se não fosse o zelo espiritual de vários moradores do Vale, a obra de amor que aqui se realiza  não seria possível. Portanto, ressaltou Marilda, a nossa verdade é Jesus. E, no Vale, quem nos traz a palavra do Mestre dos Mestres é a sua Divina Mãe, Maria. A fundamentação da comunidade fraterna que habita no Vale é espiritual, daí a sua força. De acordo com Marilda, é importante que as organizações dêem tanto valor ao seu público interno, quanto dá aos seus clientes externos. Essa valorização que brota do foco na espiritualidade facilita o desenvolvimento de lideranças que conseguem motivar seus colaboradores a conquistarem níveis cada vez mais elevados de excelência no serviço a seus semelhantes.

Em minha palestra, na noite do dia 03 (quinta feira), falei sobre a importância de entendermos melhor nossas emoções. Em geral, permitimos que nossas emoções dancem ao sabor de estímulos externos, tais como, o que os outros pensam de nós, o que estão dizendo, se faz sol ou chuva, da situação política e econômica. Mas, se quisermos, podemos fazer com que as nossas respostas sejam mais orientadas pelos nossos valores pessoais do que pelo que está acontecendo do lado de fora. Sugeri durante a palestra que a resposta que produz os melhores resultados é sempre a do amor. Amor significa paciência, compreensão e, em última análise, aceitação dos outros como eles são e não como queremos que eles sejam. Expliquei que quando alguém nos ataca, lá no fundo, a pessoa está pedindo socorro. Para que o ataque seja esvaziado é aconselhável que a nossa resposta única seja o amor, a paciência, a vontade de compreender ao agressor. Para que isso aconteça é necessário cultivar um estilo de vida focado no serviço aos semelhantes. A exemplo de Jesus devemos responder ao ataque com amor, ternura e perdão. Somente assim estaremos contribuindo para a construção, não só de organizações mais sadias e produtivas, mas também de um mundo mais solidário e muito mais feliz. 

Durante nossa visita a Patos de Minas também recebemos o convite de Escolástica Nunes para ministrar palestras em sua residência. No dia 02 de novembro (quarta feira—dia de finados) falei sobre a importância do silêncio para o cultivo de nossa espiritualidade para um público de aproximadamente 600 pessoas. E, Nossa Senhora, através de sua porta voz, Marilda, nos presenteou com uma belíssima lição de vida. Como faço aqui no Vale, lá também levei o meu caderno e anotei os pontos principais abordados naquela aparição. Maria Santíssima nos passou as seguintes palavras de amor: “Queridos e amados filhos! É grande a graça e o amor de Deus sobre nós neste momento que o Céu nos concede a vivência da espiritualidade que é a vivência da Presença do Divino Espírito Santo em nosso coração (Nossa Senhora iniciou a sua mensagem dando ênfase à espiritualidade, que também foi o tema da palestra de Marilda na prefeitura). Entregamos a Deus todos os corações aqui presentes e suplicamos a intercessão das santas almas, pois aqueles que acreditam em Deus e o amam, também acreditam na Vida Eterna.

A vida aqui passa. Aqui você nasce, cresce e se torna adulto, sente esta passagem. Mas, Jesus nos ensina e nos faz vivenciar uma missão que vai além desta breve passagem. Mais ainda, Ele se transformou em Alimento de Vida Eterna. As pessoas de fé acreditam na ressurreição e na Vida Eterna. Procure, portanto, meditar sobre os que agora já passaram pela vivência do mistério da morte.

“Os corações que se despedem de seus entes queridos choram, sofrem e imploram por misericórdia. O sofrimento é grande. Por isso, precisamos da Misericórdia de Jesus que é a ressurreição e a vida. Então, em vez da tristeza, vamos hoje falar das coisas boas e vamos vivenciar a bondade do Pai. A Igreja vive a proteção dos santos e dos anjos, por isso, devemos viver em constante agradecimento pelo amor que Deus tem por nós. Deus vai consolar você. Deus é o seu conforto. Ele toma você nos braços e faz com que você consiga enfrentar as tempestades. Para vencer o mundo é preciso coragem! É preciso coragem para enfrentar o que nos impede de escutar o Céu. De fato, a única coisa que permanece é o amor (Maria Santíssima, a encarnação da sabedoria, se antecipa à minha palestra na prefeitura e reforça a idéia de que a nossa única resposta deve ser sempre o amor!). Em vez de tristeza, pense no amor das almas que já partiram.

No silêncio de seu coração, abrace a Misericórdia de Deus que consegue realizar o impossível. Peça força, fé e coragem. Louve e agradeça a Deus e pense em sua alma, pura, leve e suave. Seja uma alma que louva a Deus pela família que Ele lhe deu. Agradeça a Deus pelas almas que já vivenciaram esta passagem. Agradeça pelo amor de sua mãe, de seu pai. O amor dos pais é um amor sem cobrança, como é o amor de Deus. Vamos vivenciar a coragem de Jesus. Chega de tanta tristeza. Deus é pai! Deus existe!

“O amor de Deus se reflete em sua família. Abandone a tristeza, a amargura e o desespero. Seja responsável, pois você colhe o que planta. Plante sempre coisas boas, como as que estamos plantando aqui hoje, para que possa também colher coisas boas. Desejo que o Céu lhes traga muita unção neste dia santo, dia das almas santas. Lembre-se de seus tesouros, seu pai, sua mãe, sua família, sua comunidade, sua nação, sua fé e sua esperança. Valorize esta fraternidade que nos torna uma família privilegiada. Que o Senhor faça em nossa vida a Sua santa vontade e que todos permaneçam na paz de Deus Pai, Filho e Espírito Santo. Confie que Jesus vai conceder a cada um de vocês fé, sabedoria e amor. Que Deus os abençoe e que as santas almas protejam a alma e o coração de cada um de vocês. Deus me chama, e eis aqui a Sua Serva, Maria!”

Após a mensagem, Marilda disse que Nossa Senhora se apresentou jovem e bela com um semblante sereno, nem triste, nem alegre. Seu terço brilhava mais na cor dourada (há mensagens em que o terço brilha mais na cor prata). Marilda sugeriu que fizéssemos silêncio para refletir sobre a essência de nossa vida. Deu o exemplo de Nossa Senhora que soube plantar o silêncio em sua alma. Embora Ela, a Rainha do Céu e da terra, se apresente com o semblante de uma jovem, somos todos crianças perto Dela, pois ela contém a sabedoria das eras. Marilda também mencionou o fato de Patos de Minas ser uma cidade especial devido a devoção que o povo tem a Nossa Senhora e que talvez tenha sido por isso que Maria Santíssima a tenha conduzido até lá em um dia tão importante quanto o feriado de finados. De acordo com ela, temos medo do desconhecido, daí advém o pavor que temos da morte. Mas a nossa sustentação é a fé em Jesus, na ressurreição e na vida.

Nessa convivência de 24 anos com Maria, disse que aprendeu a ter coragem e a encarar os desafios de frente. Mencionou que o demônio persegue àqueles que estão com Deus, não os que já estão sob suas garras. Assim quando se abraça a missão de evangelizar é preciso que sejamos como um soldado de Deus, cuja entrega deve ser total. Como seu modelo de entrega, citou Maria, cheia de graça, a pessoa que o demônio mais odeia. Isso porque Maria Santíssima acende em nós o milagre da fé, o milagre da vida. Ela nos ensinou que precisamos acreditar no Céu! Ensinou-nos que a nossa essência é Deus!

“Foi através dos ensinamentos de Maria, disse Marilda, que ela aprendeu a ver a Presença de Deus em cada pessoa. Estamos nos tempos de Maria que tem pelo Brasil um carinho todo especial, tanto que esta Terra de Santa Cruz abriga um dos maiores santuários do mundo, o de Aparecida. A Nossa Mãe do Céu nos tem passado lições preciosas no Vale e nos inspira a sermos cada dia mais fiéis e responsáveis. Como diz o hino, perfeito é Quem nos criou e perfeita é a Mãe de Deus em nossa vida. Marilda declarou o seu desejo de ser aquilo que Deus quer. E que, sem Maria, não seremos aquilo que Jesus quer que todos nós sejamos, isto é, felizes! Alertou para as notícias alarmistas do fim do mundo, dizendo que Nossa Senhora nos diz que estamos, sim, no fim da maldade no mundo, mas não no fim do planeta. Abra seu coração para o Céu e silencie. O silêncio nos faz conhecer a nós mesmos. O agito faz com que a gente não tenha paciência para escutar as pessoas mais próximas e mais queridas. Se Deus pode se manifestar constantemente na natureza, porque não poderia se manifestar em seus filhos e filhas? Deus quer falar conosco, mas nós queremos falar primeiro. Se tivermos o recolhimento para escutar ao Nosso Pai iremos ver que o Seu único desejo é a nossa felicidade. Marilda sugeriu que devemos seguir o exemplo dos santos e acreditar na Vida Eterna. Disse: “Viva agradecendo a Deus, pois Ele nos deu, já aqui na terra, a vivência do Céu. Vamos sempre louvar e agradecer a Deus!”

 

 

Para vencer o mundo é preciso coragem! É preciso coragem para enfrentar o que nos impede de escutar o Céu. De fato, a única coisa
que  permanece é o amor. Em vez de tristeza, pense no amor das
almas que já partiram. No silêncio de seu coração, abrace a
Misericórdia de Deus que consegue realizar o impossível.
Peça força, fé e coragem. Louve e agradeça a Deus
e pense em sua alma, pura, leve e suave.

 

 

 

 

 

Viva agradecendo a Deus

Além das mensagens, Nossa Senhora nos encaminha na oração da manhã, textos que reforçam e aprofundam a nossa experiência de um Deus que é antes de tudo Pai! Na manhã do dia 09 de novembro de 2011, quarta feira, refletimos sobre o seguinte texto: “A esperança do injusto é como palha arrebatada pelo vento, como leve espuma que a tempestade levanta. Esperança que se desfaz como fumaça espalhada pelo vento, e é fugaz como a lembrança do hóspede de um dia. Os justos, porém, vivem para sempre, recebem do Senhor a recompensa, e o Altíssimo cuida deles. Por isso, receberão das mãos do Senhor a gloriosa coroa real e o diadema do esplendor, porque ele os protegerá com a mão direita e os cobrirá com o seu braço, como escudo” (Sabedoria 5, 14-16).

À noite, naquela quarta feira, Ela veio do Céu e nos revelou: “No silêncio desta noite, o Céu nos traz a mais linda virtude que é a bênção de saber ouvir, escutar, sentir e vivenciar toda a Misericórdia Divina, derramada sobre nosso coração e no coração de nossa família fraterna, que precisa do amor e da bondade de Deus. Deus é misericórdia, mas também é justiça. Todo aquele que crê e vivência o amor também vivencia a justiça. Para isso é preciso que peçamos por sabedoria, entendimento, discernimento, pois, só assim aprenderemos a fazer tudo conforme o Céu nos pede. O Céu nos pede humildade, simplicidade, obediência e fé”. Enquanto o livro da sabedoria nos diz que a esperança do injusto é fugaz,  Maria garante que, para vivenciar a justiça, é preciso que acreditemos em Deus e que vivenciemos o seu amor. Isso nos leva a concluir que o amor de Deus é tão imenso e soberano que ele se orienta tanto pela misericórdia, quanto pela justiça. Mais ainda, sua misericórdia é de tal magnitude que, Ele para ampliá-la ainda mais, usa da justiça. O que é justiça? É a resposta de Deus a cada pessoa conforme as suas obras. Repetindo o que disse o livro da sabedoria: “A esperança do injusto é como palha arrebatada pelo vento, como leve espuma que a tempestade levanta. Esperança que se desfaz como fumaça espalhada pelo vento, e é fugaz como a lembrança do hóspede de um dia. Os justos, porém, vivem para sempre, recebem do Senhor a recompensa, e o Altíssimo cuida deles. Por isso, receberão das mãos do Senhor a gloriosa coroa real e o diadema do esplendor, porque ele os protegerá com a mão direita e os cobrirá com o seu braço, como escudo” (Sabedoria 5, 14-15). Portanto, quanto mais nos aprofundamos na didática de nossa Divina Professora, mais nos admiramos com a sua infinita sabedoria. Ela nos conduz com uma mão suave e também firme. Ela repente de uma e de várias formas a mesma lição. Dá exemplos, nos convida à ler as Sagradas Escrituras. Mostra-nos as passagem da vida de Seu Filho, o exemplo que devemos seguir. O aprendizado no Vale me faz lembrar aquele ditado popular: “água mole em pedra dura, tanto bate até que fura”. Para confirmar que é assim Ela disse no dia 14 de novembro de 2011, uma segunda feira, às 20h13, na capela pequena: “Se você se doasse mais, o Céu não precisaria insistir tanto. Evite o orgulho, evite o seu lado pecador, seja forte e corajoso. Seja transparente e seja feliz. Quando você permite que a graça de Deus aconteça em sua vida, e cumpre com a sua missão, então experimenta a felicidade. É o amor de Deus que vai transformar a todos nós e a todos os filhos ”.

E, no dia 09, uma quarta feira, Ela disse: “Quando Jesus caminha conosco, Ele nos ensina a vencer através de seu exemplo de humildade. Neste ano do silêncio (2011), aprendemos a ser humildes. Há tantas almas bondosas que nos rodeiam, mas também tanto orgulho humano à nossa volta. Enfrentamos as batalhas com a oração. A oração sempre vence a grande batalha. Quando estamos de frente a uma jornada pesada nos lembramos de Jesus quando carregou a cruz para o calvário. Ele fez silêncio e se entregou. Mas a humanidade está vazia. Eu venho como Mãe e vocês vêm Me escutar com entrega, amor, humildade, simplicidade e obediência. Vamos assim fortalecer o sinal de Deus em nossa vida nestes tempos que antecedem ao Natal. A nossa entrega é importante. Quem faz a vontade de Deus pode até sofrer, mas será feliz. E, quem faz o que o mundo pede, pode até pensar que é feliz, mas vai sofrer. O essencial é que nos coloquemos como almas dignas de Deus. Temos que ser dignos e profetizar o amor de Deus e amá-lo de todo coração. A maior riqueza da vida é amar a Deus e agradecer por ter-nos feito dignos de estar aqui para ouvi-lo. Estar aqui é como receber a Eucaristia, momento em que Jesus entra em seu coração, nele habita e nele reina para sempre!”. Inúmeras vezes, Maria, a Mestra Sagrada, compara a Palavra com a Eucaristia. Ser convidado para estar aqui e ouvir a Palavra é como o convite de Deus para que participemos do Banquete do Cordeiro. Para chegar a ter esse privilégio, Ela nos orienta a cultivar virtudes essenciais.

“A nossa caminhada deve ser digna, orientada pela simplicidade, pela humildade, pela fé, pela oração e pela acolhida. Temos que acolher para ser acolhidos (aqui estamos sendo acolhidos pela Palavra e quando chegam os romeiros, nós devemos acolhê-los assim como a Palavra nos acolhe—o acolhimento, portanto, é parte fundamental de nosso aprendizado de amor). A Misericórdia Divina é o que, de fato, nos sustenta e que nos dá coragem, força e fé para evitar que o demônio zombe de nós.

Seja transparente, seja sensato, seja prudente, para evitar as armadilhas do demônio. Se conduza para uma vida de mais santidade, mais temor e mais respeito a Deus. Se desobedecer a Deus, vai sofrer. Mesmo que seja criticado pelo mundo, para servi a Deus, você deve ser autêntico e verdadeiro, sem mentira. Pois já estamos vivendo no tempo da transparência”.

Este é o tempo no qual Jesus disse que nada ficaria escondido. Tudo seria revelado. De fato, a podridão dos governos está sendo revelada ao mundo através do site www.weakleaks.com. A corrupção está sendo desmascarada tanto no Brasil quanto no resto do planeta. A melhor opção para a condução de nossa vida foi sempre a sinceridade e a honestidade e agora é a única. O que fazemos pode ser conhecido por quem desejar saber. Através da internet e do Google, as informações mais diversas, aparecem num instante. Incrível, nada fica encoberto por muito tempo. “Tenha consciência de seus atos que têm que ser de bondade e misericórdia. Há enormes sofrimentos no mundo, mas ainda são pequenos comparados com que há de vir. Por isso, é preciso mais preparação para o grande sofrimento. Parece até que a humanidade vive agora um sono profundo. Siga os mandamentos e tenha uma vida transparente para evitar o demônio. Aqui é um lugar de proteção e bênçãos. Mesmo assim, até aqui há pessoas que se orientam mais pelos seus caprichos do que pelo Espírito Santo. Jesus nos chama à vivência do silêncio!” (09 de novembro de 2011 — quarta feira).

“Senhor, faze o bem ao teu servo, e eu viverei observando a tua palavra. Abre os meus olhos, para eu contemplar as maravilhas de tua vontade. Eu sou estrangeiro na terra, não escondas de mim os teus mandamentos. Minha alma se consome, desejando tuas normas todo o tempo. Tu ameaças os soberbos, os malditos que se desviam dos teus mandamentos. Retira de mim o ultraje e o desprezo, pois eu guardo os teus testemunhos. Os príncipes podem se reunir e falar contra mim, mas eu medito os teus estatutos. Teus testemunhos são minhas delícias, tuas leias são meus conselheiros” (Salmo 118 (119), 17-24). “Vou cantar o amor e a justiça. Para ti, Senhor, eu quero tocar. Vou andar na integridade: quando virás a mim? Andarei de coração íntegro dentro de minha casa. Não colocarei uma coisa infame diante de meus olhos. Eu odeio quem pratica o mal; esse nunca se juntará a mim. Longe de mim o coração pervertido. Eu ignoro o perverso. Quem difama seu próximo em segredo, eu o farei calar. Olhar altivo e coração orgulhoso, eu não suportarei. Meus olhos estão nos leais da terra, para que habitem comigo. Quem anda no caminho dos íntegros, esse será o meu ministro. Em minha casa não habitará quem pratica fraudes. Quem fala mentiras não permanecerá diante dos meus olhos. A cada manhã eu farei calar todos os injustos da terra, para extirpar da cidade do Senhor todos os malfeitores” (Salmo 100 (101), 1-8).

“Viva agradecendo a Deus, pois Ele nos deu, já aqui na terra, a vivência do Céu. Vamos sempre louvar e agradecer a Deus!”, disse Marilda em Patos de Minas (02 de novembro de 2011). Isaías há mais de 2.700 anos escreveu: “Levante-se Jerusalém! Brilhe, pois chegou a sua luz, a glória do Senhor brilha sobre você. Sim, há treva sobre a terra, névoas espessas envolvem os povos, mas sobre você brilha o Senhor e a luz de sua glória. Sob essa luz caminharão os povos, e os reis andarão ao brilho desse esplendor. Lance um olhar em volta e observe todos esses que ai se reúnem. Eles vieram  procurar você. Seus filhos vêm de longe, suas filhas vêm carregadas no colo. Então, basta ver, e seu rosto se iluminará, seu coração parecerá explodir de emoção, porque estarão lhe trazendo os tesouros de além-mar, estarão lhe chegando as riquezas das nações” (Isaías 60, 1-5) . E João, no Apocalipse, há cerca de 2.000, confirma: “Depois disso, um dos sete Anjos das sete taças cheias com as últimas pragas, veio até mim e disse: Venha! Vou lhe mostrar a esposa, a mulher do Cordeiro. Levou-me em espírito até um grande e alto monte. Mostrou para mim a Cidade Santa, Jerusalém que descia do Céu, de junto de Deus, com a glória de Deus. Seu esplendor é como de uma pedra preciosíssima, pedra de jaspe cristalino” (Apocalipse 21, 9-11).

“Celebrem ao Senhor, invoquem o seu nome, anunciem as suas façanhas entre os povos! Cantem para Ele, ao som de instrumentos, recitem suas maravilhas! Gloriem-se do seu nome santo, alegre-se o coração dos que buscam ao Senhor! Procurem ao Senhor e a sua força, busquem sempre a sua face. Recordem as maravilhas que Ele fez, os prodígios e as sentenças de sua boca. Descendência de Abraão, seu servo, filhos de Jacó, seu escolhido! Ele é o Senhor, nosso Deus, e Ele governa a terra inteira. Ele se lembra para sempre da sua aliança, da palavra empenhada por mil gerações” reza o Salmo 104 (105) (1-8). Não importa o tempo, a importância do agradecimento e do louvor, permanece. No Vale, em 20011, Nossa Senhora nos diz: “Como é grande o amor de Deus e somos felizes por poder vivenciar, respirar, e nos lapidar com esse amor. Vamos agradecer a Deus pela vida, pela fé, pela caridade e pela Sua linda Presença no meio de nós e em nosso coração. Vamos pedir a Misericórdia de Deus, Jesus, que nos acolha e nos conceda as graças que precisamos para a vida de oração. Peça pela paz no coração dos servos e servas de Jesus espalhados pela terra para que façam o bem, a justiça, para que promovam a paz e para que tenham constância na humildade. Que a paz esteja no coração de nossas crianças e de nossos jovens e que o mundo se uma mais por intermédio do coração de Jesus. Tenha coragem para evangelizar. Não é fácil. Quando desejamos fazer a vontade de Deus sofremos provações. O caminho do Céu é o da estrada difícil, não fácil. Sejamos perseverantes nessa estrada difícil, pois não existe missão fácil. A missão é a nossa entrega.

Se não se entregar não suporta os muitos ataques do demônio que chegam através dos próprios filhos de Deus que não estão em oração. Esses filhos estão se utilizando de caminhados errados e, por isso, atraem os sofrimentos. Aquele, porém, que segue o Céu é feliz mesmo o caminho não sendo fácil, porque tem paz.

“Muitos corações estão sem paz, por isso o Céu nos pede oração e busca das coisas de Deus. Procure os ensinamentos de Jesus. Siga o exemplo de Jesus e espalhe o silêncio deste ano (2011) que está acabando. O silêncio é a arma que nos defende do mal, principalmente da nossa própria língua que fala mal dos outros. Eu dou graças e louvores ao Senhor porque eu me vejo cercada do silêncio em todos os momentos de minha missão” (06 de novembro de 2011—domingo).  O agradecimento é uma constante nas palavras de Nossa Senhora. A gratidão é um dos maiores dons que recebemos de Deus. A vida mesma é uma graça que o Senhor nos concede. É a graça de poder servir cada vez mais e melhor. Como meu pai (Acácio Oliveira) gostava de dizer, “quem não vive para servir não serve para viver”. Um belo jogo de palavras que reflete uma profunda verdade.  À medida que a nossa gratidão aumenta, também aumenta nossa predisposição para o serviço desinteressado a nossos irmãos e irmãs. “Observe a natureza. Vai perceber que cresce e floresce no silêncio. Que seja assim também em sua vida. Silencie na provação, pois, mesmo quando enfrentamos a adversidade, o Céu mantém a alegria em nosso coração e consegue alegrar nossa alma. Por isso, a humanidade precisa se despertar para as sagradas e abençoadas coisas de Deus. Se entregue. Dê testemunho. Veja os frutos de seu exemplo. Um dos mais belos frutos é a conversão dos filhos de Deus”.

O que é conversão? É a transformação. Converter é transformar. No dicionário Aurélio está escrito: “Conduzir à religião que se julga ser a verdadeira. Fazer mudar de vida. Transformar uma coisa em outra de propriedade diferente ”. Nossa Senhora quer a conversão dos seus filhos e filhas. Acredito que Ela deseja uma mudança de vida, mais do que uma mudança de religião. Não adianta pertencer a uma determinada religião se, na prática, agimos como se Deus não existisse. Há pessoas e até mesmo religiosos que conhecem bem a teologia, mas, suas vidas não refletem esse conhecimento. Conhecer não é viver. Saber não é fazer. Quando Maria nos pede a conversão, o que está, na realidade, nos suplicando é que sejamos bons exemplos, isto é, que nossa conduta seja orientada pelo mandamento deixado por Jesus, simples e eterno: “Amem-se uns aos outros como Eu amei a cada um de vocês”. A grande maioria das pessoas que visitam o Vale professa a fé católica, mas nem todos são convertidos. Antes de vir ao Vale eu já era católico, mas estava distante da conversão, isto é, estava longe de viver segundo o mandamento do amor. Agora é que, através da vivência de uma vida de oração, busco cada dia me aproximar mais daquele mandamento. Portanto, conversão não é uma coisa que acontece de uma só vez. A conversão é um projeto de vida.

Maria é pura graça e louvor. “Eu venho para catequizar, iluminar, ensinar aos meus filhos amados. Vamos pedir pelo Brasil. Peça sempre por sua pátria. Muitas almas do povo brasileiro estão em aflição. Poucas conhecem a Eucaristia, o rosário, os sacramentos e os mandamentos. Peça misericórdia e salvação para todos. Misericórdia e salvação são palavras que nos ensinam a amar. O amor nos salva. O amor que Jesus tem por cada um de nós, nos salva. Ofereça seu coração a Jesus e peça pela sua cura interior. As pessoas pedem muito pela cura do corpo, mas é importante pedir também pela cura da alma. Peça pela unção interior para que possa se proteger dos ataques do demônio, que induzem à prática dos pecados capitais (soberba, avareza, luxúria, ira, gula, inveja e preguiça). São os pecados que trazem o sofrimento. A desobediência a Deus por parte de seus filhos tem sido muito grande”. Quando Nossa Senhora fala assim, Ela me lembra a minha mãe aqui da terra (Salma Souki). Maria soa exatamente como ela quando eu era criança. Minha mãe se preocupava com as conseqüências de minha desobediência, principalmente com a minha preguiça com relação aos estudos. Meu pai desejava que eu fosse um bom aluno e cobrava um desempenho melhor na escola, mas, eu desobedeci aos seus pedidos e o resultado foi o sofrimento. Realmente, eu sofri muito quando não consegui passar de ano, no quarto ano do ensino fundamental. Meu pai não me castigou. Pelo contrário, ele tinha me prometido uma bicicleta se eu passasse de ano. Fique receoso de que não a ganharia mais. Mas, apesar de eu ter falhado, mesmo assim, ele me deu a bicicleta. Isso fez com que meu sofrimento moral fosse enorme. Como poderia eu desobedecer a um pai tão bondoso, tão misericordioso? Depois disso, houve uma verdadeira conversão em minha vida. Aprendi a lição e passei a estudar com afinco. Essa foi uma lição que jamais esqueci.

“Suplique a Deus pela paz, pela misericórdia, pelo perdão. O coração de Jesus está sempre aberto para nos acolher, perdoar, abençoar e salvar”. Eu posso imaginar como deve ser esse coração de Deus, pois Ele me presenteou na terra com um pai assim, bondoso e misericordioso. Penso: se meu pai aqui da terra era tão bom, como deve ser o meu Pai Celestial, que o criou? Também penso: se minha obrigação moral com aquele pai que hoje está no Céu era tão grande, quanto maior deve ser a minha responsabilidade com relação ao Pai de Infinita Misericórdia? “Não perca mais tempo. Você não pode perder mais tempo. O nosso tempo é abençoado. O nosso presente é abençoado. Viva intensamente a Presença de Jesus e agradeça a Deus pela fé que fez você trabalhar pelas coisas de Deus. Agradeça por essa Força que faz com que você vença a fraqueza e a preguiça. Vamos dar testemunho do amor de Deus. O mundo precisa de bons exemplos. Cabe a você ser esse exemplo. Vamos pedir ao Céu que façamos aquilo que o Céu deseja que façamos. Devemos estar sempre agradecendo a Deus pela nossa fortaleza” (06 de novembro de 2011—domingo).

 

A maior riqueza da vida é amar a Deus e agradecer por ter-nos feito dignos de estar aqui para ouvi-lo. Estar aqui é como receber a
Eucaristia, momento em que Jesus entra em seu coração,
nele habita e nele reina para sempre!

 

 

 

 

 

 

A Luz do silêncio

O feriado comemorativo da proclamação da república caiu numa terça feira, dia 15 de novembro de 2011. Foi também a data em que Laís do Valle (o sobrenome de Laís é Valle mesmo — mais uma daquelas incríveis coincidências) e Heloisa Lima marcaram para iniciar o retiro do silêncio no sítio da Laís, localizado no condomínio Tangará, na cidade de Rio Acima, Minas Gerais. Aquela foi uma ocasião especial por vários motivos. Um deles foi que Nossa Senhora nos trouxe duas mensagens em um mesmo dia (15 de novembro) o que é raro acontecer. O próprio retiro foi recheado de bênçãos e ensinamentos sobrenaturais. E, na conclusão, no dia 18, Marilda revelou que Nossa Senhora se manifestou com um semblante alegre, o que também é raro ocorrer. A primeira mensagem do dia 15 foi no Vale, Nossa Senhora chegou às 12h52. “Queridos filhos! Hoje louvamos e agradecemos a Deus por este dia, por esta tarde. Não precisamos ter medo quando o Céu está conosco. Vamos orar pelos outros. Estamos no tempo da vivência do silêncio. Quando ouvir muito barulho, lembre-se que este é o ano do silêncio. O ano já está acabando e muitos ainda não fizeram silêncio. Quantas almas, neste ano, ainda não mergulharam no oceano do silêncio. Todas as almas precisam se encontrar no doce silêncio de Jesus para louvar e glorificar a Deus. Principalmente quando você carrega a cruz das perseguições, quando é vaidoso e quer que tudo seja feito do jeito que você quer. A vaidade do orgulho leva a pessoa a ser atormentada por palavrões e sofrimentos”.  É preciso abrir um parêntesis para comentar que logo no inicio da mensagem, Nossa Senhora mencionou a palavra “silêncio” cinco vezes. Será coincidência?

“Estamos precisando de mais mansidão. Peçamos a Jesus que entre em nosso coração. Faça uma festa para acolher Jesus em seu coração, em sua alma. É tão bonito quando as pessoas fazem festa para acolher um hóspede. Faça o mesmo para acolher Jesus. Coloque Jesus no coração de todos, de todos que precisam da intimidade com Jesus. É lindo quando vivenciamos a intimidade com Deus. Nossa vida é para louvar, agradecer e pedir, pedir paz. Nossa alma tem sede de paz. Nossa alma tem sede de Deus. É preciso amar para agir conforme a vontade de Deus. Coloque o amor em tudo que fizer, no trabalho, na família,, na oração e no perdão. A enfermidade espiritual provem da falta de paz. E o que tira a nossa paz é o pecado. É ansiedade demais. É desejo demais. As pessoas estão sempre preocupadas demais. Jesus quer nos curar. Vamos viver bem todos os momentos, quer seja no trabalho ou na família. O que provoca o sofrimento espiritual é o querer demais, é querer solucionar todos os problemas dos outros. As pessoas que têm muita sensibilidade também são atingidas pelo demônio para que percam a vontade de lutar.

“Se não tiver oração e confiança, aliadas à busca do alimento Eucarístico, você fica fraco. O pecado está por toda a parte e as doenças espirituais são muito graves e pirões do que as doenças físicas. A doença espiritual é muito pior porque quando a pessoa está espiritualmente fraca não consegue aceitar a doença corporal. A doença espiritual dói mais. A pessoa acometida dessa doença não consegue ver a chama que chama à conversão”. Achei lindo o uso da palavra “chama” nos dois sentidos, no de fogo (luz interior) e de convidar (verbo chamar). “Tudo que fazemos aqui é o que Jesus quer para nós, isto é, que sejamos abençoados. Tenha cuidado com as armadilhas invisíveis do demônio: a vaidade, o orgulho, o ciúme, a inveja, a preguiça. São elas que mais causam danos à humanidade. Vamos pedir a Jesus que acenda a chama do amor em nós. Neste momento, com grande amor, Eu vou abençoar vocês. .  (Momento da bênção. Todos cantam: “Dai-nos a bênção, Mãe de Bondade, Nossa Senhora de Piedade”). Queridos filhos! Abençoei carinhosamente a todos os filhos. Essa benção foi para meu filhos Samuel, pelo seu aniversário. Que ele seja sempre a luz que é o Espírito Santo nos trazendo sabedoria, ciência e piedade. O Espírito Santo nos torna misericordiosos como é a alma do Samuel. Que o amor do Pai, do Filho e do Espírito Santo esteja no coração de vocês, para que possam todos vivenciar a paz. Deus me chama e eis aqui a Serva do Senhor”.

Assim que terminou a mensagem, passamos na casa de Marilda, pegamos a bagagem dela, depois fomos até a casa de seus pais, onde apanhamos a Maria Clara (1 ano e meio) e fomos para Tangará. Chegamos ao local do retiro por volta das 18h00 e, logo depois começou o louvor.  Antes da mensagem Marilda esclareceu: “O louvor já nos preparou. Se for da vontade de Deus, Nossa Senhora virá nos visitar. Vamos preparar o nosso coração para receber o Céu e, com Ele, a Luz. As pessoas precisam de silêncio. Foi bom ficar sem luz para acalmar o coração (de fato, tinha acabado a energia em Tangará, e o louvor foi feito à luz de velas). Nossa Senhora nos revelou que o momento mais feliz de sua vida foi o nascimento de Jesus. Ela vai usar de minha voz e eu passarei para vocês o que Ela falar para mim. Quando Ela aparece fico em êxtase e não vejo nem sinto mais nada a não ser Ela. É maravilhosa! É pura Mãe. Usa de um ser humano como vocês para trazer o Céu para o meio de nós. Lá em casa eu sempre fui a mais extrovertida e brincalhona, e foi justamente para mim que Nossa Senhora apareceu. Minhas irmãs ( 3 ) e irmãos ( 3 ) são todos mais sérios do que eu. Assim são as coisas de Deus,misteriosas. Sei que aqui é um lugar de oração. Um lugar onde podemos nos mergulhar no oceano da Misericórdia de Deus. Vamos recitar a oração do silêncio que Maria nos ensinou: Sagrado Coração de Jesus que silencioso, escutou e viveu a vontade do Pai. Ensina-nos a silenciar e a vivenciar a vontade do Pai em nossas vidas. Espírito Santo concede-nos a serenidade, a simplicidade, a humildade e o silêncio do doce Coração de Jesus”.

Assim que Marilda terminou a oração do silêncio, a luz chegou, e logo após, às 19h15, Nossa Senhora, trazendo a Luz do Céu: “Queridos e amados filhos! Com grande sabedoria, humildade e amor, vamos colocar neste momento os nossos corações, as nossas famílias, esta linda fraternidade dentro do Coração Daquele a Quem vocês imploram graças que é o meu Filho Jesus Misericordioso. Jesus é o silêncio mais lindo que existe. Quando quiser vivenciar o silêncio, suplique a Ele, pois somente Ele nos permite vivenciar o perdão, a solidariedade, a justiça, a fraternidade e o amor. Nossas alma é a nossa vida, a imagem e a semelhança de Deus. A nossa alma se encanta quando é preenchida pelo Espírito Santo. Hoje o mundo precisa viver o amor. Quando Deus nos criou, Ele nos amou primeiro. Depois Ele nos criou. Este retiro representa a luta do ser pela espiritualidade, isto é, a busca do amor. Tudo que fizerem neste retiro será para a realização do plano de Deus em sua vida. Ofereçam este retiro a Jesus, porque a oração de vocês vai consolar Jesus. Toda a alma que ora, consola Jesus. Ofereçam este encontro por todas as famílias. Peçam pela família de vocês. Também peçam pela minha família que é a Igreja, pela santidade no coração da Igreja que somos todos nós. Pelo Santo Padre, pelos religiosos e pelos missionários. Que o amor de Jesus nos dê condições de vivenciar o perdão. O perdão cura a enfermidade e levante o doente. O perdão cura a doença  A grade causa das enfermidades é a falta de perdão. Coloque Jesus em você como o centro deste retiro.

“O Céu se abre e Deus me envia até aqui. A coisa mais linda é a humildade. Só os corações humildes recebem Jesus. Vocês estão aqui recebendo o Céu e colocando Jesus na vida de vocês. Nós somos a massa e Jesus é o fermento. Nós nos maravilhamos com as maravilhas de Deus. Aquele que deseja seguir o Senhor deve tomar a sua cruz porque a cruz é a vitória. Se aproxime de Jesus porque Ele é a sua vitória. Aonde Deus está o amor se manifesta. Existe pão, mas não existe amor. Existe fome porque o mundo não sabe partilhar Vocês foram convidados para estar aqui dentre tantas pessoas no mundo. Hoje vocês foram os escolhidos do Céu. O seu merecimento é pequeno, mas o tamanho do amor de Jesus por vocês é grande. Vão vivenciar coisas lindas e o mais lindo virá pela fé. Tenham mais fé, mais silêncio, mais comunhão, mais vida e mais fraternidade. O mundo precisa receber Jesus. Que Ele venha acender essa chama em nós. Neste momento, Eu quero abençoar vocês.  (Momento da bênção. Todos cantam: “Dai-nos a bênção, Mãe de Bondade, Nossa Senhora de Piedade”).

“Queridos e amados filhos! Abençoei a todos. Como vocês puderam sentir o Céu nos falou tudo o que precisamos. Se o coração das pessoas soubesse ouvir, o Céu não precisaria clamar tanto. Os que sabem ouvir são os que fazem silêncio. O Céu vai bater, mas só entra se abrirem a porta. O silêncio, o retiro espiritual, a vivência do amor são as coisas que nos levarão ao perdão. Há perdão sincero em sua vida? Ou será que você ainda sofre pela falta de perdão? Perdoe verdadeiramente. Não é só perdoar com palavras. Perdoe de fato! Meu coração se toca quando Jesus me diz: Vim ao mundo para servir, mas, na verdade, fui servido com a cruz. Aceite o perdão que Jesus lhe deu na cruz. Arranque as raízes da falta de perdão. Se ainda há peso em sua vida é porque ainda não houve perdão. Muitas vezes o seu perdão não é verdadeiro. Quanto mais derem, mais Deus vai dar a vocês. Vocês deram a casa a Deus. Ele dará a vocês tudo o que precisarem. A todos Eu desejo muita paz e que permaneçam sob as bênçãos do Pai, do Filho e do Divino Espírito Santo. As flores mais lindas de meu jardim são vocês. Deus me chama, e eis aqui a Serva do Senhor”. Após a mensagem, Marilda teceu alguns comentários:  “Vamos refletir sobre o perdão. Nossa Senhora falou que o nosso perdão não é da forma que Deus quer. Ele quer o perdão vindo do coração. Muitas vezes a mensagem nos toca individualmente. Há uma parte em cada mensagem que sentimos ser dirigida a nós pessoalmente.  Tenho presenciado muita falta de perdão entre as pessoas. Nos casos onde há traição entre casais é preciso perdoar. Jesus perdoou e pediu que não pequemos mais. Talvez nos falte o perdão. Vamos viver mais o perdão sincero. O que mais nos pode ferir, tanto ao corpo quanto à alma, é justamente a falta de perdão. Arranque esse mal de sua vida. Muitos estão mais preocupados com a aparência. É importante lidar com a nossa essência, que é Divina. Nossa Senhora nos pede mais transparência nos atos, o que nos permite o cultivo de uma consciência tranqüila. Tomemos como exemplo a São Francisco que soube arrancar de sua vida a vaidade e o interesse pelas coisas do mundo. Nossa Senhora estava hoje com o semblante sereno e seu terço brilhava mais na cor dourada”.

Se soubéssemos ouvir com o coração o Céu não precisaria clamar tanto. Os que ouvem são os que fazem silêncio. O Céu bate na porta de nosso coração, mas somos nós que temos que abrir. Como facilitar o silêncio? Perdoando e perdoando, estar sempre disposto a perdoar com sinceridade e a viver de forma transparente. Viver a essência e não a aparência. A aparência é do mundo e a essência é Divina. De forma clara, Nossa Senhora ligou o silêncio ao perdão. Eu não tinha ainda feito essa ligação. Foi aqui em Tangará que o laço entre o perdão e o silêncio ficou claro para mim. Se não houver perdão, não haverá silêncio. Por quê? Se a pessoa não perdoa fica remoendo os conflitos em sua mente. Já aconteceu isso com você?  “Ah, eu devia ter-lhe dito isso e aquilo”. “Como fui estúpido de aceitar que ela fizesse aquilo comigo”.  “Eu deveria ter agido com mais firmeza. Da próxima vez, ela vai ver comigo”. Esse diálogo mental acelerado impede o silêncio. Com o fazer silêncio se estamos sempre nos acusando e acusando aos outros? Realmente, para silencia é preciso perdoar. É também necessário viver de forma transparente, isto é, pensar, sentir, dizer e fazer apenas o que for bom para nós e para todos à nossa volta, inclusive a natureza. Ser transparente é não ter medo de nos responsabilizarmos pelos nossos atos. Se vivermos com medo das pessoas descobrirem o que está rolando por trás de uma vida de aparências, jamais conseguiremos silenciar. A nossa consciência não nos permitirá o silêncio. Portanto, as precondições essenciais para o silêncio são o perdão e a transparência.

Nossa Senhora também nos mostra que talvez sozinhos não consigamos perdoar da forma que precisamos. Para que consigamos chegar ao perdão é importante acionar o maior poder do universo: Jesus! Ele quer nos ajudar. Ele veio para isso. Maria nos pede, como Mãe Bondosa, que aceitemos o perdão que o seu Filho Jesus nos oferece na cruz. Ele disse: “Pai perdoa a eles, porque não sabem o que fazem”. Ao agredirmos aos outros com pensamentos, sentimentos, palavras ou ações, não sabemos o que estamos fazendo. Todo ataque a outra pessoa é um ataque a nós mesmos. Muitas vezes não temos consciência disso e saímos falando mal de nossos semelhantes. Isso só pode nos causa dor. Ao agredir ao outro, nos agredimos. Se soubéssemos do dano que causamos a nós mesmos eliminaríamos para sempre esse hábito perverso. Adquirir o hábito de perdoar sempre. Pedir a Jesus que nos ensine a perdoar como Ele. Como Ele fez na cruz. É a fé em Jesus que nos dará a possibilidade do perdão verdadeiro a nós e aos outros. 

 

 

Meu coração se toca quando Jesus me diz: Vim ao mundo para servir, mas, na verdade, fui servido com a cruz. Aceite o perdão que Jesus
lhe deu na cruz. Arranque as raízes da falta de perdão. Se ainda há
peso em sua vida é porque ainda não houve perdão. Muitas vezes
o seu perdão não é verdadeiro. Quanto mais derem, mais Deus
vai dar a vocês. Vocês deram a casa a Deus. Ele dará
a vocês tudo o que precisarem.

 

 

Silêncio é Luz

Laís do Valle conduziu a primeira meditação na manhã do dia 16 de novembro de 2011. Para iniciar cantamos: “Todo o meu amor eu dou para Ti, Senhor. Toda a minha vida eu dou para Ti, Senhor”. Depois Laís falou: “O espaço em branco e vazio que repousa entre as palavras, ao mesmo tempo que as une, no exato instante as separa. Não julgue, nem censure. Procure não apreciar os acontecimento segundo os parâmetros que você conhece.  Busque simplesmente seguir o Caminho. Não julgar. Não censurar. Não elogiar.

O tempo todo falamos das coisas que estão do lado de fora. O objetivo do silêncio é caminhar em direção ao nosso interior. Precisamos desmanchar as diversas camadas que nos separam de nosso centro. É como se estivéssemos retirando as diversas camadas de uma cebola. Vamos retirar uma a uma até chegar ao centro. Na parte mais externa estão os julgamentos, as censuras e as apreciações. Nada disso é preciso para o silêncio, pelo contrário, é ele que nos leva a atravessar as diversas camadas que existem entre o exterior e a nossa essência.

Vamos observar nossas atitudes, pensamentos, comportamentos, emoções. Observe e perdoe. Mesmo que coisas positivas cheguem à sua mente, pare de apreciar. Se contemplar algo negativo, pare de julgar ou criticar. É preciso perdoar. É preciso perdoar de fato, como disse Nossa Senhora ontem. Somos responsáveis por tudo que nos acontece do lado de fora. Devo me perdoar. O silêncio nos ajuda a identificar as camadas que precisam ser desfeitas. Não julgar. Chegar até o Eu Interior. Ser generoso é fazer silêncio. Qualquer proposta de censura ou apreciação deve ser evitada.Não interrompa o outro enquanto ele estiver meditando. 

“Entre no silêncio. Repita internamente comigo. Eu utilizo um corpo etéreo que faz a ligação entre meus corpos físico, mental e emocional com a minha alma. Mas eu não sou esse corpo etéreo. Eu sou luz, filho da Luz. Eu sou um corpo físico que sente dor e prazer e está em constante interação com o mundo físico. Esse corpo físico recebe e doa estímulos para o ambiente em seu entorno. Mas eu não sou esse corpo físico. Eu sou luz, filho da Luz. Eu uso um corpo mental que se utiliza de pensamentos. Esse corpo mental está em permanente troca com o mundo mental à sua volta. Ele doa e recebe pensamentos. Mas eu não sou esse corpo mental. Eu sou luz, filho da Luz. Eu uso um corpo emocional que sente alegrias e tristezas, além de outras emoções. Está em constante troca com o mundo emocional à sua volta. Mas eu não sou esse corpo emocional. Eu sou luz, filho da Luz. Eu também tenho uma alma que evolui e cresce desde a eternidade, que me liga ao Espírito Eterno de Deus. Mas também não sou essa alma. Ela se aproxima muito de quem eu sou, mas ainda não é quem eu verdadeiramente sou. Eu sou luz, filho da Luz. Eu sou um ponto de vontade dentro da Eterna Vontade de Deus. É isso que eu sou. Eu sou um fio de amor dentro do amor de Deus!”. Depois disso, fizemos silêncio por meia hora.

Depois do intervalo para o almoço, às 14h00, nova atividade. Eu li em voz alta a mensagem de Nossa Senhora do dia anterior e fizemos uma reflexão da importância do perdão para o silêncio. Se não perdoarmos, alimentamos mágoas, ressentimentos e rancores, que alimentam o barulho interior. Para silenciar é preciso perdoar. O grupo era constituído de 14 pessoas (Ana, Carlos, Célia, Celeyda, Eleuza, Ferdinan, Heloisa, Laís, Marilda, Marisa, Mary, Ômar, Rubens e Yamar) e cada um expressou o seu entendimento da mensagem. Às 15h00 foi recitado o terço da misericórdia e logo após foi feito 20 minutos de silêncio. Logo após o silêncio, Laís nos entregou duas fitas nas quais deveríamos atar nós. Em uma delas, os nós representariam as pessoas que precisamos perdoar. Na outra, os nós representariam as coisas das quais precisamos nos desapegar. Tínhamos 20 minutos para refletir sobre o perdão e o desapego e atar os nós. A falta de perdão se origina das feridas da infância. Para perdoar, Laís sugeriu que invocássemos a Divina Misericórdia. À medida que nos curamos, ajudamos a realizar a cura da humanidade.  A nossa cura contribui para enchermos mais e mais os reservatórios globais de perdão, compreensão e desapego. Da mesma forma, ao alimentarmos mágoas e ressentimentos contribuímos para o preenchimento dos reservatórios de cargas negativas do planeta. Somos co-responsáveis pelas coisas positivas e negativas que ocorrem na terra. É precioso identificar como estou contribuindo positivamente e também negativamente. Somos um ser só!

Depois que foram feitos os nós tanto na fita do perdão quanto na do desapego, saímos da sala e fomos para o jardim para digerirmos aquelas reflexões e, de fato, perdoarmos e nos desapegarmos. Ao voltarmos à sala desatamos os nós, enquanto Laís apresentou mais esclarecimentos: “É importante identificar os momentos positivos nos quais abandonei o ego e permiti a participação de meu Eu Superior, a manifestação de Deus em minha vida. Em geral, estamos constantemente pedido atenção. Somos carentes. São carências que se originaram na infância. Precisamos identificar onde é que dói. Por que dói? De onde vem a minha dor? Muitas vezes nos sentimos desvalorizados e temos raiva dos outros. Fazemos muitas coisas para nos sentirmos validados, importantes. Buscamos validação. Em vez de estarmos sempre a busca de validação, podemos optar por ser mais compreensivos, compassivos e magnânimos. Jesus percebeu o grau de ignorância da humanidade e pediu que o Pai nos perdoasse. Devemos orar sem cessar para chegar a maiores níveis de compreensão. A verdadeira libertação vem do perdão, em relação a nós e aos outros. E, as coisas que já foram resolvidas, não desenterrar. Precisamos parar de nos culpar. Devemos, sim, ter o compromisso de não repetir o erro, de não buscar tanto o sofrimento, mas ter vontade sincera de acertar. Se cair, se levante. A Divina Misericórdia irá nos socorrer. Jamais desistir de acertar”.

Na noite do dia 16 foi feito louvor através de canções glorificando a nossa Mãe do Céu e depois foi feita a partilha de experiências. Marilda esclareceu para os participantes do retiro detalhes da vida do Vale. Ficou claro que sem a intervenção divina a comunidade não poderia ter se sustentado por esses 24 anos. Enfatizou a importância da oração como a força que une os membros da fraternidade e, além disso, providencia o sustento cotidiano, tanto para o corpo quanto para a alma.

 

 

 

 

 

 

É preciso perdoar. É preciso perdoar de fato, como disse Nossa
Senhora ontem. Somos responsáveis por tudo que nos acontece
do lado de fora. Devo me perdoar. O silêncio nos ajuda a
identificar as camadas que precisam ser desfeitas. Não julgar.
Chegar até o Eu Interior. Ser generoso é fazer silêncio.
Qualquer proposta de censura ou apreciação
deve ser evitada.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Silenciar e vivenciar a Luz

Na manhã do dia 17, Laís me pediu que conduzisse o momento de silêncio usando o método da oração centrante. A prática do silêncio é a base da vida monástica. A oração centrante se baseia nas instruções encontradas em um livro escrito no século XIV: A nuvem do não saber. Esse livro foi escrito por um monge inglês, que não revelou o seu nome. A finalidade da obra é explicar como se realizava a prática do silêncio dentro dos mosteiros. O objetivo desse exercício espiritual é serenar a mente e buscar o espaço entre os pensamentos, o espaço habitado pela Divina Presença. Para isso, começamos observando a nossa respiração. Devemos soprar para longe — como se estivéssemos soprando uma vela — tudo aquilo de que não precisamos mais. Vamos nos esvaziar dos medos, tristezas, apegos, ressentimentos, mágoas, preocupações. E, ao inspirar, devemos inspirar leveza, alegria, felicidade, paz e amor. Devemos permitir que o sopro Divino que nos criou, nos faça renascer. Devemos sentir que a cada inspiração somos um novo ser.

Jesus disse que parar orar devemos: ( 1 ) Entrar em nosso quarto. ( 2 ) Fechar a porta e ( 3 ) orar a nosso Pai em segredo. ( 4 ) Nosso Pai que está em segredo ( 5 ) vai nos recompensar. São 5 passos bem claros. No primeiro, somos convidados a ir de encontro ao mais íntimo de nós mesmos (o quarto interior). No segundo, Jesus nos aconselha a desligar nossa atenção de tudo que é externo a nós (fechar a porta dos sentidos). No terceiro, Ele pede que oremos em segredo, isto é, sem palavras, no silêncio. No quarto passo, nos ensina que o Pai está em segredo, no silêncio. E, no quinto, que esse Pai Benevolente vai nos recompensar. Depois de algum tempo praticando esse exercício, cheguei à conclusão de que a recompensa do Pai é o presente. Não pode existir dádiva maior do que o próprio presente, a vida no agora. Ao nos inserirmos no agora, conseguimos entrar na Divina Presença, que só existe no Eterno Agora. Portanto, a recompensa é a possibilidade do encontro com Deus no Eterno Presente.

Mas, quando nos aquietamos, e começamos a prestar atenção à nossa respiração, logo percebemos que os pensamentos nos atacam. São acusações referentes aos nossos erros do passado ou preocupações com atividades futuras. Em geral, nos culpamos pelas coisas que fizemos ou que deixamos de fazer. Justamente no momento em que mais precisamos de quietude, é que as acusações aparecem. Enquanto nos acusamos pelos erros do passado, chegam também as preocupações com o futuro em forma de possíveis castigos, acidentes ou desastres. A nossa mente pode se transformar em um mar bravio. Ela pode resistir à nossa busca pelo silêncio interior. Para lidar com isso, podemos escolher uma palavra, de preferência curta, como luz, paz, amor, Jesus, Maria, etc. Pode até ser Abba, a palavra que Jesus usou, que significa Pai. Sempre que aparecer algum pensamento mais insistente, devemos repetir a palavra, para que nos desapeguemos dele. Podemos imaginar-nos assentados à beira de um rio vendo os pensamentos passar como se fossem barquinhos descendo na correnteza. Cada barquinho representa um pensamento. Vamos deixar que desçam o rio, sem entrar em nenhum deles. Isso quer dizer que não devemos desenvolver nenhuma idéia, nem boa nem ruim, mas sim, buscar o espaço existente entre elas. Caso algum pensamento nos distraia, voltamos com a repetição da palavra.

 Nas primeiras práticas a distração pode ser intensa. O importante não são as vezes que nos distraímos, mas sim, as vezes que retornamos à quietude. Esse movimento do voltar ao silêncio é a essência do exercício. Ao fazê-lo estamos adentrando mais e mais no quarto interior. Disso consiste a contemplação, buscar ir cada vez mais fundo dentro de nós mesmos. Ou seja, buscamos nos distanciar cada vez mais de nossas preocupações com o cotidiano. Recomenda-se fazer essa prática durante dois períodos de 20 minutos cada um, pela manhã e à noite antes de dormir. Nossa Senhora nos diz que o período da amanhã nos prepara para o início de uma nova jornada, enquanto a oração da noite nos tranqüiliza para desfrutarmos melhor do repouso. Podemos iniciar com a recitação da passagem do evangelho citada acima (Entre em seu quarto, feche a porta. Ore ao seu Pai em segredo. Seu Pai que está em segredo, vai recompensar você. Mateus 6, 6) seguida pela súplica ensinada por Nossa Senhora no começo deste ano ( 2011 ):

Sagrado Coração de Jesus, que silencioso, escutou e viveu a vontade do Pai, ensina-nos a silenciar e a vivenciar a vontade do Pai em nossas vidas. Espírito Santo, concede-nos a serenidade, a simplicidade, a humildade e o silêncio do doce Coração de Jesus. Amém!

Depois de 20 minutos de exercício, pode-se concluir pedindo a Jesus que venha, entre em nosso coração, nele habite e reine para sempre. Para isso, repetimos a invocação do Anjo Gabriel a Maria, no momento da Concepção de Jesus: Ave Maria! Cheia de graça! O Senhor é convosco! Bendita sóis vós entre as mulheres e bendito é o fruto de vosso ventre: Jesus! Dessa forma, Jesus será também concebido em nós como foi há mais de dois mil anos no ventre imaculado de Maria. Não é exagero ter essa fé. É a própria Mãe que nos garante que o maior desejo de seu Filho é habitar para sempre dentro de cada um de nós. Quando isso acontece, podemos repetir, junto com São Paulo, “não sou mais eu quem vive, mas é Ele quem vive em mim”. É preciso esclarecer que o silêncio não precisa se restringir a esses 20 minutos. Com o tempo, talvez, você tenha necessidade de ficar na Presença por períodos mais longos. Siga o que o seu coração pedir. De qualquer forma, é importante manter a prática durante, pelo menos, uns três meses, para que possamos saborear os primeiros frutos desse delicioso exercício espiritual.

Na parte da tarde daquele dia, foi feita uma reflexão sobre os aprendizados ocorridos tanto das práticas de silêncio quanto da falta física do silêncio. Devido a presença de Maria Clara, filhinha de Marilda, durante vários momentos não foi possível se fazer o silêncio como se faz em outros retiros. Justamente por isso, Maria Clara, depois de Nossa Senhora, foi a nossa principal mestra. Laís nos pediu que enumerássemos os ensinamentos transmitidos pela criança. Uma das coisas que mais nos chamou a atenção foi a insaciável vontade de se entregar a novos aprendizados. Tudo, para Clarinha, era novo: uma plantinha, um inseto, um lápis, uma caneta, o aparelho de som. Tudo tinha uma magia especial. Ela se dispunha a explorar, a experimentar, a aprender. Outros aprendizados foram mencionados: a importância da inocência, voltar a ser criança, aceitar a diversidade, aceitação da vida como algo arriscado, abertura ao novo, aceitação de coisas que não acontecessem exatamente da forma que foram planejadas, amar incondicionalmente. Assim, a presença de Maria Clara, em vez de atrapalhar, adicionou à experiência. As coisas não aconteceram como foram desenhadas, mas os resultados superaram as expectativas. Foi até mesmo mencionado que um pesquisador chegou à conclusão de que os apóstolos foram escolhidos, não pelas suas qualidades, mas pelos seus defeitos. Cada um deles representou um defeito que precisa ser trabalhado na humanidade. Por isso, antes de tudo, para podermos crescer é preciso que nos aceitemos do jeito que somos, isto é, com as nossas qualidades, defeitos e limitações.

Laís nos pediu que partilhássemos duas experiências transformadoras em nossa vida. Uma deveria ser baseada em um acontecimento extraordinário e a outra, em algo pequeno. Os relatos mostraram que os milagres acontecem para todos nós. Existem aquelas transformações que se originam de prodígios inexplicáveis para a ciência humana e também acontecem mudanças, igualmente importantes, derivadas de pequenas decisões do cotidiano. Quando refleti sobre essas duas ocorrências em minha vida vislumbrei um acontecimento milagroso e um bastante singelo, porém, ambos com efeitos importantes. O evento milagroso se refere à moça que me informou onde era o Vale, quando cheguei em 2008 à cidade de Piedade dos Gerais, tarde da noite. Eu procurava pela casa de um amigo, mas tinha apenas a informação que era em Piedade dos Gerais. Eu não sabia da existência do Vale. Foi aquela moça que me informou que ele morava no Vale. Em 2011, pedi a Marilda que perguntasse a Nossa Senhora se era ela mesma que tinha aparecido para mim. Nossa Senhora respondeu apenas que aquele tinha sido um sinal de Deus para mim em minha vida. Foi um sinal tão grande que mudou toda a minha existência. Pois, depois de algum tempo vim morar no Vale e escrever sobre as mensagens.

O acontecimento pequeno que teve um efeito significativo foi a decisão de trabalhar na cozinha do Vale, ajudando a preparar o almoço da sexta feira. Foram muitos os ensinamentos a partir dessa experiência e a mais gratificante tem sido a alegria de ver as pessoas se alimentando com prazer. Meu coração fica cheio de felicidade quando vejo meus amigos comendo com aquela boca boa. Descobri que amava cozinhar e que tinha jeito para a culinária. Comecei a cozinhar em casa também e achar ótimo. Tenho uma apreciação maior pelo trabalho dos cozinheiros. Percebi também que, com essa doação, houve uma resposta imediata do Criador. Passou a existir mais abundância de alimento em minha própria casa, tanto em variedade quanto em quantidade.  As experiências relatadas pelos outros participantes foram também de inestimável valor e contribuíram para o crescimento de todos os participantes. Mas, apenas com esses dois eventos, ocorridos comigo, você pode ter uma idéia clara do exercício e de seus benefícios. Sugiro que você também tranqüilize a sua mente, e medite na força transformadora tanto das grandes quanto das pequenas ocorrências em sua vida. Vai chegar à conclusão de que a vida é um só milagre, continuamente se manifestando nas coisas pequenas e grandes da vida.

O dia 17, uma quinta feira, foi de enorme riqueza. Fizemos uma lista de coisas que queremos agradecer em nossa vida. Agradeci por tudo, pelos meus falecidos pais, pelo ar que respiro, pelo alimento, pela moradia, pelo retiro, pela minha família, pelo Vale, pelo amor de Deus, pela presença de minha Mãe Maria em minha vida, e muitas outras coisas mais. Foram 42 itens. Depois cada um de nós escreveu uma cara a Nossa Senhora. Aproveitei a minha para dizer a Ela o quanto a amo e o quanto tenho que lhe agradecer por tudo, pelos ensinamentos, pela orientação, pela proteção, pelo seu amor materno e pela felicidade. E, para concluir o dia, escrevemos também a carta resposta de Maria. O que Ela nos responderia? Pense bem. Se Nossa Senhora escrevesse uma carta para você, o que é que Ela lhe diria?  Faça esse exercício, você também e vai se surpreender com as coisas lindas e maravilhosas que Ela vai lhe revelar. Depois de um dia de intensa reflexão e pesquisa interior, já bem cedo estávamos prontos para o sono. Fomos dormir cedo naquele dia.

 

Ave Maria! Cheia de graça! O Senhor é convosco!
Benditasóis vós entre as mulheres e bendito é
o fruto de vosso ventre: Jesus!

 

 

 

Eu sou a Luz do mundo

Na manhã seguinte, a expectativa da mensagem final de Maria foi enorme. No início da manhã fizemos caminhada até as cachoeiras. O tempo era chuvoso e a natureza, exuberante. O ar úmido, uma delicia de se respirar. O som da água descendo sobre as pedras alegrava nosso coração e alimentava nossa alma. Estávamos mais no Céu do que na terra. Aproveitamos a presença de uma mesa de madeira, entre as árvores, não muito longe das cachoeiras, para esperara a chegada da Rainha. Ela viria nos acolher junto ao ar puro, ao som da água corrente, perto dos pássaros e sob a proteção das árvores. Para completar a riqueza daquela extraordinária manhã, exatamente às 10h15, a Mãe de Deus e nossa se manifestou:  “Queridos filhos! Em primeiro lugar, deste nosso momento com o Céu no meio de nós, vamos respirar a presença desse Céu em nossas vidas. Vamos partilhar o que vivenciamos durante esse retiro. Vamos colocar o mundo aos pés de Jesus. Existe uma riqueza que é o Espírito Santo. Vamos deixar que o Espírito Santo desça sobre nós como desceu sobre os apóstolos e eles se tornaram luz para iluminar o mundo ” (referência ao momento conhecido como Pentecostes, em que os 12 foram iluminados — após a mensagem Marilda contou as pessoas presentes — de fato, éramos 12, com ela, 13).

Tenho que interromper essa preciosa mensagem para lembrar-lhe de que a palavra luz foi a primeira contemplação do retiro. A falta de luz no dia da chegada foi marcante. Não havia eletricidade até poucos momentos antes da mensagem. Foi só Nossa Senhora chegar, chegou também a eletricidade, a força, a luz. Não bastasse isso para identificar este como sendo o retiro da luz, Laís repetiu várias vezes durante o primeiro exercício (no dia 16): “Eu sou luz, filho da Luz”.

“Jesus está na brisa que passa e Jesus vai iluminar o mundo através do coração de vocês. São poucos que param para vivenciar o que vocês realizaram nestes dias: o amor de Jesus. Deus reservou este lugar para que o mundo, representado no coração de vocês, pudesse vivenciar essa paz que as pessoas tanto precisam. Jesus fez algo lindo com vocês. Ele ensinou a vivência do verdadeiro silêncio que é viver, de fato, o amor e o perdão. Jesus falou muito sobre o perdão. O que mais vocês estavam precisando era encontrar o perdão em vocês mesmos. Outra lição que Jesus ensinou foi a da humildade para aceitar que a vontade de Deus é diferente da nossa. Ele transformou o silêncio das palavras em silêncio do coração e da alma. Vocês têm o silêncio que Deus quer a alma em paz e o coração em Deus!  Ter silêncio é o amor do Pai, a misericórdia do Filho e a unção do Espírito Santo na vida de vocês.  

“O Céu me envia na simplicidade daquilo que Deus criou que é a natureza. Eu me alegro e a alma de vocês também se alegra. Cada um tem um pedido para fazer, isto é, que a vontade de Deus seja feita na vida de cada um de vocês. Muitas vezes nos perguntamos: Onde estão as ovelhas?. Evangelize, mesmo que seja apenas uma ovelha. Quanto mais você evangelizar aquela ovelha, mais serão enviadas pelo Céu (esse comentário foi a resposta para o questionamento de Laís sobre a pequena quantidade de pessoas que buscam o silêncio). A vontade de Deus está acima de qualquer coisa. Foi o Céu que escolheu vocês. É o Céu que me enviou aqui de corpo e alma. É o Céu que faz vocês estarem aqui também de corpo e alma. Deixe o Céu sempre conduzir você nas certezas e nas incertezas. A vida de vocês está cercada das maravilhas do Senhor: amor, partilha, caridade, fraternidade e silêncio — que é a escuta do coração. Não foi por acaso que Deus escolheu vocês e este lugar para que descobrissem na natureza um rio de água viva e deixasse a luz do Céu entrar no coração de vocês (referência às cachoeiras e ao hino de louvor, Deixe a luz do Céu entrar... ). Confie! Deus vai enviar as ovelhas que precisam ser evangelizadas. As bênçãos do Céu nunca lhes faltarão. Faça sempre o momento de adoração a Jesus e vejam Jesus em vocês. Nesta data em que nos aproximamos da contemplação do nascimento de Jesus. O nascimento de Jesus precisa estar em todos os povos, raças e nações. É preciso deixar esse Menino nascer, deixar a ressurreição acontecer. Mesmo que você o veja crucificado nos momentos difíceis de sua própria vida, lembre-se sempre da ressurreição. Deus ama vocês com muito carinho. Deus derramou muitas graças sobre vocês. O compromisso de testemunhar essas coisas é grande. Àquele que muito é dado, muito também terá que oferecer. Ofereça as graças a Jesus Misericordioso, pelos doentes e lembre-se de que Deus é maior e com Ele nós tornamos capazes de vencer”.     

É preciso deixar esse Menino nascer em nós. É disso que tratamos durante todo o retiro: o nascimento de Jesus em nós. Ao final do exercício do silêncio, no dia 17, eu sugeri que invocássemos o Espírito Santo através das palavras pronunciadas por Gabriel: “Ave Maria, cheia de graça! O Senhor é convosco. Bendita sois vós entre as mulheres e bendito é o fruto de vosso ventre: Jesus!”. Essa invocação ao Espírito Divino, para que Ele se encarnasse no meio de nós, representou o início de uma nova terra. Agora, nestes finais de tempos, estamos prestes a vivenciar a conclusão do plano de salvação. Em breve,  deve ocorrer a segunda vinda, desta vez em glória, de nosso amado irmão, Jesus Cristo!

Após a mensagem, nossa Mãe Maria nos abençoou e vez mais alguns comentários. “Queridos e amados filhos! Abençoei a todos os filhos que participaram deste encontro e também os que não puderam permanecer aqui (Heloisa Lima ficou na casa cuidando de Maria Clara). O amor de Deus nos conduz à vivência do amor de uns para com os outros. Um filho nunca estará distante dos pais, mesmo que eles já estejam no Céu (um consolo para muitos de nós que já entregamos nossos pais para Deus — e especial, para um dos participantes do retiro, o Carlos, que perdeu sua mãe quando tinha apenas 11 anos). Peço a Jesus que consagre este lugar ao seu coração que também consagre estes filhos ao seu Sagrado Coração. Todos os dias, ao amanhecer, ofereça seu coração a Jesus. À noite, agradeça a Jesus o que Ele fez por você. Busque o silêncio da paz e acredite que Ele escuta você durante todos os momentos do dia. Jesus escuta você, até mesmo os seus pensamentos. Observa suas ações e alegrias e o consola em suas dores e tristezas. Tudo está no Coração de Jesus, principalmente, os filhos que Deus concedeu a missão de fazer esta evangelização de amor e paz. Se a humanidade soubesse como faz bem estar perto da natureza, aqui teríamos milhões e milhões de pessoas querendo vivenciar este amor. Repitam sempre: Eis aqui os servos do Senhor, que seja feita em minha vida a vontade de Deus. O meu Coração Imaculado fica com vocês. Saibam que as mais lindas flores são os meus filhos! Eu sou a Mãe de Deus, a Imaculada Conceição e Deus me chama”.

Ao termino dessa mensagem, nossos olhos estavam encharcados de lágrimas, não de tristeza, mas de puro êxtase, amor celestial, sublime gratidão. O que dizer diante de tanta graça? Apenas silêncio. Fomos abraçados pelo doce trinar dos pássaros e o suave canto das águas. Enquanto isso a brisa mansa, fonte do Divino Espírito, envolvia nosso corpo e nossa alma partia célere para as regiões angelicais. Não há nada neste mundo que cheguem nem mesmo perto daquilo que nós todos sentimos naquele Eterno Presente. Presente de Deus! Falar o que? Depois de algum tempo, escutamos da boca de Marilda, da mesma boca que tinha nos transmitido a doçura do Céu, outros comentários inefáveis, vindos de seu próprio coração, ainda encharcado do sublime amor de Maria. Ela disse: “Vamos fazer silêncio por alguns instantes e depois recitar a oração do silêncio que Nossa Senhora nos ensinou”. Depois de alguns momentos do mais delicioso de todos os silêncio ela pronunciou as seguintes palavras: “Sagrado Coração de Jesus que silencioso escutou e viveu a vontade do Pai, ensina-nos a silenciar e a vivenciar a vontade do Pai em nossas vidas. Espírito Santo! Concede-nos a serenidade, a simplicidade, a humildade, o silêncio do doce Coração de Jesus. Amém!”

“Vamos refletir sobre este vale (Tangará também está em um vale). Nossa Senhora realizará aqui o plano no qual Laís e Rubens foram escolhidos como instrumentos. Que vocês evangelizem mesmo que seja uma pessoa sequer. Nossa Senhora vai trazer muitas e muitas outras almas para cá. Ela veio no meio da natureza e aqui tudo nos faz lembrar Nossa Senhora. Aqui existe o silêncio. Ela apareceu bem no meio das árvores e seu semblante transmitia alegria, o que é raro. O terço que Ela trazia na mão brilhava mais na cor dourada. Sua roupa é toda branca, que significa paz. Seus pés são descalço, que significa humildade. Seu olho castanho claro estava hoje com um brilho especial e Ela nos abraçava a todos com o seu alegre olhar de Mãe. Ela acolheu cada um de vocês com muita alegria. Ela fez vários gestos com as mãos, à medida que falava. Ela viva. Estava aqui de corpo e alma. Abriu as mãos para nos abençoar e seu terço brilhava muito. Seus pés descalços estavam sobre uma nuvem branca sobre um globo azul. Seus cabelos estavam maravilhosos, cor de mel, desciam formando caracóis em cima de seus ombros. Certa vez nós lhe perguntamos porque não tinha olhos azuis e Ela simplesmente disse que, como Mãe, Ela se faz semelhante aos filhos. Eu senti na mensagem que Ela nos mostrou que fizemos a vontade de Deus que é fazer o silêncio da alma. Muitas vezes não fazemos a vontade de Deus em nossa vida, mas quando eu medito sobre o que Nossa Senhora passou, posso sentir, de fato, a força que o silêncio nos traz. Ela foi a Mãe do Silêncio e por isso foi capaz de vencer o maior desafio que uma mãe pode ter: oferecer o filho para ser sacrificado com requintes de crueldade. Além do silêncio, também vivenciamos muita alegria neste encontro.

“Tivemos momentos de descontração onde eu contei várias de nossas experiências divertidas do Vale. Nós nos soltamos e sentimos que, de fato, o nosso Deus é o da alegria. Sentimos que o nosso Deus é o da Misericórdia. Você pode até se arrastar nos pecados, mas Ele jamais desiste de um filho. Ele vai levantar você. Para nós, muitas vezes pensamos que a pessoa não tem jeito mesmo, mas para Maria tudo tem solução. Quando temos algo muito bom, queremos partilhar. É isso que acontece com Laís e Rubens que sabem que esta beleza toda deste vale não é de vocês, mas de Deus. Fizemos este retiro porque Deus quis. Esta casa aqui é de Jesus e Maria. E essa mensagem foi dirigida de forma especial para Laís e Rubens. Que apenas uma ovelha queira ser evangelizada, abra o seu coração e evangelize. Se alguém ligar e quiser vir até aqui, venham. Eu, por exemplo, cuido pessoalmente de 5 pessoas que têm transtorno bipolar agudo. Um deles tirava dinheiro no banco e distribuía de graça nas ruas de Belo Horizonte de tão mal que estava, mas hoje já está até namorando. Está praticamente curado. Todos achavam que ele não tinha mais jeito, mas Nossa Senhora tratou dele com carinho.

“Nossa Senhora vai enviar muitas almas para vocês. Isto aqui não pode cheirar mofo, tem cheirar rosas. Ter o aroma inebriante de Maria. Aprendi com Nossa Senhora o poder da alegria. Quando eu tinha 17 anos já estava cansada de ver as pessoas duvidando de mim. Elas falavam: Será que ela vê mesmo? Isso me causava profunda tristeza, tanta que um dia eu pedi a Nossa Senhora para me levar de uma vez para o Céu. Eu estava ficando cansada da dúvida das pessoas. Mas, Ela, a minha querida Mãezinha resolveu tudo. Ela me disse para substituir a tristeza pela alegria. Foi ai que comecei a imitar as pessoas com as quais eu tinha que conviver. Isto é, passei a não levar as dúvidas, as reclamações e as criticas tão a sério. Assim que comecei a imitar o jeitão daqueles que me rodeavam, a dor passou. A dor virou alegria. Agora aonde eu vou é impossível ficar triste. Nossa Senhora apareceu para mim, não quando eu estava rezando, mas quando eu estava brincando. Quando Ela veio em toda a sua glória e resplendor, eu tinha 12 anos e estava dependurada nos cipós que desciam das árvores da fazenda de meu avô. Por isso, eu acredito que Nossa Senhora deseja que o nosso silêncio seja o da alegria. Que nele possamos nos deliciar com os frutos da alegria do espírito. Neste retiro eu senti a importância do perdão para o silêncio. É preciso perdoar para silenciar. Por isso, ontem a noite eu pedi perdão a Deus. Peça perdão e também saiba perdoar. Aconteceu aqui algo que eu não via a muito tempo: Nossa Senhora hoje estava feliz!”.

 

Existe uma riqueza que é o Espírito Santo. Vamos deixar
que o Espírito Santo desça sobre nós como desceu
sobre os apóstolos e eles se tornaram
luz para iluminar o mundo.