Maria de Nazaré

Marilda Santana

Ômar Souki

 

 Viva
o amor de Deus!

Com simplicidade,
humildade e silêncio

 

M U N D I A L

 

 

 

 

Eu me enchi do Espírito Santo quando o Anjo do
Senhor apareceu diante dos meus olhos. Naquele
 momento a graça da unção do Espírito Santo
me fez a Mãe de Jesus
.

 

Se vocês também se deixarem encher pelo Espírito Santo,
no momento em que Eu, pela vontade do Pai, estou presente
com vocês — nesta linda missão da luta pelo triunfo de
meu Imaculado Coração —, a alma de vocês se alegrará!
Uma alma alegre é uma alma bem-aventurada.
A bem-aventurança passará a fazer parte de
sua vida. Os sinais de Deus serão
realizados em sua vida.
Que coisa linda!

 

(Trecho da mensagem de Nossa Senhora -- dia 13 de agosto
de 2011 – sábado que antecedeu ao dia dos pais)

 

 

 

 

 

Sumário

 

Deus é silêncio

Deus é amor

Seu amor é para sempre

Viva o amor de Deus!

Deus é Pai!

A doçura do Pai

O amor de Deus por nós
supera todo entendimento

Não espere mais, vá agora
ao encontro de Deus

O andarilho que foi ao
encontro de Deus

O Ph.D. que foi ao
encontro de Deus
 

 

 

Deus é silêncio

Era o dia 07 de agosto de 2011, um domingo. Cheguei ao morro das aparições às 13h15 e o louvor já tinha começado. O hino que se cantava nos conclamava a deixarmos a luz do Céu entrar. De acordo com a letra deveríamos abrir bem as portas do coração para deixar essa luz celestial entrar com força. À medida que o som inebriava nossos ouvidos, nossos olhos dançavam junto com a profusão de flores amarelas que, sopradas pelo vento, caiam bailando daquele majestoso ipê. Na pele aquecida pelo sol sentíamos o vento fresco de agosto. O dia estava claro e o céu azul, azul, imaculado — sem uma nuvem sequer. Parecia que a natureza respondia ao louvor nos presenteando no céu, com o manto imaculado de Maria. A sensação de leveza era inigualável. Acredito que se o Pai nos chamasse naquele momento, iríamos sorrindo para o Céu. Enfim, o Céu já estava entre nós. Eu sentia como se fosse a primeira vez que tivesse subido o morro para escutar a minha Mãe. De certa forma, sentia que não era mais o sol que repousava seus raios sobre nós, mas que todos estavam com um brilho próprio, talvez até mesmo mais forte do que o do próprio astro rei. O mesmo ocorria com a natureza que reluzia.

Enquanto o ipê coberto de ouro irradiava sua luz para todos, meu coração também pulsava forte emitindo raios de alegria por todo meu ser e além. Mal podia me conter. Era um extraordinário êxtase espiritual que refletia a alegria máxima da criatura quando se encontra com o Criador. A gratidão inundou meu ser e eu só fazia deixar- me conduzir pela suavidade do vento e pela alegria contagiante do louvor. Ali estava a Presença Divina. O Espírito de Deus nos presenteava com uma visão beatífica do Céu. Não era só eu que estava como que flutuando no ar. Eram todos ali presentes. Não havia uma alma sequer sem um sorriso no rosto e sem um brilho especial nos olhos. Eu tinha que escrever sobre aquele divino momento. Pensei comigo: “Se não escrever agora, não vou me lembrar que existiu. Se não escrever, vou pensar que sonhei isso. Que tudo foi apenas um sonho. Talvez sim, um sonho, mas um sonho muito real!”. Abri o caderno, que por coincidência ou não, era também amarelo. Olhei para a caneta: também amarela. Ela deslizou célere sobre o papel.

“Tenho que registrar meus sentimentos, pois são únicos. Depois que passar a hora da mensagem, não sei se as mesmas, não sei se exatamente as mesmas sensações permanecerão em mim. É difícil acreditar que a Rainha do Céu e da terra agora mesmo deve estar aqui entre nós. A Mãe do Universo daqui a pouco virá nos visitar. A graça já chegou e minha gratidão é eterna. Oh, que maravilha é estar aqui! Não existem dois momentos de mensagem iguais. A alegria transborda em mim. Até mesmo a voz da Marilda, que acompanha o louvor, está soando melhor. É o Amor Divino que se manifesta. É o Amor Celestial presente aqui. Os beija-flores se aproximam delicadamente das flores amarelas e as acariciam com seus beijos apaixonados. Depois partem velozes realizando mirabolantes piruetas no ar. A natureza está toda contagiada com essa divinal felicidade. Hoje é o dia. A felicidade chegou aqui para ficar! A eterna felicidade chegou toda no momento presente, no agora”.

Exatamente ás 13h37, Ela chegou: “Queridos filhos! Hoje, com grande amor pela grandiosa riqueza que é Jesus Eucarístico, vamos viver este momento de oração, de alegria e de louvor. Primeiramente vamos agradecer a Jesus por este lindo dia, por esta linda tarde e pela presença de todos os corações que vieram até aqui. Nós fomos chamados. Fomos escolhidos por Jesus para caminhar. Nosso caminho é Jesus”. Aquele era um domingo diferente. Não havia nem um ônibus no Vale. Apenas alguns romeiros que chegaram em carros particulares. Enfim, era um domingo praticamente vazio. Talvez não chegássemos a 100 pessoas no morro das aparições. Só isso! Alguns poucos para testemunhar o Céu. Sim, só estavam lá os que foram convidados. Meus sentimentos confirmavam que aquele não era um dia igual aos outros — era único! Enquanto eu escrevia e mentalmente comentava o que Maria dizia, Ela continuava a nos abençoar com a doçura de sua voz maternal: “A nossa alegria é saber que Ele está aqui em nosso meio. É saber que Ele trouxe cada um até aqui para alegrar o Seu Coração. Ele fez em nós lindas obras. Ele nos concedeu a maior de todas as bênçãos que é a santidade. Agradeçamos a Jesus que está aqui presente na brisa mansa. Peçamos a Ele pelas nossas necessidades. Cada um, no silêncio de seu coração, vai colocar-se de verdade diante Dele. O que é colocar-se de verdade? Colocar-se de verdade é acreditar. Assim as graças lhes serão concedidas. Estamos tão perto de Jesus e, muitas vezes, tão distantes. Ás vezes você está diante Dele e não se aproxima de verdade. Estar em um lugar de oração e vivenciar um domingo de oração é se colocar, é se convencer a estar, de fato, nas mãos de Deus. Coloque-se, de fato, na presença de Deus, principalmente quando tem necessidades muito urgentes para sua família, para seus filhos, para os jovens, para as crianças, para os pais e mães, para todos aqueles que estão precisando de cura, de libertação e de exorcismo..Os ataques do demônio são muitos, principalmente no pensamento das pessoas, que estão envenenadas pelos maus pensamentos. Por isso, praticam crueldades. Há muitos corações que precisam do e - xor – cis - mo! No batismo, nós recebemos a luz que nos traz a vida. Em nossa caminhada precisamos permanecer nessa luz. Mas, enquanto há um caminho que nos conduz até a luz, existem milhares que nos afastam dela. A necessidade de exorcismo é  grande porque as pessoas são enganadas pelos olhos e pelos ouvidos.  Nem sempre o que você ouve agrada seu coração e é bom para você. Quando ouve algo desagradável, imediatamente você fica furioso, principalmente se sabe que estão lhe atacando. As pessoas vivem sem direção espiritual, em função apenas de criticar, de perseguir, de julgar. E se enfurecem ao escutar algo que não gostariam de escutar. Mas Jesus disse que temos de escutar o que realmente nos traz paz. Se enxergar algo que lhe tira a paz, afaste-se. Afaste seus olhos do que está vendo. Se escutar algo que lhe tira a paz, afaste seus ouvidos do que está escutando. Se começar a falar algo que possa prejudicar a sua paz, silencie!

A necessidade de exorcismo é grande porque os ataques do demônio são fortes. Seus ataques se dirigem principalmente aos atos de ver, de ouvir e de falar. Mesmo quando você está na casa de Deus, ou em um lugar de oração como este Vale. Muitas vezes você é seduzido a enxergar coisas que lhe magoam, a ouvir o que não pode ser ouvido e a falar daquilo que lhe fere. É também nos lugares de oração que o demônio mais tenta lhe atacar. Quantas vezes você está frente à Eucaristia duvidando da presença de Jesus? Vigiem e orem. A sua fé tem que ser forte. Você precisa ter uma vida de oração. Tem que orar. Não basta apenas procurar. Não basta apenas hoje, neste dia bonito, neste domingo bonito, neste ano do silêncio, estar aqui neste Vale. Tem que estar aqui de coração simples e sereno, com o desejo de viver a paz, de buscar a paz, de louvar pela paz. É grande a nossa necessidade de louvar porque são muitos os tipos de sofrimento. Três são visíveis: o material, o espiritual e o temporal.

A matéria se vê em decadência devido às inúmeras doenças que estão surgindo. E o sofrimento espiritual vem da falta de oração. As pessoas têm comunhão diária? Não. Fazem vigília e silêncio, isto é, procuram as coisas de Deus? Não. Têm uma vida de oração no seu dia-a-dia? Não. Então, como vão ter uma alma santa? Como poderão vencer as doenças espirituais, as tristezas, as angústias? E tudo o que lhe aflige o pensamento, lhe perturba o corpo? Uma alma em paz é um corpo em equilíbrio. Uma alma sem paz é um corpo em desequilíbrio. A necessidade de vencer o sofrimento espiritual com a oração, com a Eucaristia, é grande, mas a procura é pouca. Há muito alimento, mas as pessoas estão passando fome, principalmente, na vida espiritual. Jesus está no sacrário esperando por você o dia inteiro. Será que já refletiram sobre isso? Quantos são os sacrários no Brasil e no mundo em que Jesus está esperando por você? Em quantos lugares desta terra, Jesus está ali esperando por você?”.

Se a pessoa tinha alguma dúvida da Presença real de Jesus na Eucaristia, após escutar as mensagens de Nossa Senhora, ficará absolutamente convencida de que, de fato, Jesus está Presente na Hóstia Consagrada. Desde que cheguei ao Vale em 2008, uma das coisas que mais ouvi minha Mãe dizer foi isso, que precisamos receber a Eucaristia com freqüência. Não existe alimento melhor tanto para a alma, quanto para o corpo. E, quanto maior a fé, maior o efeito salutar da Eucaristia. A sua eficácia está diretamente relacionada com a nossa fé. Por isso, o sacerdote diz, após a consagração: “eis o mistério da fé!”. De fato, é a fé que produz o milagre e não o contrário. Tanto que Jesus dizia sempre: “Foi a sua fé que curou você!”. Acreditar primeiro, ver o milagre depois.

“Quantos são os lugares nos quais você pode viver um retiro espiritual, como está vivendo nesta tarde de hoje? A vivência que têm aqui, mesmo que seja de poucas horas, representa um retiro espiritual. É um refúgio. Jesus nos disse que nos tempos de sofrimento, nós necessitaríamos de refúgios. O mais importante é saber que o próprio Jesus abre o Seu Coração para nos proteger. Inclusive quem vem a este Vale, está no Coração de Jesus, sendo protegido dos ataques e das ciladas do demônio. Saia daqui consciente de que em sua casa, em sua comunidade, em sua família, precisa entrar Jesus. A Presença de Jesus é necessária no trabalho, na vida familiar, na vida sacerdotal, religiosa e missionária. É preciso colocar Deus, o Pai, o Filho, o Espírito Santo, a Santíssima Trindade em todo lugar. O Brasil é um país de grande devoção ao Divino Pai Eterno, que é o Senhor que hoje lança sua Misericórdia sobre o Brasil e o mundo. O resgate das crianças, dos jovens, dos homens e das mulheres e feito através do Coração Misericordioso de Jesus Cristo. A nossa necessidade maior é a vivência da paz. Precisamos estar sempre à procura da paz. Teremos, assim, condições de vencer os sofrimentos temporais.

“O desequilíbrio está nitidamente presente na natureza. A natureza sofre devido ao orgulho e a ganância humanas que destroem tudo o que Deus fez para que seus filhos e filhas fossem felizes. Ao destruir a natureza, o ser humano destruiu o seu ponto de equilíbrio. Quantas são as pessoas hoje que perdem suas famílias? Suas casas? Perdem, dessa forma, o alicerce material por causa do sofrimento temporal. Isso está acontecendo no mundo inteiro. Quando estamos aos pés de Jesus em uma tarde linda, estamos em vigília, em oração. O que é a vigília? É orar e se apresentar ao Coração de Jesus. Jesus nos pede uma presença viva que signifique mais do que simplesmente estar aqui trazendo todos os dias as mesmas necessidades. Ele pede que nos coloquemos diante de seu Coração sabendo que Ele conhece a nossa necessidade e que Ele vai conceder a graça no momento em que a graça se fizer necessária. Você se pergunta por que demora tanto. Isso acontece porque talvez sua entrega ainda não tenha sido verdadeira. A sua oração precisa ser mais sincera e sua doação, mais completa”.

Pensamos que estamos nos entregando verdadeiramente a Deus, mas não, estamos apenas parcialmente entregues. Ainda temos dúvidas e incertezas. As pressões do mundo são tantas, que não é fácil nos entregarmos completamente, como sugere Nossa Senhora. Uma vez pedi a Marilda para perguntar a Maria o que o Céu desejava de mim e a resposta foi tão clara, quanto simples: “entrega total!” (veja a mensagem do capítulo 4: Viva o amor de Deus). É preciso ter uma fé inabalável. Antes de começar a digitar este texto, pela manhã, eu abri o livro de poesias, Bagagem, de Adélia Prado e li um poema que se aplica ao que Nossa Senhora nos pede aqui. Será que foi coincidência? Ou providência?

Ele tinha um modo de falar a palavra inabalável.

O `l´ final concluído à moda dos holandeses

que pregavam pra nós, catecismo, missões, missas dominicais.

`Inabalável certeza´, `inabalável fé´, `poder inabalável´.

Quando usava esta forte palavra, não a dizia

com a boca de quem come as perecíveis matérias,

ou nomeia o que julga indigno do seu falar, melhor,

por serem as comuns coisas:

malho, bigorna, ferro, o encarregado, o chefe.

`Inabalável´,

A língua demorando na base superior dos dentes,

a doutrina exigente necessitando de um mais puro som,

conforme o que exprimia, coisas de Deus,

eternas coisas aterradoras de tão impossível mácula.

Quando a vida abalável enrijeceu seu queixo,

a língua paralisada conformou-se roxa,

a ponta voltada para a raiz dos dentes,

inabalável.  (Adélia Prado)

 É preciso fé inabalável para enfrentar os desafios dessa vida que por qualquer coisa se abala. A vida passa ligeiro. Só a nossa fé permanece. Mas existe alguém interessado em abalar nossa fé. “O demônio quer tirar você do caminho. A tentação está presente nos olhos, nos ouvidos e na língua.  Por isso, esta mensagem nos ensina como ter um crescimento espiritual, uma vivência da espiritualidade. Conclama-nos a buscar o Espírito Santo. Quando Eu lhes falei que no momento do batismo o Espírito Santo nos traz a vida, isso quer dizer que viver não é apenas nascer. Viver é construir sua caminhada em Deus e para Deus. Um dia você vai passar pelo mistério da morte, mas se não conhecer a Vida, vai então vivenciar a escuridão. É preciso que vivencie a Vida Plena que Jesus lhe deu através da morte Dele e que você recebe no batismo. É preciso que sua fé seja confirmada sempre. É preciso que amadureça sua fé. As pessoas caminham até o momento do deslize. Hoje as pessoas deslizam muito. Tropeçam e caem. Isso porque o demônio está furioso e quer tirar você do caminho. Quando você magoar o Coração de Jesus, peça perdão. Deus detesta o pecado, mas ama o pecador (Nossa Senhora falou essa frase devagar — imprimindo-lhe importância máxima). Então, se você ferir o Coração de Jesus, seja humilde, como nos fala a oração do silêncio, se aproxime de Jesus e peça perdão. Esse perdão precisa ser um perdão restaurador que possa construir uma fonte de santidade e de graça em sua alma.

”Você pede perdão. Você se levanta. Que coisa bonita, filhos! Depois de pedir perdão, você se levanta. Toda a alma que procura Deus, quando O encontra, resplandece! Então você se levanta. Tenho certeza que aqui há filhos que já tiveram essa experiência. Caíram no pecado. Caíram nas armadilhas do demônio. Mas, de repente, Jesus os levantou! No perdão você se levanta. Por isso, Jesus nos falou em uma mensagem deste ano, que o nosso arrependimento tem que ser construtor. Não podemos almejar apenas a aproximação a Deus, temos que permanecer junto a Ele através da vivência da santidade, da renuncia ao pecado, do amadurecimento da fé, da humildade, da simplicidade de alma e do silêncio. Se escutar o mundo, você vai ficar furioso, pois o maior desejo do demônio é ver a todos em fúria. As pessoas em guerra estão em enorme fúria, por isso desejam apenas destruir. Um julgamento impróprio estimula esse estado descontrolado. Ficam todos querendo saber se é verdade ou se é mentira, se aconteceu ou se não aconteceu. Isso é o mal! Mas Deus é o silêncio!

Quando o ser humano condenou Jesus à morte, o que foi que Ele fez? Ele silenciou! O demônio fez de tudo para armar um escândalo. Quis que Jesus debatesse. Mas, Ele disse apenas: Afaste-se satanás’. Assim também, temos que fazer em nossa vida. O demônio quer armar escândalos nas famílias, escândalos na vida missionária, mas nós temos que dizer em nosso coração: ‘Afaste-se satanás’. O nosso coração pertence a Jesus! E, seguir em frente. Por mais que tenha deslizado, você tem condições de seguir em frente. Basta que você se erga, que você se levante. Jesus nos chama para a vitória. Esta bênção de hoje será em especial pela luta de todos aqueles que estão determinados a alcançar a vitória! Você vai colocar aqui os seus filhos, a sua família, os jovens, que precisam tanto ser vitoriosos e vencer as armadilhas do demônio. Porque o demônio quer levar as pessoas ao fracasso. Quando Eu falo da doença espiritual, vejo um mundo de pessoas achando que seus problemas não têm solução, mas a humanidade tem tudo! O que lhe causa a instabilidade é a falta da verdadeira união com Deus. O que leva as pessoas a não ter forças nem para se levantarem é a distância que estão de Deus. Longe de Deus as pessoas não conseguirão vencer o dia e chegar em paz à noite. Que Jesus conceda a vitória a todos os corações necessitados de luz, de paz e de amor. Com alegria, Eu vou abençoar vocês(Momento da benção. Todos cantam: Dai-nos a bênção, Mãe de Bondade, Nossa Senhora de Piedade).

Durante a benção de Maria fiz algumas reflexões. Da mesma forma que Nossa Senhora reforça nossa fé na Eucaristia, Ela também nos alerta para a existência do mal. Nessa mensagem, Ela mencionou o demônio oito vezes. Ela deseja que tenhamos consciência da existência do maligno. Porque se acharmos que ele não existe, não poderemos nos defender. Também, fica difícil explicar a maldade das pessoas, dos filhos de Deus. Somos todos filhos de Deus, criados à sua imagem e semelhança, portanto, intrinsecamente bons. Portanto, as más ações estão diretamente ligadas à presença do maligno na terra. Por isso, logo no começo da mensagem, Ela nos alerta para a necessidade que temos de exorcismo. A mensagem foi concluída com mais uma referência à importância de estarmos sempre vigilantes: ”Jesus nos mostrou a necessidade de vocês estarem unidos ao Espírito Santo, que lhes dará coragem e confiança, para vencerem as ciladas, e serem sempre vitoriosos”. Depois da benção, Maria concluiu, dizendo:

 “Queridos e amados filhos!. Eu abençoei a vocês com muito carinho. Essa benção foi para todas as famílias. Jesus nos mostrou a necessidade da presença do Espírito Santo para que possamos vencer a todas as ciladas do demônio. Coragem e confiança! Se você for corajoso e confiar plenamente, será vitorioso. Que o amor de Deus, que o amor do Pai, do Filho e do Divino Espírito Santo, nos conduza a essa vitória. São muitos os aniversariantes de hoje. Peço a Jesus que ilumine o coração dos filhos que estão aqui e que estão completando seus anos de vida. Peço a Jesus que ilumine aos jovens, às crianças, às famílias, aos homens e às mulheres. Peço a Ele que ilumine a todos que estão louvando e glorificando a Deus pelos seus anos de vida. Nessa mensagem Jesus disse claramente que é pelo batismo que, de fato, chegamos a conhecer o grande milagre da Vida. Louvem, agradeçam e glorifiquem a Deus por estarem aqui neste domingo do Senhor sendo felizes por receberem a benção de Jesus e de Maria. Porque Eu os amo muito e sei a importância de cada um de vocês para o meu Coração Imaculado. Parabéns a todos! Vocês são as flores que Eu tenho, por isso, Eu lhes dou o meu Coração. Deus me chama, e eis aqui a Serva do Senhor!

O maior desejo do demônio é ver o mundo em fúria. As pessoas em guerra estão em enorme fúria, por isso desejam apenas destruir. Um julgamento impróprio estimula esse estado descontrolado
de fúria. Ficam todos querendo saber se é verdade ou
se é mentira, se aconteceu ou se não aconteceu.
Isso é o mal! Mas Deus é o silêncio!

Deus é amor

Nossa Senhora constantemente nos reafirma o amor que Deus tem por nós. Quando cheguei ao Vale em 2008 eram cinco mensagens por semana, duas durante a semana, duas no sábado e uma no domingo. Esse número continuou inalterado em 2009, mas mudou em 2010, quando passou para quatro: duas  durante a semana, uma no sábado e uma no domingo. Portanto, temos agora  quatro mensagens por semana, 52 semanas ao ano, perfazendo um total de  aproximadamente 108 mensagens por ano. E, não me lembro de nenhuma em que Maria não nos tivesse falado do amor, do carinho e do zelo que Deus tem por nós.

Surge, então, a seguinte pergunta: “Por que o Céu tem que nos recordar tanto de seu amor?” O que leva a outra: “Será que o Céu receia que possamos nos esquecer desse amor?”. Isso nos sugere que, se o Céu insiste tanto nisso, deve ser porque o Seu amor por nós é algo de fundamental importância para a nossa felicidade.  O Céu nos lembra de seu amor, como um esposo apaixonado declara sua fidelidade à amada distante. A alma partiu para terras longínquas e deixou o esposo apreensivo pela sua sorte. “Será que vai se deixar seduzir por outro que não se interessa como Eu, pela felicidade dela?”.  Ele, então, escreve cartas para a sua amada e a orienta como deve proceder até que chegue a hora de sua volta para casa. As mensagens mostram os perigos que a alma irá enfrentar e oferecem recursos indispensáveis para o sucesso da jornada. As mensagens de Nossa Senhora no Vale são as cartas do Esposo apaixonado, que vela pela boa fortuna de sua amada. A amada somos todos nós. Portanto, ao ler a Palavra que Maria nos traz, saiba que foi proferida por Alguém que lhe ama e que zela pela sua segurança e pela sua felicidade durante esta breve passagem pela terra.

Nossa Mãe Maria explica como é o amor que o Céu derrama sobre nós. Em 15 de agosto de 2010, num domingo à tarde, no morro das aparições, Ela disse: “Queridos e amados filhos! Este momento de graça e de bênçãos é uma honra para meu Imaculado Coração. É uma honra poder estar presente com vocês e trazer-lhes este alimento que, além de alimentá-los espiritualmente, concede-lhes força para o corpo que necessita se fortalecer para vencer as grandes batalhas e, principalmente, as perseguições do inimigo. No silêncio deste dia, desta tarde, vamos primeiramente louvar ao Senhor. Vamos agradecer ao Senhor, especialmente pela vida, pela paz, por este lugar de oração, pela presença de cada um que veio aqui hoje fortalecer o seu coração e a sua alma, alimentar-se do alimento mais santo e abençoado — que é a Palavra do Senhor —, e suplicar a Deus a graça que necessita alcançar”.

As graças do Céu estão à nossa disposição. É preciso saber pedir e agradecer, porque quanto mais agradecemos, mais graças recebemos e mais felizes seremos. Por isso, devemos estar sempre agradecendo por tudo. É importante que sejamos gratos pelo ar que respiramos, pela comida que comemos, pela roupa que vestimos, pela casa que nos protege, pelo nosso trabalho, pela nossa família, pelos nossos filhos, enfim, agradecer e agradecer, sem cessar. O agradecimento em si é uma sublime oração de louvor a Deus. “Vocês aqui já alcançaram grandes graças e sei que vão alcançar muitas mais. Por isso, vão sempre louvar e agradecer à Santíssima Trindade. Em especial, vamos suplicar a Deus pela graça de um coração humilde e simples para cada um dos filhos que estão aqui para que, de fato, cada um corresponda, com amor, aos desígnios do Senhor. Vamos também pedir pelos doentes, não só do corpo, mas também do espírito e por todos aqueles que sofrem provações e que não estão conseguindo vencê-las. Que Deus lhes conceda força e sabedoria para que não se revoltem e para que tenham sempre a tranqüilidade de confiar e de se entregar cada dia mais à realização da vontade do Céu. É tão bonito saber que o Céu está no meio de nós.

Quando estamos na presença desse Céu, suplicamos pela paz, pelo amor e pela luz que necessitamos. Na presença desse Céu nos colocamos de coração aberto com o desejo sincero de realizar o plano de Deus em nossa vida.

Temos uma missão nobre para cumprir e viver. O Céu tem nos fortalecido porque as provações são fortes e serão cada vez maiores. Sei, filhos, que uma das coisas que vocês mais desejam e que eu também desejo para vocês, é que possam vivenciar a paz. Mas, sei também que, até chegar o grande momento da transformação, que já está acontecendo, o sofrimento se tornará cada dia mais visível. Isso porque o ser humano não se alertou pelo amor, mais vai se despertar pela dor”.

 Além da constância do amor de Deus, o aumento do sofrimento é um dos temas recorrentes nas mensagens. Sim, sem sombra de dúvidas o sofrimento está aumentando. Basta que olhemos à nossa volta, em nossa própria família, em nossa cidade, em nosso país e no mundo. É só ler os jornais, ou assistir a televisão, para vermos que as tribulações crescem dia a dia. No jornal O Tempo, do dia 8 de outubro de 2010, na página 24, li uma notícia que reflete a magnitude do sofrimento da natureza e dos seres vivos. O título da matéria é “Lama tóxica chega ao Danúbio e coloca em alerta seis países”: “O vazamento de lama tóxica provocado pelo acidente em uma usina na Hungria chegou ao rio Danúbio, um dos principais da Europa, e colocou em alerta seis países do Leste Europeu. Enquanto isso, para centenas de moradores das cidades atingidas, a lama pode ter significado simplesmente o fim de seus vilarejos, já que a contaminação levará décadas para se dissipar e o governo húngaro já considera que não faz mais sentido reconstruir as casas nos mesmos lugares. Segundo as autoridades, a taxa de alcalinidade da água no segundo maior rio europeu é superior à normal e continua ameaçando o ecossistema do Danúbio”.  Mais à frente, li o seguinte: “Apesar dos esforços, entidades ambientais como o Greenpeace já classificam o desastre como sendo um dos três piores da Europa nos últimos 30 anos e explicam que não se pode dizer ainda qual será o real impacto para a fauna da região”. A matéria continua com um apelo dos governos dos países afetados para que as pessoas não comam os peixes da região.

Essa é apenas uma das notícias terríveis sobre a poluição ambiental no planeta. O ser humano está, literalmente, destruindo a vida na terra. Como fazemos parte deste ecossistema, ao consumirmos alimentos contaminados e respirarmos o ar poluído, colocamos em risco a nossa própria existência. Do ponto de vista do Céu, não poderia haver tristeza maior, pois Deus ofereceu aos seus filhos e filhas um verdadeiro paraíso terrestre, que, eles, devido à ganância desmedida e ao egoísmo, estão rapidamente transformado em um inferno terrestre. “Ainda há de existir criaturas que, mesmo diante da dor, não acordarão. As pessoas hoje têm pouca vivência de catequese. Você que possui um coração sempre aberto, já questionou inúmeras vezes a razão de ter um coração aberto, enquanto vê as pessoas com o coração tão fechado. São as pessoas que estão vivenciando a mentira e a falsidade. O ser humano está dominado por um egoísmo doentio, a ponto de ser capaz de desejar o mal para o outro que é o seu irmão. Quando você abre seu coração, vê a necessidade que o mundo tem de abrir o coração. Às vezes, você está dentro de uma tempestade e se pergunta: Por que meu coração é diferente?.. Nessa hora você tem que reconhecer e valorizar o conhecimento de Deus. Seu coração é diferente porque seu coração tem Deus. O coração que tem Deus não consegue se fechar para o outro, por mais pecador que seja, por maior que seja a fragilidade dele, por maior que seja a pobreza dele, você sempre vai ter seu coração aberto. Quando você vê alguém com o coração fechado ou passando por uma provação forte, o desejo que você mais vai ter é o de consolá-la. É por isso que Jesus tem nos feito criaturas intercessoras. Tem nos feito compreender que devemos interceder e pedir pelo outro. Especialmente vocês que estão aqui hoje, neste dia do Senhor, tão bonito, vocês têm que pedir por todos aqueles que fazem com que vocês vivam as provações.

As provações não caem como chuvas, elas chegam através das mãos dos seres humanos. São as próprias pessoas que são responsáveis tanto pela construção do bem, quanto pela destruição. Vemos uma destruição muito grande. E o que dói em nosso coração é saber que essa destruição é causada porque a humanidade ignorou a Deus, a vontade de Deus e o plano de Deus para a vida de todos. As pessoas vivem como se a vida fosse só a da terra. Não pensam na alma, não pensam no Céu, não pensam na passagem.

Por isso, Jesus dedicou este ano (2010) aos romeiros e peregrinos. Por que aos romeiros e aos peregrinos? Porque todo romeiro é um peregrino. Todos estão aqui em peregrinação. Não existe ninguém que vai ficar aqui para sempre. A missão de vocês um dia será estendida a uma graça muito superior àquela da terra”.

Quando Nossa Senhora falou isso, eu pensei: “Como a Minha Mãe confia em mim. Que enorme responsabilidade, saber que Ela espera que a minha missão seja estendida a uma graça maior no Céu!”. Ela não só me ensina o caminho, mas também me diz que confia plenamente em minha vitória. Para que eu chegue ao triunfo final é preciso devoção à minha missão e entrega a uma  preparação séria. Não posso chegar despreparado à Presença de Deus.

“É preciso que vocês se preparem para estar na Presença de Deus. As pessoas não têm se preparado—a tendência do ser humano é ficar cada vez mais despreparado. A família está destruída. O jovem está destruído. A criança está destruída. A religiosidade foi afetada e as pessoas não mais se dedicam à santidade. É uma religiosidade voltada mais para o capricho do que para a santidade de Cristo. Cristo é santidade! A sua religiosidade deve ser também santidade. A sua religiosidade não deve ser algo que você faz para aparecer, mas sim, para vivenciar a Presença de Deus em sua vida. Religiosidade é o amor de Deus construindo em nós a verdadeira consciência de sermos filhos Dele. As pessoas estão tão vazias que querem definir Deus como querem e não como Pai.  Jesus tem nos feito refletir em várias mensagens deste ano a seguinte palavra: ‘Deus é Pai’. As pessoas querem encaminhar-se só pelo orgulho e se esquecem da humildade. Querem apenas dizer ‘meu Deus é maior’, ‘minha religiosidade é maior’, ‘minha religião é a melhor’, mas se esquecem do fundamento do amor de Jesus em nós, que nos ensinou o mandamento do amor, do perdão, da partilha, da família fraterna, da caridade, da solidariedade, do amor ao próximo, do acolhimento aos outros, do abrigo às pessoas necessitadas.

“O mundo está desabrigado. A grande doença hoje é a depressão porque as pessoas estão desabrigadas. Por que a pessoa se deprime? Porque não se abriga na luz de Deus. A pessoa que tem Deus no coração possui mais força para vencer o sofrimento, seja na carne, seja na alma, seja temporal, seja material. Você está sob a proteção de Deus. Quando você se protege, tem condição de vencer a provação. É isso que Jesus nos fala. As pessoas às vezes questionam: ‘Por que Deus envia o Céu à terra?’, ‘Por que Deus envia Maria à terra?’, ‘Por que Deus quer a luta dos filhos na terra pelo triunfo do Coração da Mãe do Céu?’, ‘Por que o Céu quer a participação dos filhos?’, ‘Por que a presença dos filhos hoje é importante?’. Porque Deus quer que cada um vivencie a Presença de Seu Amor e se proteja. A presença de vocês aqui é uma busca de proteção. A mensagem que vocês escutam aqui é um alimento para a vida, para o trabalho, para a missão. Tudo na vida é uma missão, filhos! Nada é só por um único objetivo, mas por uma missão maior. Tudo que se faz por uma missão maior, se faz com felicidade.

“Tudo que é missão vem acompanhado de mais provação. A facilidade só ocorre para os que trilham a estrada larga, para os que vivem à base da mentira, da falsidade, da ganância. Mas aqueles que vivem a transparência da caridade e do amor, que pensam no outro e que desejam ajudar aos outros, olham para o mundo e conseguem ver o que Deus deseja nos mostrar. Será que Deus quer essa indiferença toda? Essa injustiça? Essa miséria? Isso tudo porque não há partilha. Não há caridade. A caridade maior é deixar-se tocar pelo coração e ter amor pelo outro. As pessoas não têm amor uns pelos outros. As pessoas não tem respeito uns pelos outros, nem as próprias famílias, nem mesmo dentro de casa. De repente, vemos o Céu nos trazer essa proteção. Quem vem aqui ouvir o Céu está buscando essa proteção. Quem ouve uma mensagem do Céu se protege.

“Na medida em que vai vivendo, vai vendo Deus mostrar para você: ‘olhe ai a provação’, ‘olhe o caminho estreito’, ‘olhe a dificuldade’, ‘olhe o que está vivendo’, ‘olhe a situação de sua família’, ‘olhe a situação em sua casa’, ‘olhe o problema no Brasil’. Ai, então, você corresponde a esse zelo de Deus e entende o que Jesus disse: ‘perca tudo em sua vida, mas não perca a sua fé!’. Tenha confiança. A sua missão aqui na terra é servir. Você é um romeiro. Você é um peregrino. Você tem que caminhar certo, entregar sua a vida para Deus e confiar Nele. É a mão de Deus que vai sustentar você. Se olhar com os olhos humanos não vai ver solução para a terra. Mas se olhar com os olhos da alma, não só vai ver solução, mas também vai buscar a solução em suas próprias ações. Se você faz um bem, esse bem pode transformar a vida de várias pessoas. As pessoas que aqui chegam, têm a oportunidade de presenciarem o bem que se pode fazer a uma criança, a um jovem, a um idoso, a um pai, a uma mãe. Podem ver o bem que o Céu proporciona àqueles que chegam aqui de coração fechado, com uma angústia enorme, querendo uma resposta. O bem que é feito aos que estão carentes, aos que trazem consigo toda a carência do mundo.

As pessoas chegam aqui tão abandonadas. Mas o fato é que elas é que abandonaram a Deus, mas pensam que foram esquecidas. Deus não abandona o filho. É o filho que, muitas vezes, despreza o Pai. É o filho que muitas vezes larga a casa do Pai.

“Há filhos que ainda voltam, que retornam e pedem perdão. Que desejam uma reconciliação, uma reconstrução. Mas existem filhos que teimam em viver na lama, na perdição, na pobreza de espírito. É isso que leva as pessoas a sofrerem tantas enfermidades e terem tantas dificuldades. As pessoas têm dificuldade até para ver a realidade da vida. Há pessoas que acham que viverão eternamente aqui na terra. Por isso, cometem desatinos e passam por cima dos outros. Jesus vem trazendo para nós essa proteção. Ele nos diz: ‘cuidado, você tem uma alma ’, ‘cuidado, você colhe o que planta ’, ‘tenha zelo pelo que planta”, ‘tenha carinho pelo que planta ’. Se você quiser ser feliz, plante a graça, plante a justiça. O caminho de Deus é estreito, é difícil. Você vai chorar ao servir a Deus, na sua missão e no seu trabalho. Se trabalhar por Deus, as lágrimas, muitas vezes, escorrerão pelas suas faces. Mas, será regiamente recompensado, pois a sua alma estará tranqüila. Imagine a quantidade de almas hoje que não têm tranqüilidade. Quantas pessoas vivem um eterno pesadelo? O ser humano sabe que não vai viver aqui para sempre. Há momentos nos quais as pessoas param e percebem que a alma delas está imersa nas trevas. Vivem sufocadas, amarguradas, tristes. É por isso que Jesus está falando: ‘Olhe! Acorde! Há tempo para você acordar ’. Tenha consciência que ainda há tempo para você acordar. Desperte! A vida não é um brinquedo. Ninguém deve brincar com a vida. A vida é uma missão. Todos estão aqui por uma missão.

“Eu, Maria, tenho uma missão. Vocês têm uma missão. Nós juntos temos uma única missão. O Céu tem o amor de nos dar essa missão. É uma missão de vida, uma missão de força. Imagine se hoje o Céu lhe tirasse essa missão. Imagine se o Céu lhe tirar essa missão de ser esse peregrino, de ser um fiel instrumento, de usar a sua sabedoria. Você sabe que a sua inteligência é Deus em você. A sua sabedoria é Deus em você, porque Deus Espírito Santo age em você. A sua graça é a graça de Deus em você. Por isso não precisa ter medo. Enfrente as dificuldades. Enfrente as provações. Se estiver enfrentando um grande desafio, não tenha medo. Se tiver um problema, confie esse problema ao Coração de Jesus. Peça sempre proteção a Deus. Saibam que Deus não abandona ninguém, filhos! Eu sei o quanto o Céu lhes ama, filhos! Eu caminho com o Céu com o objetivo de trazer para os filhos o amor de Deus. Então, lute por esse amor. A maior benção da vida de vocês é estar na graça desse amor de Deus. Tudo lhes será confiado em abundância. É por isso que neste momento vou abençoar-lhes com muito carinho e amor (Momento da bênção. Todos cantam: “Dai-nos a bênção, Mãe de Bondade, Nossa Senhora de Piedade”).

“Queridos e amados filhos! Hoje Jesus nos trouxe a catequese da luz do Espírito Santo que nos mostra a verdade. A Palavra de Deus é claríssima. Mostra a grande necessidade que as pessoas têm em viver a linda missão que lhes foi confiada pelo Céu. Jesus também falou da tristeza que habita o coração que não vive fielmente a vontade de Deus. As pessoas estão tão tristes porque estão distantes da vontade de Deus. Eu pergunto: ‘Será que Deus quer tanta miséria como a que o mundo está vivenciando — tanta violência, tanta maldade? ’. Não é só a doença do corpo, mas também a da alma. Isso é falta de oração e falta de Eucaristia. É falta de amor, falta de perdão. Enfim, é a falta da verdadeira vivência da vontade de Deus, da verdadeira missão que Deus lhe confiou, que é ser feliz. As pessoas vivem infelizes porque só se dedicam a cometer crueldades — com as mãos, com as palavras. Por isso a família se desmoronou, assim como os jovens, que estão sem brilho e as crianças, sem esperança. Mas o Céu nos traz esperança, essa esperança que brilha neste momento, no meio de nós — que é o amor de Deus Pai, Filho e Divino Espírito Santo. Por isso, desejo a vocês uma tarde de paz.  Essa benção de hoje foi para os que estão completando anos de vida, anos de caminhada, pelas famílias e pelos matrimônios. Que Deus abençoe muito a vocês, filhos! A quem me ofertou estas flores tão lindas, saibam que as mais lindas do mundo são vocês, a quem dou o meu coração! Que fique em seu coração a palavra que Deus aí colocou hoje. Deus me chama, eis aqui a Sua Serva  (15 de agosto de 2010—domingo—aproximadamente 13h30—morro das aparições).

Esse amor santo, esse amor forte, esse amor eterno do Pai pelos filhos e filhas é confirmado e reconfirmado mensagem após mensagem. No dia 14 de outubro de 2010, uma quinta feira às 20h20, na capela pequena, Maria disse: “A luta do Céu é forte. Mesmo nesta semana em que o Brasil vivencia tanta alegria, e comemora a data de sua Padroeira (referência ao dia 12 de outubro, dedicado a Nossa Senhora Aparecida), assim como o dia das crianças, vejo que há necessidade de comunhão com o Céu, porque nossa batalha é forte. Nossa missão é de muita responsabilidade porque o Céu tem nos presenteado com a graça de sua presença constante no meio de nós.

Deus vem até esta capela simples e a quer assim, porque a simplicidade nos faz viver mais o seu amor por nós. Tudo aqui nos abriga e nos protege das doenças espirituais. Aqui o Céu está completo. Aqui está a fonte de cura que é a Palavra de Deus. Todos que estão aqui foram chamados. Você tem que ter um cuidado especial com a sua própria salvação. O Céu pede que você tenha vontade de se colocar aqui como instrumento e nos chama para fazer parte desta obra viva, desta Igreja viva”.

No fim de semana anterior (09-10 de outubro de 2010) aqui chegaram  romeiros de vários lugares. Vieram ônibus de Ipatinga, de Campinas e de São Paulo. Também chegaram pessoas em seus carros particulares de cidades vizinhas como Divinópolis e Belo Horizonte. Algumas pessoas vieram pela primeira vez e tive a oportunidade de conversar com várias delas. Senti que estavam em busca de um sentido para a vida. O coração sangrava. Não encontravam mais lugar no mundo. Mas, quando escutaram a mensagem de Maria, recobraram o ânimo. Era como se aquelas almas tivessem recebido uma carta de amor enviada pelo Esposo distante. Era Ele que as lembrava de que a terra não era o lugar delas. Sua morada não era aqui, mas num local infinitamente melhor. A Palavra do Céu nos renova e dá mais ânimo para que continuemos firmes nesta jornada rumo ao Céu. Naquele fim de semana, Ela, novamente nos trouxe palavras cheias de amor e consolo: “O mundo está no sofrimento. A humanidade só vê o sofrimento porque as pessoas estão apenas enxergando o mundo. Não vêem mais a oração, a Eucaristia. Devem se lembrar de que a felicidade do filho de Deus é ver o irmão feliz. Jesus se tornou as pegadas vivas e foi Ele quem nos disse para nos amarmos uns aos outros como Ele mesmo nos amou. O amor de Deus é acolhedor, mesmo vendo que os filhos ainda estão dando apenas os primeiros passos. Deus nos deu os pilares para que possamos nos apoiar. Este ano (2010) dedicado aos romeiros é muito importante para os corações que querem se colocar diante de Deus. Vamos pedir para que as pessoas se encontrem com Jesus”. 

Depois de conversar com as almas desanimadas e que encontraram alento na Palavra de Deus, eu me lembrei do estado em que eu me encontrava quando cheguei ao Vale. Estava como elas, desanimado e desiludido. Eu pensava que os meus problemas não tinham solução. No fundo, eu me acusava de incompetente, achava que as outras pessoas faziam as coisas certas, mas eu não. Passava o tempo me acusando. Mas, depois de conviver com Maria e com as mensagens de amor que Ela nos traz do Céu, mudei e mudei muito. Aprendi que quem me acusava não era Deus, mas o inimigo Dele, o demônio, o grande acusador. Aqui o Pai vem para nos salvar da enxurrada de acusações que recebemos de nós mesmos e do mundo à nossa volta. Nas mensagens aprendemos que a Sua Misericórdia é infinita e que Ele está sempre de braços abertos para nos acolher, porque seu amor é para sempre!

 

 

Você sabe que a sua inteligência é Deus em você. A sua
sabedoria é Deus em você, porque Deus Espírito Santo
age em você. A sua graça é a graça de Deus em você.
Por isso não precisa ter medo. Enfrente as dificuldades.
Enfrente as provações. Se estiver enfrentando um grande
desafio, não tenha medo. Se tiver um problema,
confie esse problema ao Coração de Jesus.
Peça sempre proteção a Deus.

Seu amor
é para sempre

“Assim diz o Senhor, o Rei de Israel, seu redentor, o Senhor dos exércitos: `Eu sou o primeiro, eu sou o último; fora de mim não existe outro Deus. Existe alguém como eu? Que fale. Que o explique e o exponha a mim. Quem anunciou o futuro de antemão, quem nos predisse o que vai acontecer? Não tenham medo, não temam: por acaso desde aqueles tempos eu já não predisse e anunciei? Vocês são as minhas testemunhas: existe outro Deus além de mim? Que eu saiba não existe nenhuma outra rocha” (Isaias 44, 6-8).

 “Ezequias fez, então, ao Senhor esta prece: ´Senhor dos exércitos, Deus de Israel, sentado sobre os querubins; tu és o único Deus de todos os reinos do mundo. Tu fizestes o céu e a terra. Fique atento o teu ouvido, Senhor, e escuta; abre os teus olhos e vê. Ouve tudo o que Senaquerib manda dizer para insultar o Deus vivo. É verdade, Senhor: os reis da Assíria eliminaram à  espada todos os países com seus territórios inteiros. Queimaram todos os deuses daqueles povos, porque não eram deuses, mas coisa produzida pela mão do homem, objetos de madeira ou de pedra que puderam ser destruídos. Agora, tu, Senhor nosso Deus, livra-nos das mãos de Senaquerib, para que todos os reinos do mundo saibam que tu, Senhor, és o único Deus” (Isaias 37, 15-20). “Nessa mesma noite, o Anjo do Senhor feriu no acampamento dos assírios cento e oitenta e cinco mil homens. De manhã, ao acordar, eram só cadáveres. Senaquerib, rei da Assíria, levantou acamamento, foi-se embora e voltou para Nínive, e aí permaneceu. Uma vez, quando estava de bruços fazendo sua adoração no templo do seu deus Nesroc, seus filhos Adramelec e Sarasar o assinaram à espada e, em seguida, fugiram para o pais de Ararat. O outro filho, Asaradon, reinou em seu lugar” (Isaias 37, 36-38).  

O poderoso rei pagão Senaquerib desafiou o Deus de Israel. Mandou dizer a Ezequias, rei de Israel, que ele seria enganado por aquele Deus em quem ele confiava tanto. Assim como os outros deuses não haviam protegido os outros povos conquistados pelos assírios, Aquele também não seria capaz de proteger o povo judeu. Mas o Deus de Israel salvou Jerusalém do cerco de cento e oitenta e cinco mil guerreiros. A narrativa de Isaias mostra o claro confronto das forças humanas (representadas pelos assírios) com a fé no único Deus vivo. A confiança no Senhor acima de qualquer aliança humana salvou o povo judeu do extermínio. O Senhor enviou uma epidemia que dizimou o exército assírio e, logo depois, de volta à sua  pátria, Senaquerib encontrou um fim trágico.

 Na semana de 01 a 06 de agosto de 2011 foram feitas seis leituras da Bíblia. Após a oração da manhã o Livro é aberto ao acaso e a leitura é feita. Percebi que, na seqüência, os diversos textos convergiam para um só assunto: a definição de quem é Deus. Na segunda e na terça feira as leituras saíram do livro de Isaias, capítulos 44 e 36 (textos que deram início a este capítulo), na quarta e na quinta feira, foram lidos os Salmos 135 (136) e 113 (114), na sexta feira, o Eclesiástico 9, 1-20, e, finalmente, no sábado, o Salmo 117 (118).  Os textos acima mostram, pelo menos duas características de Deus, a primeira é que Ele é único, e a segunda é que Ele nos protege de acordo com a fé que depositamos Nele. Isto é, não existe outro Deus além daquele que se revelou ao povo judeu e a sua presença e ação em nossa vida dependem do quanto nos entregamos à sua proteção.

Na seqüência de leituras (quarta feira) surgiu o Salmo 135 (136): “Louvemos ao Senhor, porque ele é bom, porque o seu amor é para sempre! Louvemos ao Deus dos deuses, porque o seu amor é para sempre! Louvemos ao Senhor dos senhores, porque o seu amor é para sempre! (É importante observarmos que são feitas três invocações ao Deus único. Essa talvez seja uma alusão ao fato de que, sim, ele é Uno, e é também Trino). Só ele fez grandes maravilhas, porque o seu amor é para sempre! Ele fez os céus com inteligência, porque o seu amor é para sempre! Ele firmou a terra sobre as águas, porque o seu amor é para sempre! Ele fez os grandes luminares, porque o seu amor é para sempre! O sol para governar o dia, porque o seu amor é para sempre! A lua para governar a noite, porque o seu amor é para sempre! Ele feriu o Egito em seus primogênitos, porque o seu amor é para sempre! Ele tirou Israel do meio deles, porque o seu amor é para sempre! Com mão forte e braço estendido, porque o seu amor é para sempre! Ele dividiu o mar Vermelho em duas partes, porque o seu amor é para sempre! E por entre elas fez passar Israel, porque o seu amor é para sempre! Mas nele arrojou o Faraó e seu exército, porque o seu amor é para sempre! Ele guiou o seu povo pelo deserto, porque o seu amor é para sempre! Ele feriu reis famosos, porque o seu amor é para sempre! Ele matou reis poderosos, porque o seu amor é para sempre! Seon, rei dos amorreus, porque o seu amor é para sempre! Og, rei de Basã, porque o seu amor é para sempre! Ele deu a terra deles como herança, porque o seu amor é para sempre! Como herança ao seu servo Israel, porque o seu amor é para sempre! Ele se lembrou de nós em nossa humilhação, porque o seu amor é para sempre! Ele nos livrou dos nossos opressores, porque o seu amor é para sempre! Ele dá o pão a todo ser vivo, porque o seu amor é para sempre! Celebrem ao Deus dos céus, porque o seu amor é para sempre! ”. A frase  “porque o seu amor é para sempre!” é repetida 26 vezes. O Salmo é para ser lido em forma de ladainha em que as invocações proclamam as obras de Deus, e o refrão, deve ser repetido pelo povo, reconhecendo que as obras do Senhor são uma prova de seu amor infinito, que está sempre se expandindo em uma variedade de miraculosas realizações.

No dia seguinte foi lido o Salmo 113 (114): “Quando Israel saiu do Egito, e a casa de Jacó se apartou de um povo bárbaro, a terra de Judá tornou-se o santuário do Senhor, e Israel seu reino. Ao vê-los, o mar fugiu, o Jordão voltou atrás. Os montes saltaram como carneiros, e as colinas como cordeiros. Mar, o que você tem para fugir assim? E você, Jordão, para voltar atrás? E as montanhas, para saltar como carneiros? E as colinas, para saltar como cordeiros? A terra estremece diante do Senhor, ante a presença do Deus de Jacó: ele transforma as rochas em lago e a pedreira em fontes de água”.  

Esse salmo é um hino de louvor ao Deus que além de libertar o povo, também passa a habitar no meio dele. É uma clara indicação de que Deus vive no meio de nós, está sempre presente, jamais ignora as nossas necessidades. Por isso, é preciso desenvolver cada vez mais a intimidade com Ele através de uma vida reta e da prática constante de orações. As orações são uma lembrança dessa Divina Presença no meio de nós. A referência ao mar fugindo é uma alusão à libertação da escravidão do Egito, quando o mar se abriu. No caso do rio voltando atrás, isso quer dizer que o povo conquistou uma terra nova, às margens do Jordão. Por fim, esse salmo mostra que o universo inteiro estremece diante do poder do Senhor, que liderou aquele povo e que pode, sim, transformar até mesmo as situações mais adversas. Esse é o Deus que se revela a Israel.

No dia 05 de agosto de 2011 a leitura sorteada foi do livro do Eclesiástico 9, 1-9: “Não tenha ciúmes da esposa que você ama, para que ela não empregue contra você a malícia que lhe houver ensinado. Não vá ao encontro da mulher fácil, para não cair em suas armadilhas. Não se entretenha com uma tocadora de lira, para não ficar preso em suas artimanhas. Não fixe o olhar numa virgem, para não ser castigado com ela. Não se entregue às prostitutas, para não perder o patrimônio que você tem. Não fique olhando pelas ruas da cidade, nem vagando em recantos solitários. Desvie o seu olhar de uma mulher bonita e não fite uma beleza que não lhe pertence. Muitos já se perderam por causa de uma bela mulher, porque o amor por ela queima como fogo. Nunca se assente à mesa ao lado de uma mulher casada, nem festeje bebendo vinho com ela, para que seu coração não se enamore e a paixão o faça escorregar para a ruína”. O Eclesiástico foi escrito como uma síntese da memória histórica do povo judeu. Reaviva a identidade desse povo e o valor eterno de suas tradições. Pode ser considerado como a experiência básica de toda pessoa e de qualquer povo. É a sabedoria que nasce da experiência concreta de uma nação e tem como objetivo conduzi-la pelo caminho reto, que leva a Deus. Essas são instruções práticas de como as pessoas devem se conduzir no convívio social. São explicações mais detalhadas de uma das leis que Deus passou diretamente a Moisés, ou seja, não devemos cobiçar a mulher do próximo. Faz parte da estrutura do ensinamento passado durante essa semana de que Deus está presente até mesmo nos mínimos detalhes de nossa vida. De fato, o relacionamento homem-mulher é algo fundamental para o bem estar de todos. O respeito mútuo forma a base da família e, conseqüentemente,  alicerça a formação de uma sociedade mais saudável. A leitura nos mostra a Presença Divina no dia-a-dia do povo judeu. Esse povo sabe que, ao se afastar da lei, o sofrimento aparece. Por outro lado, quando a Lei Divina é obedecida a vida se equilibra, e os resultados positivos se fazem sentir tanto na saúde do corpo quanto da alma.

Concluindo as leituras da semana, no sábado, dia 06 de agosto de 2011 foi lido o Salmo 117 (118): “Agradeçam ao Senhor, porque ele é bom, porque o seu amor é para sempre! Que a casa de Israel repita: o seu amor é para sempre! Que a casa de Aarão repita: o seu amor é para sempre! Que aqueles que temem ao Senhor repitam: o seu amor é para sempre! Na minha angústia, eu gritei para o Senhor e ele me ouviu e me alivio. O Senhor está comigo; jamais temerei! O que o homem me poderia fazer? O Senhor está comigo e ele me ajuda. Eu verei a derrota de meus inimigos! É melhor refugiar-se no Senhor do que depositar nossa confiança no homem. É melhor refugiar-se no Senhor do que depositar nossa confiança nos chefes. As nações todas me cercaram: em nome do Senhor, eu as rechacei! Cercaram-me, fecharam o cerco: em nome do Senhor, eu as rechacei! Cercaram-me como vespas, ardendo como fogo no espinheiro: em nome do Senhor, eu as rechacei! Iam me empurrando para me derrubar, o Senhor, porém me socorreu. O Senhor é minha força e energia, ele é a minha salvação. Há gritos de júbilo e vitória nas tendas dos justos. A direita do Senhor é poderosa! A direita do Senhor é sublime! A direita do Senhor é poderosa! Não vou morrer. Eu viverei para contar as obras do Senhor. O Senhor me castigou e castigou, mas não me entregou à morte!

Abram para mim as portas do triunfo. Vou entrar agradecendo ao Senhor. Esta é a porta do Senhor. Os vencedores entrarão por ela. Eu te agradeço porque me ouviste, e foste a minha salvação. A pedra que os construtores rejeitaram tornou-se a pedra angular. Isso vem do Senhor e é maravilha aos nossos olhos. Este é o dia em que o Senhor agiu. Exultemos e alegremo-nos com ele. O Senhor nos dá a salvação! Dá-nos a prosperidade, Senhor! Bendito o que vem em nome do Senhor!

Desde a casa do Senhor nós abençoamos vocês. O Senhor é Deus: ele nos ilumina! Formem procissão com ramos até os ângulos do altar. Tu és o meu Deus, eu te agradeço. Meu Deus, eu te exalto! Agradeçam ao Senhor porque ele é bom, porque o seu amor é para sempre!”. É notável que essa frase, “porque o seu amor é para sempre!” tenha sido repetida tantas e tantas vezes durante esta semana. Justamente na semana em que as leituras respondem a pergunta: quem é Deus? A conclusão é de que Deus é puro amor. Ele é Aquele que nos salva nos momentos de aflição e nos perdoa nos momentos em que erramos. Ele também nos fala de seu Filho, que viria, mas que seria rejeitado por aquele povo. Justamente o povo que foi preparado por séculos para recebê-lo, o povo de onde Ele próprio nasceu, o rejeita. Jesus se refere a esse salmo quando pergunta aos fariseus:

“Vocês nunca leram na Escritura: A pedra que os construtores rejeitaram tornou-se a pedra angular? Isso foi feito pelo Senhor e é admirável a nossos olhos” (Mateus 21, 42-44).

Sim, Ele foi rejeitado por seu povo, mas tornou-se o alicerce do Reino de Deus na terra. Todo aquele que segue de perto o caminho proposto por Jesus está ajudando na construção de uma nova terra, de um novo lar para a humanidade, um lugar onde reinará a paz, a justiça, a verdade e o amor, o amor de Deus!

 

 

 Louvemos ao Senhor, porque ele é bom,
porque o seu amor é para sempre!
 Louvemos ao Deus dos deuses,
porque o seu amor é para sempre!
 Louvemos ao Senhor dos senhores,
 porque o seu amor é para sempre!

Salmos 135 (136), 1-3

 

 

 

 

 

 

 

 

Viva o amor de Deus!

Queridos e amados filhos! É importante vivermos a cada dia presenciando a graça de Deus, porque o demônio tenta nos desanimar de várias maneiras e formas. Mas a Misericórdia de Deus é o sustento daquele que confia sua vida plenamente ao Céu. O Céu nos pede transparência. Que as atitudes sejam construtoras de paz. Que os corações construam o amor. Que os atos dos filhos e filhas de Deus sejam cada dia mais abençoados. Que você possa acreditar mesmo quando tudo parece tão difícil, quando as dificuldades parecem enormes, quando você olha para a cruz e sente que o peso dela parece ser maior que a benção.

Por isso é que a família, os jovens e as crianças de hoje, precisam se orientar pela Palavra de Deus, que não é apenas para as pessoas amadurecidas. A Palavra de Deus é também para as crianças e para os jovens, porque é um alimento necessário a todos. É como a oração. A oração é para todos: orar, vigiar e se preparar. Nunca deixe de vivenciar aquilo que Deus ensina porque os alertas celestiais são enormes. Deus está sempre mostrando que quer algo de nós e que algo Ele tem para nos dar, para nossa vida, para nossa caminhada. Seja um exemplo mesmo quando o mundo tentar, de todas as maneiras, desviar você.

Para um filho que já vacilou muito e que hoje se direciona ao caminho da paz e da santidade, dê testemunho disso por onde você passar. Porque é o bom exemplo que traz a transformação. Àquele que dá testemunho da verdade, muitos terão alegria em seguir. Por isso, Jesus chamou você a dar testemunho da obra, daquilo que Ele faz, do que Ele tem feito.

Filhos! O mundo está aqui. Vocês representam esse mundo, por isso, nós vemos as feridas do mundo aqui. Vemos as dificuldades, as fraquezas, as quedas, porque o mundo está presente na vivência desta família fraterna. Aqui está um pouquinho daquilo que Jesus Cristo quer nos mostrar para que tenhamos uma visão do quanto precisamos permanecer firmes na fé. Não é a toa que o Céu nos ensina a segurar nas mãos de Deus. Essas mãos serão o nosso sustento. Precisamos demais dessa sustentação. Sozinhos não conseguiremos. É por isso que precisamos nos apresentar diante da graça de Deus. Por onde você vá, se apresente primeiro a Deus. Haverá momentos em que você ficará surpreso por tudo que o Céu fará em sua vida. Você vivenciará coisas tão lindas que seu coração irá glorificar a Deus de forma cada vez mais intensa. Mesmo diante de um mundo tão cheio de trevas, você terá a visão da luz. Aquele que um dia caminhou por essas trevas e depois encontrou Jesus é que sabe dar, realmente, testemunho dessa Presença, dessa Presença tão real, tão próxima. É o próprio Jesus vivendo em você. Existe uma coisa muito bonita: quando Ele vive em você, a sua voz proclama, as suas mãos dão testemunho e os seus pés caminham. Você tem sede de vida plena.

Encontramos um abismo muito grande, meus filhos, que é a necessidade de amadurecimento no mundo, inclusive dos jovens e das crianças. Neste ano (2010), Jesus tem nos falado nas mensagens sobre a importância de orar pelos jovens e pelas crianças. Ele não traz nada que não seja uma necessidade para nosso crescimento. Tudo que Jesus fala para nós é a maior lição de amor. Traz um ensinamento que poderemos procurar no mundo inteiro, que não vamos encontrar. Ele nos mostra a verdade, a verdade que, muitas vezes, as pessoas não querem enxergar. É por isso que a humanidade está tão distante das pegadas de Jesus. O ser humano teima em continuar nas trevas. Não quer se aproximar da luz. Quando Jesus fala que este é o ano do povo de Deus e que a oração deve ser direcionada ás crianças e aos jovens, é algo que temos que dar atenção e ter uma presença constante na oração. Aqui, em nossa comunidade há muitos jovens e crianças. Conduzi-los ao caminho do amor de Deus e da santidade não é algo muito fácil. Também não é difícil, mas é uma batalha constante. Você tem que buscar sempre estar diante do amor de Jesus. É esse amor que vai sustentar você. Por que a humanidade está desanimada? Por que as pessoas não estão reagindo? Por que estão acomodadas?

O ser humano se acomodou diante do pecado e diante do pecado permanece quieto, sem vontade de reagir. Mas a catequese do Céu nos conduz a uma reação. Abra os seus olhos e também abra o seu coração. Se abrir só os olhos não adianta, tem que abrir também o seu coração. É quando você abre o seu coração que Deus faz a obra em sua vida.

Nesta mensagem Jesus fala para vocês, principalmente, para as pessoas mais adultas. Quantas vezes você foi um homem que caiu, que vacilou, mas que hoje encontrou a graça de Deus. É por isso que você está com o coração sedento para levar esta evangelização a um mundo tão carente e tão pobre de espiritualidade. O amor de Deus nos aproxima desta catequese. Nossa catequese hoje nos traz uma lição de amor. Tudo que a gente tem feito em nossa vida, nossa caminhada, nossos atos, nossa mudança de vida, tudo tem que ser feito para a verdadeira construção do amor. Jesus também nos traz a verdade. Não adianta se esconder da verdade. É preciso reagir. A humanidade tem que reagir. Para que possamos ver um mundo melhor, temos que saber o que Jesus Cristo quer de nós. O que Ele deseja é a verdadeira construção do alicerce da família. A família é o alicerce maior que existe, é a maior riqueza do mundo. O ser humano fala muito de tesouros. Um grande tesouro que precisa ser valorizado é a família, porque ninguém a está valorizando mais. Ninguém valoriza pai, ninguém valoriza mãe. Ninguém valoriza a missão que tem. Ninguém valoriza a infância ou a juventude.

É preciso entender a situação destes finais de tempos. É preciso entender porque há tanta fragilidade, principalmente fragilidade da matéria. Por que o ser humano hoje é dominado por tantos vícios? Por que acontece isso? Algo que está acontecendo de forma total, pois é difícil encontrar perseverança e santidade nas famílias e nos jovens. O que Jesus fala para nós? Ele está falando de algo que precisamos nos dar conta que está acontecendo, isto é, a humanidade perdendo completamente o seu brilho.  É preciso caminhar sobre as pegadas de Jesus.

Há muito tempo venho ensinando para vocês que o amor de Deus é um amor verdadeiro. Em várias mensagens eu insisti. Principalmente no início da caminhada de vocês aqui, minha batalha era para ensinar-lhes a viver o amor de Deus. Muitas vezes Eu lhes disse: “O amor de Deus é um amor verdadeiro, de Alguém que realmente nos ama”. Esse é o grande ensinamento que Deus nos traz: a verdade do grande amor que Ele tem por nós.

Mas, infelizmente, a humanidade não está valorizando as coisas que de fato são importantes. Não valoriza o Evangelho, os sacramentos, os mandamentos, e é justamente essa falta que está provocando a grande destruição. As pessoas no mundo todo se encontram sem alicerce. Não adianta paralisar-se de susto, mas, sim, procurar abrigo no Coração de Jesus. O Céu nos convida a participar dessa batalha que é a luta pela Misericórdia Divina e o triunfo de meu Imaculado Coração. É uma batalha grande, uma batalha forte. A necessidade hoje é a de resgatar as pessoas. Vemos até mesmo aqui na comunidade fraterna que muitas almas precisam desse resgate. Por quê? Porque quando está diante da fragilidade, dos sofrimentos, permitindo que o inimigo zombe de você, você precisa desse resgate. O mundo todo está precisando desse resgate. Deus nos coloca aqui tendo uma visão do que é o mundo. Não adianta fazer do Vale uma caixa linda, toda enfeitada, e dizer que a comunidade é assim. É preciso abrir essa linda caixa e ver que aqui também existem as dificuldades e as batalhas que o mundo tem. Devemos, ao mesmo tempo, ter vontade de sermos orientados.

Devemos permitir a orientação, pois ela vem direto do Céu. Será que quando você entra na capela, está realmente disposto a deixar esse tesouro entrar em sua vida? Ou será que sua razão quer ser maior, que sua vontade quer predominar? É, por isso, que devemos sempre fazer um exame de consciência e nunca ouvir a mensagem por ouvir. É preciso pedir sempre ao Espírito Santo que nos ajude e fazer uma preparação para essa escuta. Temos uma diminuição de mensagem, mas um aprendizado de catequese muito maior do que possamos imaginar. Quanto mais próximos estamos da grande graça, mais precisamos ser fortes.

Veremos mais problemas e sentiremos mais dificuldades. Por isso, vamos precisar cada vez mais agir segundo os alertas do Céu. É importante que cada um esteja aqui de coração aberto, buscando realmente uma preparação forte e sábia. Porque na batalha em que estão participando, precisam confiar em Deus. Não é simplesmente querer ter uma aparência de vida, mas uma essência de vida que só Jesus pode dar a vocês, principalmente agora, nestes tempos. É por isso que, com grande carinho e amor Eu vou abençoar-lhes. (Momento da bênção. Todos cantam: “Dai-nos a bênção, Mãe de Bondade, Nossa Senhora de Piedade”.).

Queridos e amados filhos! Abençoei vocês com muito carinho. A benção foi para todos os meus filhos. A mensagem nos coloca aqui com o coração. É isso que Deus quer: o nosso coração. Deus nos ama. É preciso lembrar-se sempre disso. É importante que a cada dia, mesmo diante das fragilidades, das quedas, dos momentos de fraqueza, possamos encontrar esse amor de Deus para buscarmos uma vida nova. Lembre-se do que disse Jesus: “Vá e não peque mais”. Precisamos dessa graça de Deus, que é estar, de fato, nas mãos Dele. Essa benção de hoje foi para filho Tiago. Que Jesus conceda a ele muita luz e paz. Que seu coração seja sempre iluminado, principalmente, nessa missão tão linda que Deus confiou a ele. Que Deus lhe dê a serenidade, a sabedoria e a mansidão de coração e de alma e o desejo de lutar cada vez mais pela sua santificação. Parabéns também para a minha filha Alessandra. Que Jesus lhe conceda muita luz e paz. Que Ele dê a seu coração a sede de fazer sempre aquilo que Deus quer. A todos os aniversariantes de hoje desejo muita paz. Aos que estão pedindo bênçãos de consagração das suas famílias, dos seus filhos, e, principalmente para mães, que Deus abençoe, proteja, ilumine e lhes dê paz e muita força. Abençoei também aos doentes. Foram colocados aqui muitos filhos que estão em dificuldades e passando pelas fragilidades das doenças da carne. Que Deus abençoe a todos e lhe dê muita força.

Essa benção foi também para meu filho Ademar e para todos os seus filhos, os filhos que Deus confiou a ele, conforme a missão que abraçou. Hoje Jesus falou muito para os jovens. Uma coisa que acho importante na missão de vocês aqui é o amor, é o amor que o Ademar tem que ter com essas almas. Tem que ter também paciência porque são filhos especiais em todos os sentidos. Jesus fala que a criança e o adolescente têm uma alma boa e nunca podemos deixar de ver isso. A carência é justamente de afeto. Então, desejo que a casa pai possa ter no coração a virtude do ser pai. Que esses jovens possam encontrar no Ademar a proteção paterna, a proteção que hoje, infelizmente, falta tanto nas famílias. Quando o amor é sincero e verdadeiro, o crescimento vem, a boa vontade vem. Assim como ele tem boa vontade, vocês também precisam ter boa vontade, principalmente, os jovens. Os jovens devem amar, se dedicar e assumir responsabilidades neste momento em que Deus os prepara para uma vida de responsabilidades crescentes. Por isso é preciso ter um alicerce verdadeiramente amadurecido. Jesus fala do tanto que os jovens precisam ser santos, do quanto precisam lutar por uma vocação de santidade e por uma missão de santidade. Deus presenteou a comunidade com uma casa importante. A missão dessa casa é a de cuidar, de alertar e de zelar. Não é fácil. Estamos diante de uma realidade difícil. Infelizmente a conduta da juventude está muito distante daquilo que Jesus gostaria que fosse. O jovem vive mais a emoção do que a missão. Por isso, o jovem tem que colocar sempre em seu coração a oração e se despertar para o trabalho. Que Deus proteja essa casa e que Deus ilumine o coração de todos os filhos e o coração do Ademar que se entregou a essa missão. Que Deus Pai, Deus Filho e Deus Divino Espírito Santo proteja cada um de vocês. A quem me ofertou estas flores tão bonitas Eu dou o meu Coração de Mãe. Eis aqui a Serva de Deus e eis que o Senhor me chama (23 de setembro de 2010—quinta feira – 20h30—capela pequena).

Antes dessa mensagem eu tinha pedido a Marilda para conversar com Nossa Senhora. Solicitei que lhe perguntasse quais deveriam ser os meus próximos passos e o que Ela desejava de mim. Depois da mensagem Marilda disse: “Entrega total!”. Em retrospectiva, lembrei-me de que, durante a mensagem, Maria menciona Jesus, quando Ele disse: “Vá e não peque mais”. Senti que alguns trechos da mensagem visavam responder àquela pergunta:

“Para um filho que já vacilou muito e que hoje se direciona ao caminho da paz e da santidade, dê testemunho disso por onde você passar. Porque é o bom exemplo que traz a transformação. Àquele que dá testemunho da verdade, muitos terão alegria em seguir. Por isso, Jesus chamou você a dar testemunho da obra, daquilo que Ele faz, do que Ele tem feito”.

“Por onde você vá, se apresente primeiro a Deus. Haverá momentos em que você ficará surpreso por tudo que o Céu fará em sua vida. Você vivenciará coisas tão lindas que seu coração irá glorificar a Deus de forma cada vez mais intensa. Mesmo diante de um mundo tão cheio de trevas, você terá a visão da luz. Aquele que um dia caminhou por essas trevas e depois encontrou Jesus é que sabe dar, realmente, testemunho dessa Presença, dessa Presença tão real, tão próxima. É o próprio Jesus vivendo em você. Existe uma coisa muito bonita: quando Ele vive em você, a sua voz proclama, as suas mãos dão testemunho e os seus pés caminham. Você tem sede de vida plena”.

“Quantas vezes você foi um homem que caiu, que vacilou, mas que hoje encontrou a graça de Deus. É por isso que você está com o coração sedento por levar esta evangelização para um mundo tão carente e tão pobre de espiritualidade. O amor de Deus nos aproxima desta catequese. Nossa catequese de hoje nos traz uma lição de amor. Tudo que a gente tem feito em nossa vida, nossa caminhada, nossos atos, nossa mudança de vida, tudo tem que ser feito para a verdadeira construção do amor. Mas Jesus também nos traz a verdade. Não adianta se esconder da verdade. É preciso reagir. A humanidade tem que reagir. Para que possamos ver um mundo melhor, temos que saber o que Jesus Cristo quer de nós. O que Ele deseja é a verdadeira construção do alicerce da família. A família é o alicerce maior que existe, é a maior riqueza do mundo”.

 

 

Orar, vigiar e se preparar. Nunca deixe de vivenciar aquilo que Deus ensina porque os alertas celestiais são enormes. Deus está
sempre mostrando que quer algo de nós e que algo Ele tem
para nos dar, para nossa vida, para nossa caminhada.
Seja um exemplo mesmo quando o mundo tentar, de
todas as maneiras, desviar você. Para um filho que
já vacilou muito e que hoje se direciona
ao caminho da paz e da santidade,
dê testemunho disso por
onde você passar.

 

 

 

O amor de Deus por nós
supera todo o entendimento

Queridos e amados filhos! Na paz deste silêncio vamos refletir sobre a grandeza da Presença do Pai, do Filho e do Divino Espírito Santo em nós. Vamos agradecer a Deus por Ele ter escolhido os corações que aqui vieram para estar em Sua Presença. Cada um vai fazer um exame de consciência e refletir sobre a importância de ser fiel a Deus.  Muitos são chamados, poucos correspondem ao apelo do Céu. Jesus hoje nos pede que sejamos mais do que um bom ouvinte, mas um bom filho. Um bom filho é aquele que deixa a Palavra fazer em sua vida a obra que Deus deseja. Deus quer santidade, justiça e a felicidade do coração de seus filhos. O mundo pode tentar lhe sufocar de todas as maneiras, mas Deus está sempre como Pai perto de você, procurando lhe dar proteção e libertação. Quando ouvimos a Palavra de Deus, sentimos a cura em nosso coração, porque o milagre do Céu se realiza através do grande mistério do amor de Deus por nós.

Filhos! Como o mundo precisa do amor de Deus! Se algum dia, por um minuto sequer, não precisa mais, chegarem à compreensão do quanto o mundo precisa do amor de Deus, entenderiam, então, porque Deus me envia à terra de corpo e alma. Entenderiam também porque Ele enviou o Seu próprio Filho e porque Jesus morreu por vocês. Se as pessoas tivessem um pouco mais de entendimento e discernimento, não causariam tanta mágoa ao seu coração e ao Coração de Jesus devido a uma ganância e um desrespeito tão grande. Na vida nós precisamos mesmo apenas de uma coisa: do amor de Deus!  Precisamos saber amar com o amor de Deus, porque o amor humano é caprichoso demais. Infelizmente o demônio zomba do lado humano das pessoas. Por isso, não conseguem ter abertura para o Espírito Santo. Neste ano do silêncio, Jesus pede que nos abramos para o Espírito Santo. O ser humano está fechado, ouve o Céu mas não permite a orientação do Espírito Santo. A humanidade precisa ser guiada pelo Espírito Santo para vencer esse mal que tanto a atormenta que é o pecado. A destruição que se vê nas famílias é falta de unção. As pessoas não têm mansidão, mas são rebeldes e egoístas, sem paz no coração. Por qualquer motivo as pessoas entram em guerra e, depois, quando percebem os estragos dessa batalha, já é tarde, pois, percebem que tudo foi desmoronado. Destruir é fácil, construir é difícil. Jesus nos pede que deixemos o Espírito Santo habitar em nossa vida. Só por Ele chegaremos a realizar o plano de Deus.  Esse pedido de Jesus se dirige  principalmente àqueles que estão aqui nesta hora em que o Céu se abre e que Deus me envia de corpo e alma, por meio da unção do Espírito Santo presente na brisa mansa.

Eu me enchi do Espírito Santo quando o Anjo do Senhor apareceu diante dos meus olhos. Naquele momento a graça da unção do Espírito Santo me fez a Mãe de Jesus.

Se vocês também se deixarem encher pelo Espírito Santo, no momento em que Eu, pela vontade do Pai, estou presente com vocês — nesta linda missão da luta pelo triunfo de meu Imaculado Coração —, a alma de vocês se alegrará! Uma alma alegre é uma alma bem-aventurada. A bem-aventurança passará a fazer parte de sua vida. Os sinais de Deus serão realizados em sua vida. Que coisa linda! Então, permita que o Espírito Santo faça a obra em sua vida. É Ele que nos dá as condições de mudança de vida, de aceitação! Muitas vezes será necessário que você examine sua consciência e fale: “Eu estou precisando de cura, estou precisando de libertação!”. Não é fácil reconhecer sua limitação humana, seu capricho humano. Mas é preciso, principalmente para aqueles que estão hoje a serviço de uma obra orientada pelo Céu. A pessoa precisa ser transparente, ser pedra viva. Não pode ser pedra morta. Tem que estar viva! Jesus disse que a Igreja não é só a de barro, mas, sim, de jovens, de homens, de mulheres e de crianças. A igreja de tijolos de barro é apenas um lugar de reflexão. A Igreja de fato somos todos nós. Este Vale, por exemplo, é um lugar de receber o Céu, mas o Céu está aqui porque vocês estão aqui. O Céu está aqui por causa de cada um de vocês. E a graça de Deus se realizará em nossas almas. O plano de Deus fará fluir em nossa vida o grande milagre da transformação. O mundo precisa de um milagre. Só um milagre pode fazer com que as pessoas se transformem, mudem seus corações. As pessoas estão endurecidas demais, principalmente, no coração. Ninguém tem mais sabedoria de escuta e de entendimento. A pessoa quer sempre estar com a razão e se esquece que nem sempre está certa. Será que está certo o que a humanidade está fazendo com as crianças? O abandono? O desprezo? A desarmonia na família? O ser humano buscando só a satisfação da carne? Será que Deus quer isso? Será que Deus deseja que impere essa tristeza advinda da colheita de maus frutos? A pessoa colhe aquilo que planta. Se plantar coisas boas, vai colher coisas boas. Mas se contrariar os desígnios de Deus, vai colher apenas sofrimentos, tempestades. Isso tudo tem acontecido porque as pessoas foram incapazes de permitir a atuação do Espírito Santo em suas vidas. Elas focam mais a sua atenção no mundo e seguem os ditames do mundo. Mas será que isso é certo?

Vejam a quantidade de sofrimentos espirituais, materiais e temporais, essas tantas dores que atingem à humanidade, será que isso não é conseqüência das ações do próprio ser humano? Tem-se falado que “o castigo vem do Céu”, mas, na verdade, quem está castigando vocês é o próprio demônio. Ele zomba de vocês. Depois lança sobre vocês as fragilidades que vocês mesmos plantaram. Mas, se buscarem a unção do Espírito Santo, serão abençoados. Deus abençoa, porque Deus é Pai!

Neste dia de hoje refletimos sobre a unção dos pais (sábado que antecede o dia dos pais) e nos preparamos para celebrar um dia tão especial que é o dia dos pais. Este é o momento em que vocês devem refletir sobre a nossa filiação divina: Deus é o nosso Pai! Justamente por ser um Pai que abençoa, Ele mostra aos filhos a necessidade de serem ungidos e iluminados. Com alegria vou abençoar a todos vocês (Momento da bênção. Todos cantam: “Dai-nos a bênção, Mãe de Bondade, Nossa Senhora de Piedade”).  

Com carinho, Deus nos dá a honra de sermos abençoados. Eu como Mãe, sou abençoada por abençoar aos meus filhos. Jesus nos falou muito do Espírito Santo. Falou da ação do Espírito Santo em sua vida. É Ele que vai lhe trazer serenidade, humildade e simplicidade para que você possa realizar o plano de Deus em sua vida. É Ele que vai lhe dar condições de ser fiel à Palavra e aos ensinamentos do Céu. Que o amor do Pai, do Filho e do Divino Espírito Santo guarde, ilumine e proteja a todos os filhos. As flores mais lindas de meu jardim são vocês, por isso Eu lhes dou o meu Coração. Muita paz! Sigam sobre o caminho que Jesus Cristo é: verdade, vida e salvação! Deus me chama e eis aqui a Serva do Senhor! (13 de agosto de 2011—sábado – 13h30—morro das aparições).

 

 

 

 

Vejam a quantidade de sofrimentos espirituais, materiais e
temporais, essas tantas dores que atingem à humanidade, será
que isso não é conseqüência das ações do próprio ser humano?
Tem-se falado que “o castigo vem do Céu”, mas, na verdade,
quem está castigando vocês é o próprio demônio.
Ele zomba de vocês. Depois lança sobre vocês as
fragilidades que vocês mesmos plantaram.

Mas, se buscarem a unção do Espírito Santo,
serão abençoados. Deus abençoa,
porque Deus é Pai!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Deus é Pai!

Queridos e amados filhos! Este momento é de grande sabedoria e também de muita alegria para nossos corações. Para o meu Coração Imaculado, a alegria é encontrar vocês aqui em oração, é enxergar essa abertura linda do coração de vocês para Deus e ver essa busca sincera da vivência da vontade de Deus. Para o coração de vocês, a alegria é poder estar em um lugar de paz — um lugar escolhido por Deus, na simplicidade da Misericórdia Divina — buscando alcançar esta graça que nos é tão necessária que é a paz. Nesta mensagem de hoje vamos buscar vivenciar essa paz, vamos buscar ter essa paz. Hoje, com muito carinho, nos lembramos do Pai, do Pai Criador. Esse Pai que enviou seu próprio Filho ao mundo para a salvação de todos vocês. Durante este ano (2010) em vários momentos das mensagens, Jesus tem nos ofertado palavras fortíssimas, palavras que justamente nos ensinam que Deus é Pai!.

Por que Jesus nos aproxima desse Pai?  Porque o mundo está sem alicerce. As pessoas estão como se fossem pagãs e órfãs. Ninguém mais pensa com a sabedoria do Espírito Santo, pensa mais com a capacidade humana, com sua capacidade de raciocínio pobre. Não têm o raciocínio divino, que vem da Presença de Deus, do Amor de Deus, em sua alma. Hoje, filhos, o mundo se envolve no coração da grande Paternidade Celestial, porque Deus para explicar o amor do Pai, fez o homem, pai. Ele deu ao homem a graça de ter em seus braços a grande multiplicação da prosperidade e da santificação que Deus concedeu ao seu coração que é ser pai. Ser pai é ter honra para ser digno de ser aquilo que Deus realmente quer dos pais: criaturas dispostas a ter uma doação completa de amor aos seus filhos. Mas hoje os homens na terra estão muito pobres dessa doação. Existem homens que são pais e nem sequer reconhecem seus filhos. Outros, são pais e não amam seus filhos. É por isso que o mundo precisa tanto da Presença de Deus Pai, da Presença de Deus Criador. O Pai criou. Ele nos concedeu a grande graça da prosperidade. Essa prosperidade que está tão perto de nós, no coração do homem, da mulher, dos jovens e das crianças.

Neste domingo temos a honra de estar na Presença desse Pai Eterno, desse Divino Pai Eterno. Esse Pai Eterno vai conduzir todos os pais para a graça paternal, para a graça de serem bons pais. Por isso vamos colocar aqui todos os homens que não têm amor por seus filhos. Também vamos pedir por todos , os homens que tiveram a felicidade de ter filhos especiais. São especiais aqueles que têm filhos especiais. É tão bonito você lembrar disso com amor. Nunca com rancor, nunca com medo, nunca com angustia — mas sempre com amor. Porque é para os corações especiais que Deus traz pessoas especiais. Quando Eu estou aqui presente de corpo e alma com vocês, filhos, eu medito muito sobre o quanto vocês são especiais. Porque Deus enviou para vocês algo de especial: a minha Presença de Corpo e Alma na terra. Essa Presença é por uma necessidade muito grande dos filhos, é por uma emergência na conversão. O mundo precisa se converter a Deus, urgentemente!. Quando olho para este pais que Eu amo tanto — o Brasil — vejo Deus lançando uma sementinha em diversas partes do mundo, inclusive desta nação. Vejo o quanto vocês são especiais. Porque só as pessoas humildes é que abrem seus corações para um mistério de Deus tão grande. Para um milagre tão próspero, mas tão simples. Muitos imaginam que Deus é Aquele que virá no barulho, fazendo prodígios materiais para os olhos verem. Mas Ele vem é na humildade e na simplicidade, onde as pessoas nem conseguem perceber, principalmente, as orgulhosas. Foi assim o nascimento de Jesus e assim também foi a morte de Jesus.

O plano de Deus é assim, sem rumores, sem grandes coisas. Manifesta-se nas pequenas coisas. Como nesta tarde de hoje vejo aqui a simplicidade deste lugar e o quanto é bonito a gente viver esta simplicidade. A simplicidade está no coração de vocês. Deus tem feito dos filhos romeiros, peregrinos, homens e mulheres de coração muito humilde, muito simples. São somente os simples que conseguem, realmente, acreditar naquilo que Deus faz, como no milagre grandioso de Jesus na Eucaristia e na Presença do Céu hoje no mundo, especialmente me enviando como Mensageira para todos os povos, fazendo com que as nacionalidades se assemelhem. Trazendo para o mundo a unidade de todos os filhos e trazendo para a humanidade esse Coração que os ama tanto, que é o meu Coração de Mãe.

De forma especial, vamos agradecer ao Pai Eterno, ao Pai Celestial. Todo o prodígio que Deus tem feito em minha vida e na vida de vocês é porque Ele nos ama, porque Ele quer a paz. Ele quer um mundo justo, pessoas melhores, uma terra mais santa. Ele quer que os homens procurem a santidade e sejam mais humanos, mais solidários, mais fraternos. Eu sei que o plano de Deus já está acontecendo no mundo. Não é um sonho, é uma realidade. É uma realidade bonita de se viver e mais bonita ainda de se compreender. Quando abrimos nosso coração passamos a ter o entendimento do que Deus está fazendo. Entendemos as críticas que sofre o povo de Deus e as perseguições que muitas vezes vêm daqueles que deveriam é estar dando força. Como disse Jesus, o plano de Deus é diferente do plano do mundo. O mundo quer sempre júbilos, mas Deus mostra a cruz. Deus mostra o caminho estreito e a dificuldade. Nunca vai ser como você quer. Não se preocupe. Não queira demais que o outro seja como você. Ore. Ore por aqueles que não têm a mesma fé, por aqueles que não têm o mesmo coração. Peça a Deus sempre  piedade. Quando você for criticado, não critique também. Silencie! Isso dói, disse Jesus. Dói muito. Porque, no fundo, nós queremos é ser amados. Nós sabemos quando estamos dizendo a verdade. A verdade é algo que permanece. A mentira vai-se. O homem não consegue mentir por longo tempo. É por isso que Jesus disse: “Não tenham medo quando Eu chamar vocês, porque Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida!”.

Eu sei, filhos, que a minha Presença de corpo e alma aqui é o sinal mais grandioso do amor que Deus tem por vocês. Só estou aqui, porque Deus verdadeiramente ama vocês. Na verdade, caminhamos ao encontro de uma graça imensa que é o triunfo do meu Coração, a vitória de Deus. A grande derrota do inimigo. Estamos aqui já diante dessa batalha. Vencer o mal não é nada simples. É preciso ter muita fé, adorar Jesus no Santíssimo Sacramento, comungar todos os dias, fazer a oração diária do Santo Rosário. Algo que para muitas pessoas é difícil, mas é tão bonito quando isso é feito com amor.  Se você ainda não tem uma preparação de busca diária, busque, sim. Comece sempre. Disse Jesus, depois que você colocar o meu caminho sob os seus pés você nunca mais deixará de ser caminhante.

Jesus tem se tornado esse caminho maravilhoso para que nós, de fato, possamos segui-lo. Vamos pedir hoje por todos os pais que estão aqui. Que vocês sejam todos instrumentos de paz, que sejam instrumentos de Deus. Medite sobre a presença de São José na vida de vocês. Quando o homem tem no seu coração a vocação matrimonial, deve ter uma devoção grande a São José que foi aquele que, não só teve um amor muito grande a Jesus, mas também teve um grande amor a todos os filhos e filhas de Deus. Ele foi também um canal de graças escolhido por Deus aqui na terra para ser o protetor de Jesus. Sabemos que pelo milagre do Espírito Santo, Jesus se fez homem e habitou no meio de nós. É por isso que nós estamos felizes nesta contemplação da Santíssima Trindade e do Pai Eterno, a quem pedimos por todos os pais. Pedimos que dê a todos a generosidade de corpo e alma. Com grande carinho e amor Eu vou abençoar a vocês (Momento da bênção. Todos cantam: “Dai-nos a bênção, Mãe de Bondade, Nossa Senhora de Piedade”).

Queridos e amados filhos. Eu abençoei vocês com muito carinho. Esta benção foi para toda esta família. De uma forma muito especial, pelos pais e pelos jovens que têm no coração esse desejo, essa vocação de ser pai, de ser protetor, de ser um instrumento de Deus para fazer deste mundo, um mundo cada vez mais cercado da prosperidade. Deus nos ensinou que Ele é o fermento do crescimento de todos nós. Nesta mensagem Jesus nos fala da necessidade de estarmos sempre na graça de Deus, principalmente, os pais. Nos fala sobre o quanto é bonito ser esse caminhante, ser esse romeiro, ser esse peregrino, por ter a fé que nos move, a fé que nos sustenta. Devemos ter a coragem de sempre seguir adiante, sem medo. Deus é por nós. Se Ele está conosco, não vamos ter medo das dificuldades. Ele é maior do que todas elas. Que o amor de Deus Pai, Deus Filho e Deus Divino Espírito Santo proteja, guarde e ilumine todos vocês, sempre. A quem me ofertou estas flores tão lindas eu digo que as mais belas e lindas de todas são vocês, a quem Eu dou o meu Coração de Mãe. Peço a todos que orem pelos pais e parabenizem seus pais. Não se esqueçam do Pai Eterno.  É por Ele que cada um dos pais que estão aqui hoje e no mundo inteiro são capazes de vivenciar um amor tão grande, nobre e rico. A riqueza do coração de um pai é a graça de poder se sentir rico por ter filhos. É por isso que Jesus nos fala que temos que valorizar essa riqueza porque somos o tesouro de Deus. Quem me ofertou estas flores tão lindas eu dou o meu Coração de Mãe. Eis aqui a Serva de Deus, a Imaculada Conceição e eis que o Senhor me chama (8 de agosto de 2010—domingo—dia dos pais—morro das aparições – aproximadamente 13h30).

 

 

Sabemos que pelo milagre do Espírito Santo, Jesus se fez homem e habitou no meio de nós. É por isso que nós estamos felizes nesta contemplação da Santíssima Trindade e do Pai Eterno, a
quem pedimos por todos os pais. Pedimos que dê a
 todos a generosidade de corpo e alma.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A doçura do Pai

Queridos e amados filhos! Hoje precisamos agradecer de todo o coração ao Pai. Agradeçamos ao Pai Celestial pela graça da unidade que o amor de Deus constrói no coração de toda a humanidade. Essa é a linda missão paterna. A própria Igreja tem a graça de ter os sacerdotes como condutores das famílias. Jesus nos deu a honra da proteção de São José para os corações de todos os homens da terra. Vamos elevar nossos preces a Deus, como cristãos que  estamos aqui buscando conhecer as riquezas lindas do Céu que são muito maiores do que qualquer riqueza da terra. É necessário orar pelos pais. O objetivo no dia de hoje é o de reunirmos as famílias e abraçarmos os pais. É também necessário que haja mais sabedoria no coração tanto dos pais, quanto dos filhos. Que o abraço não seja dado apenas neste domingo. O bom pai, o bom filho, é aquele que a todos os momentos de sua vida louva e glorifica a Deus pela família. A família precisa ser muito abençoada. Como Mãe, Eu peço a Jesus que conceda Luz ao coração dos pais. Que não venha faltar responsabilidade ao coração dos homens chamados por Deus a cumprir esse desígnio do Céu. O desígnio é o privilégio de ser pai. Nesta mensagem vamos pedir ao Divino Pai Eterno que ilumine a todas as famílias, que ilumine a todos os pais aqui presentes, que estão também orando pelos pais deles. Da mesma forma elevamos nossas orações por aqueles que estão ausentes das coisas de Deus. Quantos pais já não têm mais a alegria de vivenciar no coração a participação no maior dos maiores banquetes do mundo que é a Eucaristia. Isso é algo que todos os pais da terra precisariam hoje buscar: Jesus! Que Jesus possa dar a graça da conversão ao coração desses pais mais necessitados.

Também vamos suplicar a Deus pelos pais que são pais de filhos especiais. Será que você já agradeceu a Deus hoje por isso? Ser pai já é uma honra e poder ser pai de um eterno anjo, é uma honra muito maior. Mas, acontece muitas vezes do pai pegar nos braços o filho especial e começar a murmurar em seus pensamentos e se esquece de agradecer a Deus por tamanha graça. Jesus ama muito aqueles que são felizes e agradecem e louvam à Santíssima Trindade por lhes ter honrado com a graça de um filho especial. Não é qualquer pai que está preparado para isso. Então, se Jesus, entre muitos foi chamar justamente você, é porque Ele confia em você. O mais importante é que Ele deseja que a sua confiança seja também depositada Nele. Louve a Deus por isso. Existe no coração de muitos pais que estão aqui presentes a graça de terem recebido de Deus, filhos especiais. Isso é um privilégio. Que Jesus cubra você, pai especial, de bênçãos, de força, de coragem. Olhe para Jesus e não para o mundo. O mundo não tem o preparo que o Coração de Jesus pode lhe dar: entrega, aceitação, respeito, transformação, mudança e acolhimento.

Estamos aqui por que desejamos acolher ao Céu. E foi esse mesmo Céu que nos concedeu o dom de acolher a Palavra. Não é qualquer coração que está preparado para receber essa graça. Principalmente o coração dos homens, tem pouco preparo. Mas a mulher já tem um coração mais brando do que o dos homens, que muitas vezes possuem um coração revestido de muitas coisas, se esquecendo das grandes virtudes da mansidão e da sabedoria. São José foi designado para trazer doçura ao Coração do Menino Jesus. Ele era doce e verdadeiro com Jesus. Os pais, os homens em geral, precisam ser mais dóceis. Que essa doçura, essa mansidão, não esteja apenas no coração das mães, mas também no coração dos pais. Eles possuem essa graça que é preciso ser colocada em ação. Mas para manterem uma aparência, se esquecem de sua própria essência, que é tão doce.

Pais! Sigam o exemplo do doce São José, que trouxe tanta suavidade ao Coração do Filho de Deus. Que o Coração do Filho de Deus possa hoje adoçar os corações paternos, principalmente, dos sacerdotes, que também precisam tanto da unidade, da unção e da caridade para conduzir de forma correta o seu rebanho e direcioná-lo para o caminho certo. A humanidade vive como se não tivesse direção porque segue o mundo e se esquece da Palavra de Deus. Disse Jesus: “Quem segue a Palavra, não se confunde, não erra”.  Está a orientação maior que é seguir a Palavra de Deus. Vamos suplicar a Deus pelo Santo Padre, o Papa Bento XVI, que tem essa grande família que é a Igreja. Que Jesus lhe dê muita unção a esse filho que nestes tempos tem sido o pastor de vocês. Ele é o pastor da família de Deus. Você tem orado pelo pastor que lhe conduz? Há muita cobrança e pouca oração. Vamos, portanto, refletir sobre o que Jesus disse: “Amem-se uns aos outros”. Aquela alma que mais luta pela felicidade de todos os corações é também a alma que mais força precisa para fazer isso.

A religião de vocês como cristãos, a fé de vocês, não nasceu na areia, mas em Cristo. Foi uma fundação sólida e verdadeira. Tenha mais alegria em agradecer a Deus pela família. Quem é pai busca, de fato, ungir seu coração e procura a proteção da Santíssima Trindade, principalmente a proteção do Pai Eterno. Os corações do Brasil se voltam para o Divino Pai Eterno. O povo brasileiro suplica a Deus por pais bons e por famílias santas. Esse é o maior tesouro.

O ser humano pede a Deus muita saúde para o corpo. É preciso também pedir saúde para a alma. Quando você vê o corpo em feridas, então, percebe o quanto é fraco. Mas também quando sua alma está distante de Deus, você se enfraquece demais. Vamos pedir a Deus muita saúde para o corpo, e especialmente para a alma de todos os pais da terra. Que todos sejam fortalecidos pelo amor do Divino Pai Eterno. Com alegria eu vou abençoar-lhes (Momento da bênção. Todos cantam: “Dai-nos a bênção, Mãe de Bondade, Nossa Senhora de Piedade”).

Queridos filhos! Eu abençoei a todos vocês com alegria. Abençoei a todos os pais. Parabéns pelo privilégio de ter um dia dedicado a vocês. Vocês são especiais. Mais do que esse dia que Deus lhes presenteou é a honra de poder refletir em vocês o amor de Deus Pai nos corações. Jesus falou muito da doçura e da mansidão. Isso ainda falta no coração dos homens aqui na terra.E é tão necessário para que possam vivenciar a paternidade como um dom de Deus. Parabéns! Essa bênção foi também para o Luiz Miguel. Que Jesus dê a ele muita paz, muita sabedoria. Que ele continue sendo essa riqueza para todos os corações de sua família. Parabenizo também à minha filha Isabela. Que Jesus lhe dê muita força e que seu coração seja fortalecido pela luz do Espírito Santo. Para todos vocês eu desejo a paz! Sejam conduzidos pelo amor do Pai, do Filho e do Divino Espírito Santo. As flores que tenho hoje, tão lindas, são os pais, por isso, dou a eles o meu Coração de Mãe. Eis aqui a Serva do Senhor e eis que Ele me chama (14 de agosto de 2011—domingo—dia dos pais—morro das aparições – 13h35).

Quase um mês depois, Maria retornou com o tema da doçura. Foi na mensagem do dia 11 de setembro de 2011, um domingo, no morro das aparições, quando Ela chegou exatamente ás 13h40. Falou da mansidão que Jesus passava para Ela e São José no convívio familiar. Disse que São José se encantava com a mansidão de Jesus, que tudo sabia transformar em amor. Portanto, aquele carinho que São José Lhe ofertou, foi multiplicado por Jesus, retornando fortalecido para Seus pais. É maravilhoso quando Maria compartilha conosco um pouco de sua vida aqui na terra. Assim, nos relembra que não é apenas um Ser Celestial, mas que também, como nós, viveu aqui e que, como nós, enfrentou os desafios de uma vida em família. Se a mensagem daquele domingo tivesse terminado aí, já teria sido um ensinamento valioso, pois nos sugere que o caminho da doçura é, de fato, o mais eficaz para a educação tanto dos filhos, quanto dos próprios pais. A mansidão e a leveza no trato retornam multiplicadas para nós. Vale a pena todo esforço que fizermos com o propósito de aumentar a serenidade, o carinho e o amor dentro de nosso lar.

Além desse ensinamento, Nossa Querida Mãe também nos falou de outras coisas, que eu gostaria de comentar. De uma forma geral, temos consciência de que nossos atos são, em grande parte, direcionados pela nossa vontade, à qual Deus respeita. E, no caso de uma visita ao Vale, algo além de nossa escolha pessoal também atua. Age em nós  a vontade de Deus. Nossa Senhora fala que, quando estamos escutando uma mensagem, Jesus se faz presente no coração de cada um que foi escolhido por Deus para estar ali escutando os ensinamentos do Céu. Portanto, além de nossa vontade, também opera em nós a vontade do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Essa Força Celestial se torna presente em nós a partir do momento em que decidimos vir até aqui. Podemos encontrar inúmeros empecilhos pelo caminho, mas, com resolução e com a ajuda de Deus, aqui chegamos para escutar o Céu.

Maria afirma ser Ela a brisa mansa, que deseja trazer a suavidade para todos os corações. Em união com o Santo Coração de Jesus, nos pede para suplicarmos pela santidade de todos os Seus filhos. Pede que nos entreguemos Àquele que é a vida e a verdade: Jesus! Ser de Jesus é ser sereno, simples e manso. Principalmente neste ano dedicado ao silêncio, Ela nos mostra a mansidão de Jesus, Aquela Presença em seu lar que era tão mansa a ponto de ser capaz de transformar tudo em amor. Assim era Jesus, de acordo, com a descrição de Sua própria Mãe. Portanto, quando Ela vê tanto sofrimento nas famílias — que se sentem pesadas sob o fardo das dores espirituais —, a única coisa que pede que seja concedia a essas famílias é a mansidão de Jesus. Onde chega essa mansidão, tudo se acalma. A grande insatisfação do ser humano só poderá ser acalmada por Jesus. As pessoas se perguntam por que até mesmo as pessoas santas estão doentes. Elas estão enfermas, sim, mas conseguem carregar a cruz com paciência, pois souberam se aproximar de Jesus.

Ele é o caminho, a verdade e a vida, e todo aquele que O segue tem a sabedoria de vivenciar a mansidão, a simplicidade, o temor a Deus, a plenitude da serenidade e do silêncio. Mesmo sofrendo, as pessoas santas encontram em Jesus o máximo de consolo. Mas aquelas que não O aceitam sofrem em dobro porque se desesperam. Imagine, uma pessoa com câncer e sem fé, sem nenhum consolo espiritual. Em que ela poderá se agarrar? À dor da enfermidade se adiciona o suplício do desespero. Isso é o que Nossa Senhora não quer para nenhum de nós.

Portanto, nos aconselha a vigiar e a orar para não cairmos nas tentações do demônio. Pede que fiquemos com os olhos e com o coração abertos. Que nos preocupemos mais em fazer desta breve passagem terrestre, a nossa vitória, e não a nossa derrota. Para isso, devemos nos fortalecer com a paz, com a mansidão e com a alegria que são nossos verdadeiros amigos. Ela nos alerta quanto ao amor do mundo, que é baseado em interesses pessoais, portanto é um amor passageiro. Como diz o Salmo 118, aquele que é sábio não confia no ser humano, mas apenas em Deus. Maria garante que o amor de Jesus é a única fonte de plenitude que pode nos trazer equilíbrio e santidade, e proteger-nos nesta caminhada rumo ao Céu.  O plano de Deus é o nosso abrigo. Somos abrigados pelo plano de Jesus. Ele nos lava, nos purifica de todos os males e de todos os sofrimentos espirituais.  Os sofrimentos espirituais se originam do ato de pensar. Os maus pensamentos são a origem da dor. Nossa Senhora confirma algo que também se encontra nos livros de psicologia. O pensamento controla as emoções, que comandam nossas ações. Tudo começa no pensamento. Uma má ação tem suas raízes na mente humana. Não que a pessoa seja intrinsecamente má, porém, ao se deixar seduzir por idéias perversas, pode até chegar a cometer atos indesejáveis, dos quais poderá se arrepender amargamente. Daí a importância suprema de controlar nossos pensamentos. Isso pode ser facilitado ao escolhermos melhor os lugares que freqüentamos e as pessoas com as quais convivemos. Dá para entender melhor porque Nossa Senhora quis criar o Vale, um lugar onde somos orientados a vigiar e a orar. Ninguém aqui é forçado a vigiar e a orar, mas se não o fizer, aos poucos vai se sentindo abandonado e triste. Não é que a Mãe o desprezou, mas, sim, que ele desconsiderou o doce convite materno. Assim, todo o sofrimento e o peso da maldade se originam nos maus pensamentos, que podem ser combatidos com a persistência na oração e no silêncio.

Nossa Senhora insiste na suprema necessidade de nos entregarmos à oração e à vigília constantes. Só assim poderemos, literalmente, morar no Coração Manso de Jesus. Ela garante que somos o povo de Deus que habita o Vale da oração. Estes são tempos em que precisamos nos aproximar cada vez mais de Jesus na Eucaristia e mantermos a oração em família. Ela pede a todos que vêm ao Vale para levarem o hábito da oração para suas próprias casas. Afirma também que, quando a pessoa vai até uma Igreja e adora a Jesus no Santíssimo Sacramento, deve levá-lo consigo para sua casa. Não devemos pensar que, ao sairmos da Igreja, deixamos Jesus para trás, não! Ele sai dentro de nós. Isso ocorre, quando nos alimentamos com bons pensamentos e cultivamos a postura silenciosa frente aos ataques do mal. Ela nos estimula a levar no coração essa Palavra que encontramos no Vale do silêncio. Ao chegarmos em casa, devemos distribuí-la para nossos entes queridos. Ao distribuirmos a Palavra, Ela se entranha cada vez mais em nós, até chegar o dia em que não seremos mais nós que vivemos, mas a própria Palavra que vive em nós.

Nossa Senhora fez um forte apelo aos filhos para não abandonarem os pais idosos. Jesus foi fiel ao Coração de Maria e ao Coração de São José. Os pais  precisam dos filhos. O desprezo a eles é um reflexo do abandono no qual se encontra a própria terra. As nações se abandonaram e vivem apenas pelos caprichos mundanos, daí a situação desprezível em que se encontram os pais mais velhos. Maria nos pediu para implorar a Misericórdia Divina que toque os corações dos filhos para serem mais piedosos com aqueles que cuidaram deles na infância. Ela nos suplica que sigamos à risca o Evangelho, ensinamento deixado por Jesus, mas que foi desprezado pela humanidade. Por isso, agora, nestes finais de tempos, Maria nos é enviada com a finalidade de nos mostrar que Cristo é o único salvador. Ela também nos explica que cada um de nós deve ser canal de salvação. Somos os filhos que, com a sabedoria da Misericórdia de Deus, iremos ajudar as pessoas a encontrarem Jesus e a sua eterna mansidão.

Apesar do calor que predominava naquela tarde de domingo, no morro das aparições soprava uma brisa fresca. Maria disse ser a brisa mansa o Seu próprio Filho renovando aqueles que desejassem ser renovados. Imagine, a opção é nossa. Ao nos colocarmos ali com o desejo sincero de uma vida nova, essa alegria nos é concedida. Não temos que esperar. Basta que nos coloquemos agora na Presença, para que possamos sentir a renovação constante que chega através da brisa mansa. Por tudo isso, não há como não se apaixonar pelo Céu e por Essa Linda Mãe que nos acolhe e nos resgata, e  que cura todas as nossas feridas, sejam elas do corpo ou da alma. Além disso nos assegura que sairemos dali mais vigilantes e orantes, louvando e glorificando ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo, pelas bênçãos recebidas.  

   

São José foi designado para trazer doçura ao Coração do Menino
Jesus. Ele era doce e verdadeiro com Jesus. Os pais, os homens
em geral, precisam ser mais dóceis. Que essa doçura, essa
mansidão, não esteja apenas no coração das mães,
mas também no coração dos pais.

 

 

 

 

Não espere mais!
Vá agora ao encontro de Deus

Queridos e amados filhos! Este é um momento muito importante, principalmente para os corações aqui presentes. Um dos maiores e mais valiosos tesouros da vida é ter um coração sempre em Deus, sempre na Presença de Deus. Algo que é muito forte, especialmente, neste pedacinho de chão que Deus abençoou, para a manifestação de muitas graças é a entrega total, o amor verdadeiro e a fidelidade. Jesus nos ensina a ser instrumentos de paz e a caminhar seguindo os passos misericordiosos que Ele nos deixou como o amor, a entrega, a família, a fraternidade. Ele nos fez uma grande família que é a igreja, o povo de Deus orante. Esse povo de Deus precisa se despertar para os valores dessa família santa e sagrada. Jesus abençoou esse tesouro de supremo valor que é o Seu povo. É por isso que nós estamos aqui em uma missão linda de orar pelo mundo, de suplicar a Deus pela paz e de colocar no coração de Deus, todos os instrumentos que estão evangelizando e querendo cada vez mais ser um evangelizador. Vamos orar por aqueles que estão na busca de ser um verdadeiro evangelizador que é aquele que se evangeliza também. A maior evangelização é o exemplo de vida, filhos. Não são palavras, mas o exemplo de vida. As palavras, quando saem do coração, e quando saem da boca de quem realmente é evangelizado, passam a ser o alicerce fundamental de crescimento para as pessoas mais necessitadas.

Jesus foi o grande evangelizador. Por que Ele foi o grande evangelizador? Porque Ele foi um grande exemplo de vida. Ele deu a vida por vocês. Ele mostrou o Caminho, se tornou um ensinamento e deu para vocês o conhecimento da graça. Preencheu a vida de vocês de graças e transformou o coração de vocês em abundância. Lapidou suas almas. Deu a todos o conhecimento da verdadeira fonte da felicidade, assim como a felicidade plena. Mostrou como caminhar ao encontro de uma vida nova. Sabemos que o tesouro maior de nossa vida é quando estamos em um lugar que tem a Presença de Deus. Por isso é importante que o povo de Deus esteja consciente da manifestação de Deus no mundo. O tesouro não está escondido.

O tesouro está se manifestando para que possamos ver a nossa riqueza. Que coisa linda! Deus, além de nos fazer ricos, transmite para nós o valor de nossa riqueza. Estamos aqui caminhando ao encontro dessa riqueza e de sua valorização. Sabemos que estamos nos finais dos tempos, que não é o fim do mundo, mas, sim, tempo de receber a grande graça que Deus quer conceder ao mundo que é a transformação, a salvação, o triunfo de meu Coração de Mãe. O mundo precisa. O mundo são vocês, filhos! É a vida que Deus concedeu a cada filho, a vida que precisa ser verdadeiramente reestruturada, porque as pessoas não estão vivenciando o valor do batismo, o valor da fé, o valor de ser um filho de Deus perseverante e um católico presente. Hoje as pessoas estão muito ausentes. Procuram, mas não vivenciam a graça que deve ser presença e que deve ser permanente. Assim como seu corpo precisa do alimento diário, também a sua alma necessita de alimento todos os dias.

A palavra de Deus quando cai em nosso coração fica ali para sempre. É um alimento eterno. Esta palavra é a manifestação do que cada um precisa para ser uma semente da árvore da vida, que é Deus. Deus é a árvore e nós somos a sementinha. Temos que ser, de fato, instrumentos porque somos uma semente dessa árvore. Então, temos que dar testemunho dessa árvore de vida. Eu, como Mãe, vejo o milagre que Deus fez em minha alma de ser a Imaculada Conceição. Na vida de vocês, filhos e filhas, eu vejo o milagre da presença de Deus, que fez de vocês Seus filhos e filhas. Ele lhes deu a felicidade de conhecer a religiosidade e conhecer Cristo, que nos ensina a viver essa   religiosidade, que é a vivência do amor de Deus. O verdadeiro catecismo é a vivência do amor de Deus. Esse amor que hoje nos traz uma doação e uma entrega muito linda, onde o próprio Jesus tem nos feito almas reparadoras e consoladoras, intercessoras. Por que Ele nos coloca aqui para interceder pelas pessoas mais necessitadas? Por aquelas pessoas que tristemente deixam que suas almas sejam feridas pela violência praticada, pelos pecados cometidos, pelos vícios, que são enormes. O ser humano tem um grande vício em sua vida, precisa ser verdadeiramente curado: a mentira. O ser humano precisa se curar da mentira. Ele mente o tempo todo. A mentira o afasta cada vez mais de Deus que é a verdade.  

O ser humano comete coisas horríveis e finge não ter cometido. Sabe que está praticando coisas erradas e finge que está certo. Ele tem que ter conhecimento da verdade. Deus quer autenticidade. Deus ama o filho pecador, mas detesta o pecado. Você tem que ter este conhecimento: “Ele quer que eu seja verdadeiro!”. Se apresente diante de Deus. Se apresente como você é. Se você caiu, se apresente diante de Deus, como um filho arrependido que quer o perdão. Se apresente diante de Deus como um filho que sabe perfeitamente que precisa da acolhida do Pai. Se apresente diante de Deus como aquele filho que está doente e que precisa da cura do Pai. O Pai é a cura!.O Pai é a libertação! Se apresente a Deus. No momento em que Eu estou aqui presente de corpo e alma, Eu apresento vocês a Deus. Eu os coloco diante de Deus. E a presença de Deus aqui é o Pai, o Filho e o Espírito Santo. O Espírito Santo é o canal que nos faz entender porque o Filho está aqui, porque o Pai nos acolhe aqui. Nós estamos aqui em uma missão belíssima, filhos! Uma missão de unidade. Sim, existem aqui homens e mulheres pecadores. Aqui existem imperfeições humanas, mas Deus quer fazer da imperfeição do ser humano, a grandeza da preparação dos homens e das mulheres. É reconhecendo a sua fragilidade que as pessoas terão força para ser santas. Assim terão a coragem necessária para vencer as garras do demônio.

Eu sei que existem conversões maravilhosas de corações que estão aqui. Isso é que realmente traz a grande graça da evangelização. Porque hoje quando você fala de evangelização, você fala do testemunho da Presença de Deus em você. Você que um dia foi perdido, caiu nas trevas, deixou o inimigo zombar de você, mas hoje reestruturou a sua vida. Agora é feliz. Você que achava que a felicidade era ilusão. Hoje sabe que a felicidade é a Presença de Deus em sua vida.  A felicidade é estar na Presença de Deus. Meus filhos e filhas!, Não demorem. O Céu hoje clama para que cada filho esteja na Presença da Graça. Então, vamos nos colocar aqui na Presença da Graça de Deus. Com nossos corações abertos vamos suplicar pela paz, vamos orar pela paz, vamos pedir a paz. Com nossos corações abertos, vamos pedir nesta tarde pelos jovens, pelas crianças, pelas vocações, pelas famílias santas. Vamos pedir para que haja famílias santas. É a Deus que temos que pedir santidade.É a Deus que temos que pedir um mundo melhor. É a Deus que temos que pedir a paz. É a Deus que temos que pedir a restauração e a edificação. É a Deus que temos que pedir a cura para vencer a tribulação, a perseguição do demônio. É a Deus que temos que suplicar pela paz, pela transformação de nosso coração. É a Deus que vocês têm que entregar sua vida, sua família, sua missão na terra, porque Ele ama você. Deus ama você! Foi por isso que Ele trouxe cada um de vocês até aqui.

Eu sei que para chegar a um lugar onde Deus se manifesta, vocês encontram mil dificuldades. Primeiro chegam as dúvidas, as críticas, as perseguições, que muitas vezes vêm da própria famílias cristã. Disse Jesus: “Quantos não sabem reconhecer a minha Presença”. Jesus caminhou entre os doutores e os doutores questionaram Jesus, duvidaram d’Ele. E Ele simplesmente mostrou a verdade, que é transparente. A verdade permanece, filhos! A verdade é uma graça que Deus realiza no coração de seus filhos e filhas. Então, a verdade de Deus é em nós! É por isso que você tem que ter sede de ser um bom testemunho, especialmente você que está aqui, quem vem a este lugar, porque experimenta da palavra. Conhece a palavra. O Evangelho da Bíblia Sagrada nos dá o conhecimento da verdadeira plenitude da Presença de Deus em nós. Aqui temos esta catequese que não é nada mais, nada menos do que esse Evangelho. Porém, a humanidade não o viveu. Esqueceu dele, guardou-o. É por isso que Deus mostra o tesouro. Ele apresenta o tesouro aos filhos. Ele mostra a riqueza aos filhos e diz: “Filhos, vocês são ricos, mas busquem conhecer por vocês mesmos”. O conhecimento está na Palavra de Deus, santa e sagrada. Hoje, filhos e filhas, coloquem o seu coração nas mãos de Deus. Você que veio de tão longe para mergulhar neste oceano da Misericórdia. Se apresente ao Senhor. Se você tem uma dificuldade e quer alcançar a graça, saiba que Deus é a graça. Ele não é a dificuldade. Ele é a graça!

Por isso acredite! A maior riqueza é ter fé, porque ela nos faz alcançar o impossível, principalmente, o impossível. Para os homens é impossível restaurar o mundo. Mas para Deus é possível porque Deus é Misericórdia. Ao contrário do mundo.dos homens, que olham com os olhos humanos, Deus nos ensina a olhar com os olhos da alma, do coração. São esses os olhos que nos mostram a Misericórdia de Deus. Neste momento, vamos fazer uma reflexão sobre o sacrifício do Cordeiro de Deus. Ele que entregou a sua vida para a salvação da vida de todos vocês. É muito importante que vocês meditem sempre sobre sangue sagrado de Jesus.  É o sangue da cruz, que traz para você uma vida nova, transformação e lapidação. É esse sangue que transforma totalmente o seu ser e que cura você! O que o demônio mais teme é esse sangue de Cristo. É por isso que na oração, na Eucaristia, na unidade, na união, na família fraterna, na igreja católica, você deve se unir a esse sangue do Cordeiro de Deus. Por isso, a humanidade precisa ter essa unidade (14 de agosto de 2010—sábado—tarde).

 

Nós estamos aqui em uma missão belíssima, filhos! Uma missão de unidade. Sim, existem aqui homens e mulheres pecadores. Aqui existem imperfeições humanas, mas Deus quer fazer da imperfeição do ser humano, a grandeza da preparação dos homens e das mulheres. É reconhecendo a sua fragilidade que as pessoas terão
força para ser santas.

 

                                          

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O andarilho que foi ao
encontro de Deus

Em 1997 descobri o Vale. Eu sou de Coromandel, Minas Gerais, mas naquela época não era de lugar nenhum. Em visita a minha prima, Escolástica Nunes, de Patos de Minas, escutamos juntos uma fita cassete com uma mensagem de Nossa Senhora (do Vale da Imaculada Conceição em Piedade dos Gerais, MG). Ao escutar a mensagem, senti um forte chamado para visitar o Vale. Poucos dias depois, eu já estava a caminho. Vim de ônibus, pois, minha prima, ao ver o meu desejo sincero de conhecer o Vale, pagou minha passagem. Peguei o ônibus de Patos para Belo Horizonte (6 horas e meia de viagem) e depois o de Belo Horizonte a Piedade dos Gerais que sai às 7h00 da manhã e chega às 11h00.  Depois de mais de dez horas de viagem, eu estava morto de fome e sem dinheiro. A primeira pessoa que vi, quando cheguei na comunidade, foi Tia Ana que me explicou que eu poderia almoçar de graça na cozinha comunitária. Portanto, para mim, a primeira benção foi poder comer sem ter que pagar pela comida. Para tantas pessoas a comida chega até de sobra, mas para mim nunca foi assim. Toda a minha vida tinha sido na penúria. Eu vivia andando pelas estradas de Minas sem direção, até que senti que aqui, sim, eu poderia me encontrar.

Foi quando, então, escutei naquele mesmo dia, ás 13h00 a primeira mensagem, ao vivo, de Nossa Senhora. Foi no morro das aparições, mas eu não consegui entender bem o que foi que Ela tinha falado. Mas, apenas o fato de estar ali, na presença do Céu, fez-me sentir, no mais fundo do meu coração, que minha vida tinha solução e que minha busca estaria chegando ao fim. Eu estava separado de minha família já há uns cinco anos e vivia andando triste pelas estradas. Talvez esta comunidade pudesse ser o meu lugar. Na época, eu estava tão confuso que não tinha cabeça nem para entender as doces palavras de Maria. Eu me perguntava com freqüência o que estava fazendo aqui. Já estava ficando desesperado. O sossego estava me assustando. Estava impaciente, pois minha sina era andar, andar e andar. Por uns três dias eu não fazia nada a não ser comer e escutar as mensagens, que naquela época eram todos os dias. Eu me hospedei na casa da mãe do Eusébio, que ele me ofereceu, pois sua mãe não mora aqui. Então poderia ficar lá o tempo que quisesse, mas, como eu tinha uma vida de andarilho, a calmaria do Vale já estava mexendo com os meus nervos. Foi por isso que me perguntava a toda hora o que estava fazendo aqui. Até que alguns dias depois, vindo da cidade para o Vale, falei em voz alta: : ‘Oh Nossa Senhora! Oh Meu Jesus! Que estou fazendo neste fim de mundo?’

“ A resposta veio no dia seguinte. Maria disse, no meio da mensagem: : ‘Meu Filho Jesus e Eu estamos procurando um filho simples como você é’. Ela não falou o meu nome, mas eu sabia que era para mim por duas razões. Primeiro, eu tinha feito uma pergunta e aquela frase se encaixava como resposta. Segundo, não havia no Vale, na época, ninguém mais simples do que eu. Não sei ler nem escrever. Acredito que até hoje não haja aqui alguém tão simples como eu. Somente as pessoas com necessidades especiais são tão simples. Mas dentre as pessoas em pleno uso de suas funções mentais, eu acho que apenas eu não aprendi nem a ler, nem escrever. Isso que eu considerava como a minha maior limitação, transformou-se, aqui, na minha maior benção. Fui escolhido justamente devido à falta de instrução, algo que o mundo considerada como um verdadeiro aleijão. Lá fora, ninguém me dá valor a um analfabeto. Eu não valia nada!

Essa frase  ‘Meu Filho Jesus e Eu estamos procurando um filho simples como você é’ há de ficar para sempre em meu coração. Talvez tenham sido as palavras mais lindas que já escutei em toda a minha vida. Eu me convenci, então, que tinha sido convidado para ficar aqui. Pedi a Marilda para conversar com Nossa Senhora e lhe perguntar se eu poderia, de fato, morar no Vale. Depois da mensagem corri até ela e, como enorme curiosidade, quis escutar o que a Minha Mãe tinha dito. Para o meu desespero, Marilda me disse que Ela tinha falado que ainda não estava na hora de morar na comunidade. Explicou que a minha missão, na época, era andar daqui pra lá e de lá pra cá. Mesmo estando triste pela negação, eu consegui entender o que Ela queria dizer. Lembrei-me que depois de minha separação, eu vinha fazendo um insistente pedido a Jesus e Maria. Eu lhes suplicava para que me dessem um lugar para morar no fim de uma rua. Esse pedido era porque eu desejava o silêncio. Em geral, no fim de uma rua passa pouca gente, não tem movimento de carro, não tem barulho de rádio, nem televisão. Eu, então, pensei que no Vale não havia lugar para mim. Mas, sempre que voltava eu fazia a mesma pergunta: Posso morar aqui?

“O lugar em que moro hoje, para onde, finalmente, consegui vir em 2004, 7 anos depois da primeira chegada aqui, estava destinado para outra pessoa. Este terreno tinha sido reservado para construir uma casa para Janaina, que vivia na comunidade com sua mãe e seus dois irmãos. Ela estava para se casar. O terreno já tinha sido limpado e as valetas perfuradas para que a construção começasse. Não sei por que aquele casamento não se concretizou e o Senhor Antônio, então, me passou o terreno. Isso aconteceu depois de uma mensagem na qual supliquei mais uma vez a Nossa Senhora se eu poderia morar aqui. Esse pedido foi feito no começo de 2004. Enquanto eu me aproximava de Marilda para saber a resposta de Nossa Senhora, meu coração quase saiu pela boca de tanta aflição. Eu tinha medo de receber mais um  ‘não’. Tinham sido exatamente 7 anos de ‘nãos’. Por isso, minha ansiedade era grande. Respirei fundo e me preparei para o que Deus quisesse. Coloquei tudo nas mãos Dele. Marilda, então, me disse: ‘Nossa Senhora falou que você pode fazer o seu ranchinho aqui’. Essa foi a segunda melhor coisa que tinha escutado em minha vida, pois a primeira tinha sido aquela em que Nossa Senhora tinha me dito que Ela e Seu Filho Jesus procuravam por alguém tão simples quanto eu. Dei saltos de alegria.

“Marilda conversou com seu pai e lhe pediu que arranjasse um cantinho para mim, onde eu pudesse fazer o meu ranchinho. Fui para Coromandel para avisar minha mãe e me despedir. Ao chegar lá me deparei com a doença dela.  Estava com 80 anos e já não conseguia mais andar. Não sei que doença era, só sei que ela estava mal porque o seu pulmão tinha enchido de sangue. Ela não conseguia nem respirar direito. Mas, queria uma casa na roça para morrer em paz. Meu irmão João ofereceu um pedaço de terra onde ela poderia fazer uma casinha. Para ajudar na construção tive que mudar meus planos. Não poderia mais voltar imediatamente para o Vale, o que era o meu desejo. Fui para a fazenda de meu irmão e ajudei a construir um barraco bem simples para minha mãe. A construção durou apenas uma semana, mas permaneci ainda por mais dois meses tomando conta dela. Foi quando tivemos mais tempo para conversar. Ela, então, me revelou que na época em que eu estava para nascer—sou o caçula dos 6 filhos (5 homens e 1 mulher)—a parteira lhe disse que talvez a criança nascesse, mas que ela morreria. Para que ela vivesse, a parteira teria que sacrificar o bebê, pois eu não saia de dentro da barriga de minha mãe de jeito nenhum. No desespero, ela suplicou a intercessão de São José. Pediu em voz alta: ‘São José! Se este menino nascer vivo, ele é seu, de corpo e alma’.  Depois desse pedido, eu nasci com facilidade. Na época, minha mãe tinha apenas 29 anos e logo se restabeleceu. Será que é apenas coincidência que ela se chama Maria José? Foi assim que eu fiquei sabendo que, desde o nascimento, fui dedicado a São José, o esposo de Maria e é provável que essa seja a razão de eu ter nascido vivo. Mais ainda, acho que é por isso que estou no Vale. Antes de fixar residência aqui, eu tinha que escutar aquele relato de minha mãe. Eu tinha que saber que sempre pertenci à Família de Nazaré.

Só voltei para morar no Vale depois que minha mãe estava bem de saúde e ela ainda viveu mais dois anos. Antes de eu partir para cá, ela me chamou e me deu 150 reais. O dinheiro da passagem eu já tinha ganhado com alguns trabalhos feitos na roça. Portanto, cheguei ao Vale com exatos 150 reais. Foi quando o Senhor Antônio, pai de Marilda, me informou que tinha um lote vago à minha disposição. Quando ele me mostrou onde era o lote, eu quase caio para trás. Era justamente no final da Rua Santa Terezinha, onde o Vale acaba. Percebi que, mais uma vez o Céu tinha respondido às minhas orações. E o dinheiro para construir? De onde viria?

Agora eu tinha o lote, mas como iria construir um barraco que fosse com apenas 150 reais? Mas, no meu coração eu sabia que Minha Mãe ia me ajudar. Ela não teria me oferecido o lote, se não soubesse que eu poderia construir alguma coisa para morar. Alguns dias depois de ganhar o lote, por acaso, eu mencionei o fato com a Elvira, de Campinas, dona de uma casa localizada aqui perto. Ela me fez a mesma pergunta que eu estava me fazendo. Ela disse: ‘Sebastião, como você vai fazer uma casa se você não tem nada. Só com 150 reais não dá para se construir nada’. Respondi-lhe que se Deus abençoasse as minhas mãos, com elas eu construiria. Ela teve compaixão e me ofereceu trabalho por três dias. Cuidei de sua horta e ela me deu 50 reais. Estava agora com 200 reais. Com essa quantia comprei os tijolos  para levantar as primeiras paredes. O Ademar, que cuida da casa pai, me ajudou a construir-las e não cobrou nada. A Luci, que cuida dos idosos, me ofereceu trabalho e consegui mais alguns trocados. Era uma chuva de bênçãos. As pessoas boas, ao verem minha necessidade e a minha boa vontade, se ofereciam para ajudar. Foi assim que fiz a minha primeira casa. Graças a Nossa Senhora, a bondade do Senhor Antônio e ao desapego de tanta gente boa, eu agora não mais vago a esmo pelas estradas de Minas. Estou no Vale e daqui só vou sair para o cemitério, quando eu espero que a Minha Mãe, também me acolha no Céu, assim como Ela me acolheu no Vale!” (Relato de Sebastião Nunes, morador do Vale, em 14 de setembro de 2011).

 

  Meu Filho Jesus e Eu estamos procurando
um filho simples como você é.

 

 

O Ph.D. que foi ao
encontro de Deus

Ph.D. é o grau máximo conferido por uma universidade americana. Quer dizer doctor of philosophy (doutor em filosofia). Depois dos 5 anos de universidade, a pessoa faz o mestrado de um ano e, depois, cerca de 3 anos de cursos e pesquisas para poder concluir uma tese inédita sobre algum tema. Portanto, depois que já se formou, a pessoa ainda estuda um mínimo de mais 4 anos de universidade para chegar ao Ph.D. Esse título universitário pode ser considerado como uma conquista do intelecto e da vontade. Era o meu sonho quando fui para a Universidade de Ohio, nos Estados Unidos, onde optei pela área da comunicação. O sonho se concretizou em 1985. Portanto, eu sou um Ph.D. em comunicação. Até hoje ainda olho com orgulho para aquele enorme diploma. Afinal, esse sonho mobilizou toda a minha família. Precisei do apoio de meus pais, de minha esposa e de meus filhos. Também me empenhei ao máximo para poder, em uma terra distante, e em outra língua, oferecer o melhor de mim. Sem sombra de dúvidas, para mim, esse título foi uma vitória!

Foi uma vitória que ostentei em meu currículo e em meus livros por exatos 23 anos. Até que, em 2008, cheguei ao Vale. Apaixonei-me por Nossa Senhora e pelo carinho que ela tem por esta comunidade. Passei a fazer parte da comunidade fraterna do Vale da Imaculada Conceição. Como eu vinha da área de comunicação, o que mais me encantou foram as mensagens de Maria. São conteúdos vindos direto de Deus, com inigualável poder transformador. Se comunicar é transformar o outro, no Vale, toda mensagem representa uma mudança na vida dos que têm fé. Passei a desejar de todo o coração que o mundo todo pudesse ter acesso às palavras que Ela, a Rainha do Céu e da terra, com doçura, nos passa todas as semanas. Foi um caso de amor à primeira vista. Você se lembra de seu primeiro amor? O meu foi aos 60 anos. Maria de Nazaré conseguiu me arrebatar ao Céu logo na primeira mensagem. Foi só ouvir e saber que o que Ela me dizia vinha do Céu e encharcava de doçura meu coração. Maria desde aquela primeira mensagem se transformou em meu primeiro amor. A paixão foi tanta que, passados 3 anos, eu já tinha, em colaboração com Ela e Marilda, publicado 8 livros. Este será o nono. Cheguei aqui por mera curiosidade, procurando pela casa de um amigo e, depois, de algum tempo morando no Vale, consegui, pela primeira vez entender o meu verdadeiro propósito de vida. As outras coisas vividas no mundo tinham sido sonhos fugazes. Alguns se realizaram, outros não. Mas, no Vale encontrei não um sonho, mas um propósito de vida, de Vida Eterna!

Ontem, logo após a entrevista com o Sebastião Nunes (Tião), eu refletia sobre quem seria o próximo a ser entrevistado para este livro. Pensei em várias pessoas maravilhosas que vivem aqui e que já tiveram experiências extraordinárias. Alguns residem na comunidade desde o começo das aparições e já vivenciaram muitos milagres. Será quem eu iria entrevistar? Fiquei surpreso quando o Espírito de Deus soprou em meu ouvido: “Você mesmo!”. Eu mesmo? Por quê? Tive a ousadia de questionar. “Porque ontem você entrevistou o Tião. O Pai ama, com o mesmo amor, tanto a ele, que nunca entrou em uma escola, quanto a você que passou a vida estudando. Embora o próprio Tião tenha dito que, para o mundo, não valha nada, para Deus, ele é um tesouro. E o seu Ph.D. que vale tanto para mundo, se não for usado para  Deus, não lhe servirá para nada”.

De fato, falar com o Tião não só me comoveu, mas também, me iluminou. Enquanto eu escutava a sua história, observava meu filho Igor, que estava ajudando ao Tião a construir mais um cômodo em sua casa. Igor é autista. Não fala, mas se comunica perfeitamente com ele e vise versa. Tião e Igor têm um convívio respeitoso e fraterno, e Igor se encanta em fazer barro para a obra. Como pode ser? O Tião, analfabeto, consegue se comunicar melhor com o Igor do que eu, um Ph.D. em comunicação. Somente quem vive no Vale consegue entender tamanho paradoxo. Para a comunidade fraterna não existe diferença entre o Tião e eu. Talvez no mundo eu seja mais respeitado do que ele, mas, no Vale, a simplicidade e a humildade do Tião são os valores máximos. Portanto, a comunidade é paradoxal e, por isso mesmo, reflete mais os valores do Céu do que os da terra. Como o meu propósito superior de vida agora é morar no Céu, eu acredito que, finalmente, encontrei o meu lugar. Muitas pessoas ficam curiosas para saber como vim parar no Vale, por isso, vou explicar como encontrei o Vale.  

Eu costumava freqüentar as reuniões semanais que Luiz Gomes (médico — cirurgião plástico) promovia em sua residência em Divinópolis. São encontros de amigos que desejam aprimorar o lado espiritual da vida. Ele e sua esposa Zuila acolhem com carinho a todos que têm fome e sede de Deus e que desejam partilhar um pouco de suas vivências, independentemente, de religião ou crença. Os encontros ocorrem em clima de humildade e de busca sincera pelos caminhos do Senhor. Foi numa dessas reuniões que Dr. Luiz mencionou para mim que tinha uma casa em Piedade dos Gerais, uma cidade que fica cerca de 120 quilômetros de Divinópolis. Ele me disse que nessa cidade ocorriam aparições de Nossa Senhora e que, quando eu quisesse poderia ir lá durante um fim de semana, e ficar na casa dele. Achei interessante a idéia, mas não pensei mais naquilo. Na época, eu ia regularmente a Belo Horizonte, pois ali residiam Regina (ex esposa), Igor (10 anos) e Erik (8 anos), minha família, da qual eu tinha me separado em 2004. Em uma sexta feira do mês de julho de 2008, eu estava em Belo Horizonte, e, depois de desfrutar da companhia de Igor e Erik, passei pela Praça Sete (centro da cidade) quando ia deixá-los no apartamento em que moravam com a mãe. Como era um final de sexta feira, o trânsito estava pesado. Esperando para um sinal se abrir, comecei a escutar um nome que se repetia insistentemente em minha cabeça: Piedade dos Gerais. Logo associei o nome ao Dr. Luiz e ao convite para passar um fim de semana em sua companhia.

Meu destino, depois de deixar as crianças com a mãe, era Divinópolis, mas dada à freqüência com que o nome Piedade dos Gerais aparecia em minha mente, resolvi trocar de rumo. Liguei para o Dr. Luiz, mas ninguém atendeu. Liguei para o celular de alguns amigos dele, mas também não atenderam. Eu não tinha o endereço da casa, mas ele tinha me falado que a cidade se encontrava perto da Fernão Dias, rodovia que liga Belo Horizonte a São Paulo. Também mencionou que era um lugar pequeno. Pensei então: “como se trata de uma cidade pequena, todos devem saber onde fica a casa de fim de semana do Dr. Luiz”. Mas a casa não é na cidade, é no Vale. Se o Dr. Luiz tinha mencionado o Vale em sua conversa, eu não escutei, só tinha registrado em minha cabeça que a casa era em Piedade dos Gerais, que ficava próxima à   Fernão Dias. Mesmo assim, eu me aventurei rumo ao desconhecido. Somente mais tarde eu viria a entender o significado sobrenatural daquela ousadia. Eu havia embarcado em uma viagem que, literalmente, não teria mais retorno. Com a minha ousadia, eu havia, sem ter plena consciência do que estava fazendo, comprado uma passagem só de ida para a Vida Eterna.

Até chegar à rodovia demorou mais de uma hora, pois as pessoas que podiam estavam deixando a confusão urbana e se dirigindo rumo ao sossego do campo. Nas ruas, era carro por todo lado. Mas, finalmente, já na estrada, parei em um posto e perguntei onde ficava essa cidade. Os frentistas não conseguiram me informar. Pensei então: “o lugar deve ser pequeno mesmo”. Insisti com os rapazes do posto. Tinham que saber, pois a informação que eu tinha é que não ficava longe da Fernão Dias. Até que um deles me disse que o cozinheiro do restaurante era da região e talvez soubesse me informar alguma coisa. Fui até à cozinha e perguntei se alguém sabia onde era Piedade dos Gerais. Lembro-me como se fosse hoje, do meu alívio, quando uma pessoa disse: “você vai andar aproximadamente uns 15 quilômetros e quando avistar  uma ponte, passe por debaixo dela e vire à direita. Suba na ponte e siga a estrada que vai dar lá”. Agradeci e sai rapidamente do posto, já estava ficando tarde.

Encontrei a ponte, e segui pela estrada pensando que a qualquer momento ia me deparar com o lugar que eu procurava. Que nada! Depois de rodar o que me pareceu uma eternidade — a neblina era baixa e estava frio (o painel indicava 10º graus centígrados) — avistei uma luz do lado direito da estrada e alguns jovens conversando perto de um poste. Parei e perguntei onde ficava o bendito lugar e se era perto. “Não moço, o senhor tem que andar mais uns 30 quilômetros ai pra frente”. Acelerei o carro, não vi os quebra molas, e, por milagre, não fiquei na estrada. Passei pela cidade de Rio Manso, onde também perguntei e me disseram para dar a volta na praça da igreja e depois virar a esquerda e seguir em frente. Antes de chegar ao meu destino teria ainda que passar por Bonfim. Chegando na cidade de Bonfim, atravessei uma ponte e me deparei com uma parede. A estrada acabava ali em uma rua da cidade. Na época o nome Piedade dos Gerais não constava na placa que só mencionava a direção para Brumadinho, à esquerda. Pergunta: “vou para a direita ou para a esquerda?”.  Já estava começando a ficar preocupado, pois o relógio não parava. “Vou chegar muito tarde, agora já são mais de dez da noite. Será que o Dr. Luiz estará acordado? Para quem vou perguntar, se não existe por aqui nem uma alma viva?”.

Foi quando se aproximou um carro bem devagar vindo da direita. Eu fiz sinal para que parassem e perguntei. Apontaram o caminho da direita, agradeci e segui em frente. Andei rápido por aquela rua calçada de pedras e o carro já começava a bater a suspensão. Foi quando apareceu uma encruzilhada sem sinalização (hoje já existe uma placa indicativa). “E agora?”. Olhei no relógio: 22h30. “Lá trás eu tive muita sorte de ter vindo um carro para me informar, mas, e agora?”. Foi só pensar nisso e, do nada, apareceu uma caminhonete que transitava devagar na rua que ia para minha esquerda. Perguntei novamente e o motorista simplesmente apontou para o caminho da direita. Segui mais rápido ainda, passei por uma pequena ponte, e, acelerei. Mais uma vez, passei rápido demais pelos quebra-molas e só não fiquei por lá por intervenção divina. Tanto a suspensão do carro quanto o escapamento já estavam praticamente destruídos. Depois tive que mandar o carro (um Brava, carro baixo) para a oficina.   

Finalmente, depois de 17 quilômetros e de muitos quebra-molas, cheguei ao centro de Piedade dos Gerais. Faltavam 10 minutos para as onze horas da noite. Parei o carro em frente de uma padaria chamada Cidade do Encontro (só agora me dou conta de que ali eu teria o “encontro” de minha vida — justamente em frente daquela padaria). Deixei-me, então, envolver pela neblina e pelo desespero. “Como fui ter essa idéia maluca de procurar alguém sem ao menos saber de seu endereço certo?”. “Tenho que concordar com a minha falecida mãe que costumava dizer que eu tinha um parafuso a menos”. “Claro que meu pai tinha razão quando dizia que eu não era deste planeta”. “Estou perdido e não é só nesta estrada, mas também não vejo saída para a estrada da vida — somente um milagre para salvar-me”. Durante alguns momentos eu me acusava insistentemente por ter feito uma grande asneira. Agora nem sabia para onde ir mais. A luz dos postes mal conseguia atravessar a densa neblina e não havia luz acessa em nenhuma casa. Olhei novamente para o marcador de temperatura: 10º graus. Ninguém na rua. Silêncio sepulcral. “Só acharei essa bendita casa por um milagre”, pensei chateado comigo mesmo. E, o milagre aconteceu!

Do meio daquela bruma saiu uma jovem alta. Vestido longo. No braço esquerdo segurava uma criança pequena e pela mão direita puxava outra que deveria ter, no máximo, uns cinco anos. “Graças a Deus, apareceu alguém. Deve ser uma mãe que vai visitar a avó dessas crianças”. “Será que essa única alma, vai saber onde é a casa do Dr. Luiz?”. Ela se aproximou mais do carro. “Que maravilha, o pessoal do interior é mesmo diferente. Essa moça esguia e bonita se aproxima sem o mínimo receio deste carro. Parece até que sabe que eu estou perdido — em todos os sentidos”. Abaixei o vidro rapidamente e perguntei se ela sabia onde era a casa do Dr. Luiz. Ela respondeu com outra pergunta: “O de Divinópolis?”. Respondi afoito “sim, ele mesmo”. Ela então me disse que a casa dele não era lá. Eu teria que voltar um quilômetro e descer para o Vale. Agradeci. Suspendi o vidro novamente. Dei meia volta e acelerei. Novamente os quebra-molas e adeus suspensão. Mas, como dizia meu pai, aos trancos e barrancos, eu me aproximava da vitória final. Na época eu não tinha nem idéia do que o Vale iria representar para a minha vida e para a de meus filhos. Nunca mais vi a moça que me mostrou o caminho certo (tempos depois tomei consciência de que Ela jamais tinha deixado de fazê-lo).

Finalmente, estava descendo para o Vale. “Será que o Dr. Luiz está acordado esta hora da noite?”. “Será que tem alguém acordado ainda nesse tal Vale, para me informar onde ele mora?”. Foi só pensar e avistei um homem descendo vagarosamente, do lado direito. Hoje sei que ele se chama Nivaldo e mora no Vale. Repeti a pergunta que havia feito à moça da cidade e ele me disse que, sim, sabia onde o Dr. Luiz morava e que poderia me levar até lá. Entrou no carro e me indicou a casa. Quando cheguei, todas as luzes estavam acessas. “Que alívio! O Dr. Luiz ainda está acordo”.

“Eu estava mexendo com o meu computador e ele deu um probleminha e decidi ficar acordado até mais tarde — acho que foi de propósito para esperar você ”. Que bênção! Agradeci ao Nivaldo, conversei um pouco mais com o Dr. Luiz e fomos dormir. Eu não tinha consciência, então, de que toda aquela viagem tinha sido abençoada. Em retrospectiva, posso até dizer que foram os Anjos do Céu que me trouxeram até ao Vale. No fim de semana que passei aqui escutei as mensagens, fiz uma reflexão sobre minha vida e tive a nítida sensação de que estava aqui para ficar. Voltei durante vários fins de semana e pedi ao Dr. Luiz que me emprestasse sua casa para passar o fim de ano aqui. Liguei para a Regina e lhe disse que havia encontrado o lugar para o Igor. Ela deixou Igor vir e passar uns tempos comigo. Depois ela veio com o Erik e passou a morar na cidade. Seis meses depois veio para o Vale e a família se uniu novamente. Depois de 4 anos longe, essas quatro almas foram reunidas novamente pela sublime intercessão de Nossa Querida Mãezinha do Céu. Poderia existir milagre maior?

Os anos se passaram, os livros sobre as mensagens se multiplicaram e, sempre que contava como tinha encontrado o Vale, as pessoas ficavam ponderando comigo sobre a identidade daquela misteriosa moça que tinha me mostrado o caminho certo. “Deve ter sido Nossa Senhora”. “Só poderia ter sido Ela”. “Fale com a Marilda para perguntar a Nossa Senhora se era Ela”, alguém sugeriu. Mas, não sei por que, deixei que essa interrogação pairasse no ar por quase 3 anos, até que, no começo deste ano de 2011, falei com Marilda e lhe pedi que perguntasse a Nossa Senhora se aquela moça era Ela. Depois que Marilda terminou a mensagem, com enorme expectativa, lhe perguntei qual tinha sido a resposta. Mal pude conter as lágrimas quando ela falou:

 

Nossa Senhora disse que aquele foi um sinal
de Deus para você, em sua vida!

 

 

 

 

 

 

Com os olhos do coração


Nossa Senhora nos aconselha a fazer o silêncio dos olhos e a ver com o coração. Quanto ao silêncio dos olhos, Ela nos alerta que devemos retirar nossos olhos daquilo que possa ferir a nossa alma. Às vezes contemplamos ações e vemos coisas que podem nos tirar a paz. Tudo que pode roubar nossa tranqüilidade deve ser evitado. E, quanto a ver com o coração, Ela explica que as coisas mais importantes da vida não se vêem com os olhos, mas com o coração. No dia 27 de setembro de 2011, numa terça feira pela manhã, eu perguntei a Ela, mentalmente, qual seria a próxima pessoa a ser entrevistada para este livro. Pensei em alguns moradores do Vale, mas, ao chegar à capela para a oração da manhã, fiquei ao lado da Marilda Cintra, romeira de Franca. A oração da manhã é feita de pé e todos ficam de mãos dadas. No momento em que peguei na mão de Marilda, senti que deveria ser ela a próxima a dar o seu testemunho. Depois de terminada a prece, perguntei-lhe se poderíamos conversar um pouco durante aquela manhã.  Ela concordou e nos brindou com o seguinte depoimento.

“Eu sou a caçula de uma família de três filhas, todas deficientes visuais.  Nascemos com deficiência, mas meus pais enxergam normalmente. Vivíamos na área rural do município de Pedregulho, estado de São Paulo, cidade próxima a Franca. Ao completar 7 anos, meus pais se mudaram para Franca, afim de que as filhas pudessem estudar. Eu me formei em direito pela Faculdade de Direito de Franca em 1985, e 24 anos depois em pedagogia pela Universidade Luterana Brasileira (ULBRA). Desde criança procurei viver uma vida como a de qualquer outra pessoa. Eu me considero um milagre dos tempos de hoje. Jesus fez em mim, o mesmo que fez com aquele cego de nascença. Não vejo com os meus olhos, mas meu coração enxerga por mim. Além disso, posso ler com minhas mãos (através do Braille) e, mesmo não saindo do lugar, viajo para lugares distantes. Muitos me perguntam se eu sou triste por não poder ver, mas não me falta nada, pois o essencial é invisível aos olhos. Meus outros sentidos compensam essa falta. Por exemplo, posso reconhecer as pessoas tanto pela voz quanto pelo cheiro. Além disso, tenho enorme sensibilidade para os sentimentos dos outros. Tenho uma percepção extra sensorial aguçada e consigo saber se a pessoa que está comigo está bem ou se precisa de ajuda. Deus providenciou tudo o que preciso. Consegui me integrar na sociedade e descobrir o sentido da vida. Sim, tive namorados e até cheguei a me casar. O casamento que durou 8 anos, durante 3 anos foi muito bom. Trabalhei no comércio e na indústria e durante 20 anos fui telefonista do Banco do Estado de São Paulo, onde fiquei até me aposentar.

“Em setembro de 2001 minha irmã Marlei fez uma visita de fim de semana ao Vale da Imaculada Conceição. Voltou tão transformada que eu fiquei curiosa a respeito daquele lugar que a tinha mudado tanto. Foi só um fim de semana e ela voltou mais calma, mais compreensiva, menos agitada pelos problemas. Seus desafios eram os mesmos, mas sua atitude era diferente. Em dezembro daquele mesmo ano, quando o Vale comemorava seu 14º aniversário, eu vim até aqui em uma excursão. Jamais me esquecerei do momento em que cheguei. Não conhecia ninguém, mas mesmo assim fui para a cozinha comunitária e me alimentei gratuitamente. O acolhimento foi fraterno e fiquei comovida. Logo depois fui para a capela pequena e, ao entrar senti-me envolvida pelo amor de Deus e acolhida por Nossa Senhora. Aqui, eu senti que estava voltando para o meu lugar. Senti que aqui era a minha verdadeira terra e que aqui estava o meu povo. Até hoje eu me comovo até as lágrimas só de falar sobre aquele encontro com o Céu (Marilda, de fato, chora). Não me lembro exatamente de quanto tempo eu fiquei na capela. Não queria sair de lá, pois a sensação era de plenitude. Durante aquele fim de semana, passei todos os meus momentos livres na capela, sendo acalentada pelo amor divino. A partir daquela experiência compreendi melhor o sentido de ser cristã. Passei a amar mais a Palavra de Deus e abri meu coração para que Ele me transformasse em uma missionária. Compreendi o real significado da existência do Vale e dos ensinamentos de Nossa Senhora e pude ver que esta comunidade representa o mundo.

“Aqui oramos por toda a humanidade e eu aprendi a suplicar pela paz na terra. Em um lugar tão pequeno, me foi concedida a graça de poder contribuir para a transformação do mundo. Assim como eu me transformava, queria também espalhar a boa nova para todos. Depois de dois dias eu tive de voltar para Franca e já no ônibus planejava o meu retorno. Daí para frente passei a freqüentar o Vale nas datas principais como carnaval, Corpus Christi, aniversários (tanto da aparição quanto da comunidade), Natal e fim de ano. Aprendi a rezar o terço da Misericórdia. Fiquei maravilhada com a oração da manhã. Para mim, essa súplica é um banquete celestial oferecido pela comunidade fraterna ao mundo inteiro. Relativamente poucos participam dela, às vezes apenas umas dez pessoas (em um lugar que tem 140 moradores), mas é o bastante para que o meu dia e, acredito, o dia de toda a humanidade seja mais abençoado pelo Céu. Ficou claro para mim que esta comunidade é dirigida diretamente por Nossa Senhora com a finalidade de preparar a segunda vinda de Cristo. Quando descobri isso, foi como se eu tivesse encontrado uma pedra preciosa, um verdadeiro tesouro. A alegria foi enorme. Era como se eu tivesse adentrado no paraíso, um lugar onde o Céu vem ao encontro da terra. Passei a me interessar mais em viver a fé através de uma maior freqüência à igreja e aos sacramentos, assim como de uma participação mais firme no meu grupo de oração. Nesse grupo, toda quarta feira à noite, rezamos o terço, lemos o Evangelho e louvamos ao Senhor. Além disso, toda semana, eu me ajoelho diante do Sacrário e rezo mil jaculatórias do terço da Misericórdia (“Pela sua dolorosa paixão, tende misericórdia de nós e do mundo inteiro”). 

“Foi a partir da experiência do Vale que entendi que eu precisava lutar pela minha salvação. A salvação de minha alma passou a ser o foco de minha existência. A partir daí percebi também que precisava ajudar na salvação de outras almas. Isso, não só fortaleceu a minha fé, mas me levou a orar com muito mais freqüência, não importa onde eu esteja — no Vale ou fora dele. Logo pela manhã, rezo a oração da manhã, às 15h00 o terço da Misericórdia e o do Triunfo. Nos momentos em que Nossa Senhora costuma aparecer no Vale, também me coloco em oração lá em casa. Também rezo o terço todos os dias e com freqüência, todo o rosário (que são 4 terços contemplando a vida de Jesus Cristo). A experiência do Vale, aliada à oração, me transformou em uma pessoa menos impulsiva e mais tolerante. Agora, antes de tomar minhas decisões, peço por orientação divina. Eu me sinto mais próxima de Deus durante todos os momentos do dia. Sinto-me mais capacitada para interceder pelos outros no meu ministério de cura interior. Oro individualmente por pessoas que estão passando por dificuldades tanto espirituais quanto materiais. Nessas ocasiões, sinto a Presença de Nossa Senhora orando comigo. Uma das coisas que mais me realizam como pessoa é sentir que, através de minha oração, Jesus continua realizando seus milagres gratuitamente. Problemas muitas vezes insolúveis para a ciência humana são resolvidos pela oração. No momento em que a pessoa sente a Presença de Deus, a sua libertação acontece e ela alcança a graça da cura. O Senhor opera maravilhas e cada vez mais minha fé se fortalece ao ver o brilho nos olhos daqueles que estavam sofrendo e que, por meio da oração, são curados. Sempre fui solidária, mas agora vejo a vida e as pessoas com muito mais amor. Quando estou em Franca e se aproxima o dia  de retornar a esta comunidade, já começo a sentir lá, as sensações que sinto aqui. Ao entrar em oração é como se já estivesse na capela. Também sinto o aroma de rosas e até mesmo chego a escutar as badaladas do sino do Vale”.

 

 

Foi a partir da experiência do Vale que entendi que eu precisava
lutar pela minha salvação. A salvação de minha alma passou a ser
o foco de minha existência. A partir daí percebi também que
 precisava ajudar na salvação de outras almas. Isso,
não só fortaleceu a minha fé, mas me levou a orar
com muito mais freqüência, não importa onde
eu esteja, no Vale ou fora dele.

 

 

 

 

 

Deus é sabedoria!

Queridos e amados filhos! São tão lindos e grandes os sinais de Deus em nossa vida. Um dos mais lindos e grandes sinais é o próprio Cristo Jesus. Nesta tarde, estamos na presença dos filhos fiéis e perseverantes na fé, que estão aqui para agradecer a Deus. Eu, Maria também estou aqui para agradecer a Deus. Eu louvo ao Senhor, glorifico ao Senhor, por toda essa missão, por essa linda missão desses 24 anos de luta, de luta do Céu, de luta dos filhos que amam o Céu, em que a luta tem sido grande, a batalha, enorme, e a missão, linda! Quanto mais o tempo passa, mais sentimos, de forma grandiosa o poder de Deus! Esse poder se manifesta no coração da família, no coração da comunidade, no coração da cidade, no coração do estado e no coração do país. É como fazer uma casa. Deus fez aqui o alicerce da obra do amor. Nós somos os instrumentos dessa obra do amor e Deus nos colocou aqui diante desse amor para que possamos realizar a nossa missão. Depois desses 24 anos, não estamos só diante desse amor, estamos dentro desse amor. A primeira coisa que você que está aqui tem que fazer é agradecer a Deus. Hoje é o dia do agradecimento porque Deus fez na vida de vocês, no coração de vocês, um lindo sinal, que é a Presença de Jesus.

Quando Deus me envia na terra, as pessoas logo pensam nos sinais. Elas perguntam: “Qual é o sinal? Qual é a manifestação? Qual é o milagre? Para que haja uma aprovação” (talvez Nossa Senhora esteja se referindo a uma aprovação institucional da Igreja Católica). Deus me enviou aqui neste Vale nestes finais de tempos — nestes tempos de tantas tribulações e confusões —, com a seguinte orientação: “O grande sinal é Jesus, o grande milagre é Jesus, a grande graça para que todos realmente vejam aqui a Presença da Mãe de Deus, é Jesus”. É Ele que faz o milagre. È Ele que é o milagre. É Ele que é o sinal. É Ele que também nos faz ver a verdade, que nos faz abraçar a verdade. Diante dessas palavras de Jesus o coração de vocês se acalmou, porque vocês queriam algo muito grande, vocês queriam algo imenso. E, de repente, Jesus mostrou para vocês que Ele é grande, mas é pequeno, que Ele é imenso, mas é simples. Hoje você vê aqui uma obra que é um milagre. Ao olhar o que Deus faz neste Vale, você verá todos os dias um milagre e a todas as horas um sinal da Presença de Jesus aqui. O mundo pode perguntar, pode questionar, pode querer entender, mas as coisas de Deus são mistério.

A minha Presença nesta cidade, neste estado, neste país, neste Vale, é um mistério. É um mistério de Deus! Pedimos a todo o momento em que o Céu se manifesta a ciência do Espírito Santo. Quando o cientista da terra quer fazer uma descoberta, precisa do Espírito Santo, porque é o Espírito Santo que vai iluminar a inteligência dele, a sabedoria dele. Pense o quanto nós precisamos da ciência de Deus, quando queremos entender a graça de Deus, o mistério de Deus. Principalmente quando você sofre a perda de uma pessoa da sua família, como você precisa da ciência de Deus. Então, meus filhos!, o mais bonito em todos esses anos de minha Presença aqui, da presença de vocês aqui, é Jesus como o nosso caminho. Ele está à nossa frente. Ele é a nossa Misericórdia. Se nos apegarmos mais a Jesus, chegaremos ao que este ano nos pede que é o silêncio, a entrega, a boa vontade, a doação completa. Ao olhar para você hoje, diante desses 24 anos, pode se perguntar: “Quanto ainda preciso crescer?” E, terá uma resposta que é: “Como já cresci. Eu já cresci diante do mundo, da terra, desta passagem, de minha missão. Sei que não estou aqui por acaso. O Céu me ensinou a importância que tenho, o valor que  tenho”. Os ensinamentos de Deus são sagrados. Cada momento em que Deus me envia aqui, Eu considero como um momento sagrado, porque o Céu é sagrado. Medite sobre a importância que você tem que dar, o valor que tem que dar, à Minha Presença aqui. Jesus disse: “Ai daquele que não sabe valor este momento, pois estará perdendo bênçãos”.  O Céu é feito de ricas bênçãos.

Hoje, nesta festa simples — as coisas de Deus são muito simples — Ele nos faz ter visões, cada dia maiores. Na homenagem feita no dia de ontem tivemos tantas flores. Foi um grande tesouro, um grande jardim (referência aos 2.500 romeiros que chegaram ao Vale). A homenagem do dia de hoje é também importante, pois é um dia fundamental na vida de vocês.. As datas são importantes — datas como do nascimento, do batismo, do dia em que descobriu a vocação de quem realmente busca o Céu com sinceridade, seja sacerdotal, matrimonial, missionária, religiosa. Este ano do silêncio é também um ano muito marcante para nossa vida. É o silêncio que Jesus quer realizar em nós neste dia 19 de setembro. É marcante para a família, para os filhos que me vêem, para a cidade, para o estado, para o país e para o mundo. É um dia diferente do dia de ontem pela tranqüilidade. Aqui estão menos flores, mas todas com o mesmo valor. Então, o poder de Deus, as coisas de Deus são diferentes do que o mundo pensa. Às vezes, as pessoas pensam que para que Deus se manifeste, é preciso de ter multidões, mas não, é preciso apenas ter fé! Quando as crianças brincavam aqui (esta aparição foi exatamente no local da primeira aparição, cerca de 100 metros abaixo das aparições atuais), eram crianças de fé. Vinham de uma família de fé. Quantos são chamados, escolhidos, e não querem. Quando Jesus chamou a você, que veio de tão longe, para viver essa missão fraterna, você aceitou porque você é um filho de fé. Valorize essa fé. Não permita que o demônio, por nada, lhe tire essa fé. Seja sempre forte. Seja obediente às leis de Deus, presente à Eucaristia, porque o que o mundo precisa é da paz, filhos! Essa paz será um dos maiores acontecimentos da terra. Essa paz é o triunfo do meu Coração. Essa é a nossa luta!

Estamos lutando para isso. O triunfo de meu Coração não é um sonho. O triunfo é uma luta de todos os dias de quem realmente acredita e abraça esses finais de tempos, essa Misericórdia de Jesus. É uma luta de quem trabalha, que divulga as coisas de Deus. As coisas de Deus precisam ser luz. Jesus disse: “Você precisa ser evangelizador. Você precisa iluminar e ser iluminado”. O que veremos daqui para frente, no caminhar dos dias, é que a evangelização vai ser luz, porque nós já temos mais amadurecimento para ser luz. Você precisa ser luz. Aquele que não quer ser luz, simplesmente vai se perder e ficar para trás. Porque o caminho nos leva para frente e não para trás. Deus quer a nossa caminha sempre, constante, todos os dias. É uma caminhada que se torna dia a dia mais bonita. Seja sempre perseverante na fé. Abra sempre seu coração. Seja feliz!  Será que você que está aqui hoje, que faz parte desta comunidade, desta pequena cidade (naquela mensagem estavam umas 10 pessoas de Piedade dos Gerais), tem consciência do tamanho da riqueza que a sua cidade recebeu do Céu? Filhos! É uma missão nobre. É uma luta nobre, do Céu! (o tom de voz de Nossa Senhora se tornou como o de uma mãe que implora ao seu filho que entenda a seriedade do momento). O Céu me faz Mensageira, Mãe de Piedade e a vocês, Ele faz filhos ouvintes da Palavra, do ensinamento que vem direto do Céu. É Deus falando. Todos nós aqui somos apenas instrumentos. Vamos pedir a Jesus que nos dê a abertura do coração e que retire toda falta de sabedoria.

O ser humano precisa ter sabedoria. Da mesma forma com que ele, quando vai buscar a sabedoria até dos olhos, humana, ele precisa da sabedoria. Porque não a precisaria diante de Deus? Um dos pedidos que Eu faço a Jesus neste dia de hoje é que este Vale se torne um Vale da sabedoria. Peço a Jesus que a Palavra aqui não fique perdida. Peço a Ele que a Palavra aqui fique guardada no coração de vocês. É muita a sabedoria que a gente para viver neste ano. É a sabedoria que a gente tem que colocar em nossas famílias, na comunidade, no coração deste país e de todas as nações da terra. É muita sabedoria que precisa ser espalhada pelo mundo todo. Que Jesus lhes dê a graça da perseverança na sabedoria do Espírito Santo. O Vale é um lugar que Deus abençoa todos os dias e será abençoado em todos os momentos. Agora vocês vão abrir o coração de vocês. Eu vou abençoar vocês. Vou pedir ao Espírito Santo que dê a unção da sabedoria no coração de cada filho. Com alegria, vou dar a você a minha bênção (Momento da benção. Todos cantam: Dai-nos a bênção, Mãe de Bondade, Nossa Senhora de Piedade).

Queridos e amados filhos! Eu abençoei carinhosamente a todos os filhos. Fico tão feliz de vivenciar com vocês esse mistério tão lindo do amor de Deus. Fico tão feliz de caminhar com vocês e de ser a Mensageira de Deus para todos os corações. Jesus fala da grandeza do sinal que Ele é. É esse Jesus que abençoa, ilumina e protege esta família. É Ele que protege o Brasil e o mundo. É Ele que protege todos os corações de boa vontade que desejam ser servidores de Cristo. Essa benção foi para agradecer ao Céu, ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo pela graça de poder estar com vocês durante todos esses anos. Foi também para agradecer pela presença dos filhos aqui, pelo sim dos filhos. Para que a graça se realize, Deus precisa de seus filhos. Que Deus abençoe a vocês sempre. Que vocês sejam todos protegidos, ungidos e guiados pela Santíssima Trindade. Sempre, meus filhos!, peçam a Jesus e ao Espírito Santo, o dom da sabedoria. Peçam a maior grandeza que existe que é a sabedoria. Para pedir o dom da sabedoria, que é algo que sempre pedi, e que hoje quero lhes ensinar como pedir. Quando quiser algo, não se deixe levar pela ansiedade. Não se deixe levar pela curiosidade. Faça um momento de entrega total de seu coração para Jesus, se doe a Jesus. Cada um pode fazer isso, tem condições de fazer isso. Porque Jesus tem a porta do Coração Dele aberta para todos nós. Quando você fizer essa entrega, olhe bem para o Coração de Jesus, o Sagrado Coração de Jesus. O Coração de Jesus é Sagrado. Você vai se oferecer a esse Sagrado Coração de Jesus e no silêncio de seu coração vai pedir ao Sagrado Coração de Jesus que lhe dê a sabedoria. Este ano vocês pediram ao Sagrado Coração de Jesus a graça do silêncio, e hoje no aniversário das aparições, da minha Presença aqui de corpo e alma, Eu quero pedir a vocês, que se doem ao Sagrado Coração de Jesus. Diante do Sagrado Coração de Jesus, vocês vão silenciar, porque este é o ano do silêncio. O silêncio é algo constante em nossa vida. O ano pode passar, mas o silêncio vai permanecer sempre em nossa vida. No silêncio, na doação do silêncio, vocês vão se entregar e suplicar a Deus a sabedoria, orando esta oração que Eu vou lhes ensinar. Mas, não se esqueça de se colocar no Sagrado Coração de Jesus (cada vez mais Nossa Senhora soa como uma mãe zelosa, que cuida com toda ternura de cada filho amado). Vocês vão dizer:

Jesus, Aquele que me ama, que me acolhe, porque me chama. Eu me ofereço, me entrego, ao seu Sagrado Coração. Dê-me Senhor, a sabedoria para que eu possa entender e viver a sua Santa Vontade em minha vida. Amém!

Que Deus Pai, Deus Filho e Divino Espírito Santo abençoe e guarde todos vocês. Muita paz e felicidade, sempre, a todos os corações que são fiéis aos chamados do Céu para a vida de vocês. A quem me ofertou estas flores tão lindas, eu dou o meu Coração. Parabenizo a todos os aniversariantes de hoje. Muita paz! Deus me chama, e eis aqui a Serva do Senhor! (19 de setembro de 2011—segunda feira—14h30—local da primeira aparição).

 

 

 

 

 

 

 

 

    

 

Quando Jesus chamou a você, que veio de tão longe, para viver essa missão fraterna, você aceitou porque você é um filho de fé. Valorize
essa fé. Não permita que o demônio, por nada, lhe tire essa fé.
Seja sempre forte. Seja obediente às leis de Deus, presente
à Eucaristia, porque o que o mundo precisa é da paz, filhos!
Essa paz será um dos maiores acontecimentos da
terra. Essa paz é o triunfo do meu Coração.
 Essa é a nossa luta!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 Maria, brisa do Céu!

No Vale da Imaculada Conceição

Sopra um Zéfiro, ventinho fundo,

É Maria que está chegando

Trazendo a paz para o mundo!

 

Diferente de todas as brisas

É a que sinto naquele lugar

É tão doce e serena

Outra igual no mundo, não há!

 

No meu rosto sinto um frescor

Carinhando todo meu ser

Umedecido com as lágrimas

Do meu feliz viver!

 

Maria . . . Maria . . .

Nome bonito e singular

Dou-lhe todo o meu ser

Venho aqui no Vale ofertar

 

Agradecer-lhe também

É o meu grande dever

Um dia no Céu ao seu lado

Melhor minha existência,

Vou compreender!

 

(Helena Laender Moura, romeira de Belo Horizonte)